Pesquisa indica otimismo para o Natal

ACIT realiza pesquisa sobre expectativa dos comerciantes para o período do natal

A Associação Comercial e Industrial de Taubaté (ACIT) realizou uma pesquisa para saber expectativa dos empresários sobre as vendas no período do natal.

Grande parte da pesquisa foi respondida por gerentes dos estabelecimentos, ou seja, as pessoas que estão à frente da equipe e da administração do comércio.

Os lojistas estão otimistas quanto às vendas e 57,4% dos entrevistados acredita que será “Melhor” que o ano de 2018, enquanto 6,2% acreditam que será “Muito melhor”. Dos que acreditam que será “Pior”, foram registrados apenas 7,4%. É pertinente observar que 5,4% não souberam responder.

Quando perguntados sobre as compras e o estoque de produtos para o período, ou seja, o volume de mercadoria encomendada para o Natal de 2019 em relação ao ano passado, a maioria dos empresários (58,5%) respondeu que deve ser “Maior”, 24,4% “Igual”, 7,0% “Menor” e 4,7% “Muito maior”. Observa-se que nenhum empresário respondeu que será “Muito menor”. A soma das proporções de “Muito maior” com “Maior” (63,2%) é bem mais alta que a soma das proporções de “Menor” com “Muito menor” (7,0%), um outro ponto que aponta o otimismo para as vendas esse ano.

Quanto ao valor do ticket médio dos presentes, não foi observada uma grande mudança. Os lojistas acreditam que o consumidor continua se mostrando cauteloso e conservador quanto aos gastos. Isso porque a maioria (36,4%) disse esperar que o consumidor gaste um valor médio entre “R$ 50,01 a R$ 100,00”, 21,3% entre “R$ 100,01 a R$ 150,00” e apenas 6,2% acredita que o gasto em presentes será entre “R$ 300,01 a R$ 400,00”.

Os empresários ainda foram questionados sobre a possibilidade de contratações temporárias, uma das grandes expectativas por parte da população que busca uma oportunidade de recolocação nesse período. Entre os pesquisados, 51,9% responderam “Sim”, 46,1% disseram “Não” e 1,9% “Não souberam responder”.

Entre os que responderam “Sim”, a maior parte (36,8%) respondeu que pretende contratar “Dois” empregados temporários, 26,5% “Três”, 16,2% “Apenas um”, 9,6% “Quatro”, e 8,1% disseram “Cinco” temporários. O restante não soube responder (2,2%) ou não responderam (0,7%).

Ao final, todos os dados da pesquisa apontam para um comportamento mais otimista por parte dos comerciantes da cidade de Taubaté, que esperam que o Natal, que é considerado o melhor período de vendas do ano, seja ainda melhor nesse em 2019.

O estudo foi realizado pela Fundação de Apoio à Pesquisa, Tecnologia e Inovação da Universidade de Taubaté (FAPETI) a pedido da ACIT. Aconteceu entre os dias 11 e 19 de novembro de 2019, ou seja, no período pré natalino. Foram visitados 258 estabelecimentos comerciais que realizam vendas de possíveis presentes na região central da cidade, sendo a maior parte composta por lojas de roupas, calçados e acessórios. A pesquisa aponta uma margem de erro de 5 pontos percentuais para mais ou para menos e um nível de confiança de 95%.

Fonte: Assessoria de Imprensa ACIT

Otimismo entre os empresários

Nova pesquisa ACI/Unitau aponta otimismo da economia e do empresário para os próximos três meses

Com o objetivo de identificar o nível de confiança do empresário de São José dos Campos, a Associação Comercial e Industrial de São José dos Campos, em parceria com a Universidade de Taubaté, realizou um levantamento para identificar as expectativas da classe para os próximos três meses. Os resultados revelam que os empresários da cidade estão mais otimistas que em junho de 2018.

Esse é o terceiro levantamento do gênero, feito pela Fapeti (Fundação de Apoio à Pesquisa, Tecnologia e Inovação) da Unitau.

A primeira pesquisa foi realizada entre 21 e 25 de maio de 2018 (com 202 empresários), a segunda entre 7 e 9 de novembro de 2018 ( com 275 empresários) e a terceira ente 26 e 28 de junho de 2019 (com 298 empresários). A margem de erro do levantamento é de 5 pontos percentuais para mais ou para menos e um nível de confiança de 95%. Os locais estratégicos utilizados na pesquisa foram o Calçadão da Rua 7, rua 15 de Novembro (próxima à Rodoviária Velha) e os shopping Center Vale, Vale Sul e Colinas.

Com relação aos empresários, em junho de 2018, o índice apresentou o valor de 56,37, próximo da neutralidade (50,00). Já em novembro de 2018 houve uma melhora em relação ao anterior, com 66,71 e esse índice ainda foi superado pelo de junho de 2019 apresentando o valor de 68,24. Sobre o crescimento da economia do país, em junho de 2018 o índice foi de 51,36, durante os meses seguintes os pontos foram subindo, até atingirem 70,97 em julho de 2019.

O levantamento também aponta otimismo dos empresários com relação ao aumento no faturamento e no lucro das empresas, assim como no aumento do número de contratação e investimentos em infraestrutura. Os índices de junho de 2018 foram 56,71 e em junho deste ano de 67,42.

Para o presidente da ACI, Humberto Dutra os índices apontam novidades para a economia. “A pesquisa comprova que o ânimo do empresário mudou, fruto de alguns fatores, como a inflação baixa, a aprovação da Reforma da Previdência e a retomada do poder de compra do consumidor. Ainda leve, ela mudança deve se cristalizar nos próximos meses”.

Fonte: Matéria Consultoria&Mídia – Nathália Barcelos

Pesquisa aponta eleitorado indeciso

Levantamento ACI-Unitau diz que 33% dos eleitores de São José dos Campos ainda não escolheram seus candidatos nestas eleições

O eleitor joseense já escolheu seus candidatos? O que influencia essa escolha? Quais os temas mais importantes em discussão nas eleições deste ano, segundo a ótica de quem vota? O eleitor está atento às eleições de 7 de outubro.

Essas e outras questões foram alvo de pesquisa exclusiva feita pela Associação Comercial e Industrial de São José dos Campos em parceria com a Universidade de Taubaté, por intermédio da Fapeti (Fundação de Apoio à Pesquisa, Tecnologia e Inovação), mostrando a expectativa do eleitor joseense frente às eleições do próximo domingo. O levantamento foi feito entre 21 e 26 de setembro, ouvindo 303 eleitores em pontos estratégicos do comércio da cidade – Calçadão da Rua 5, Rua 15 de Novembro e os shoppings CenterVale e Vale Sul. A margem de erro é de 5,65 pontos percentuais, para mais ou para menos.

O que mostra a pesquisa? Basicamente, a conclusão é a seguinte:

– 33% dos eleitores não escolheram ainda seus candidatos;

– para definir seu voto, os eleitores se informam pela TV e pela internet, ambas citadas com 42,6%. Rádio tem 6,1%, jornais e revistas têm 5,1% e conversa com amigos, 3,6%;

– para definir seu voto, o eleitor diz levar em conta, maciçamente, o caráter do candidato (78,1%), seguido de experiência (35,9%), idoneidade (20,3%) e filiação político-partidária (13,6%);

– as áreas prioritárias para o eleitor são Saúde (35,6%), Emprego (24,8%), Educação (24,2%) e Segurança Pública (13%);

– a maioria dos eleitores (53,6%) é contra o financiamento público das campanhas, por meio do uso do fundo partidário;

– a maioria dos eleitores (74,3%) admite acompanhar a campanha eleitoral à distância, até com certo desinteresse;

A nova pesquisa da ACI faz parte do calendário político da entidade com vistas às eleições de outubro. A ACI lançou a campanha “O Vale vota no Vale”, que defende o voto regional em candidatos a deputado, realizou sabatinas com os principais candidatos ao governo do Estado (João Doria, Paulo Skaf, Márcio França e Luiz Marinho) e lançou a carta aberta “Jogando Limpo”, contra a disseminação de fake News nas eleições deste ano.

Para o presidente da ACI, Humberto Dutra, com esse calendário a instituição cumpre seu papel de estimular o debate e o desenvolvimento de São José dos Campos.

Fonte: Matéria Consultoria & Mídia – Nathália Barcelos

Comércio de São José está otimista com o Natal

Inflação controlada, queda na taxa de juros e retomada do emprego prometem aquecer setor, aponta nova pesquisa ACI-Unitau

Uma boa notícia: apesar de cautelosos, os comerciantes de São José dos Campos estão otimistas para o Natal deste ano.

Esse é o cenário que aponta nova rodada de pesquisas feita pela Associação Comercial e Industrial de São José dos Campos em parceria com a Universidade de Taubaté, por meio da Fapeti (Fundação de Apoio à Pesquisa, Tecnologia e Inovação). Realizado entre os dias 7 e 9 de novembro, o levantamento ouviu 249 comerciantes no Calçadão da Rua 7, rua 15 de Novembro e nos shoppings Vale Sul e CenterVale. O nível de confiança da amostra é de 95% e a margem de erro é de 4 pontos percentuais para mais ou para menos.

“Esse Natal vai ser embalado pela recuperação lenta, mas gradual da economia, com inflação dentro da meta, redução de juros e retomada do nível de emprego. Tudo isso, somado ao projeto “Natal Iluminado”, com a retomada da decoração natalina nas ruas e praças do centro da cidade, favorece o comércio” – disse o presidente da ACI de São José dos Campos, Humberto Dutra.

Nesse cenário, 40,2% dos entrevistados acreditam que as vendas para o Natal desse ano serão maiores que em 2016, contra 26,9% que esperam que o movimento fique no mesmo patamar e 16,1% que prevêem redução nas vendas. Os setores mais otimistas são viagem e turismo, cosméticos e perfumaria, tecidos e armarinhos, roupas e acessórios, além de drogarias.

Para a maioria do setor, o tíquete médio desembolsado pelo consumidor vai atingir até R$ 150. Esse patamar é citado por 52,2% dos entrevistados.

Sobre o desempenho da economia do país, o empresário do comércio está cauteloso. A expectativa da grande maioria (58,6%) é que o ritmo de crescimento da economia se mantenha igual para os próximos meses. Outros 32,9% acreditam em aumento do ritmo contra 3,6% que acreditam em uma retração.

Emprego

A pesquisa ACI-Unitau aponta ainda que 63,9% dos lojistas pretendem contratar funcionários temporários para o Natal. O número médio de contratações por loja deve girar de um a três funcionários. E os setores que mais devem contratar são os de drogarias, eletroeletrônicos, alimentação, calçados, bolsas e acessórios, jóias e bijuterias, cosméticos e perfumaria, além de roupas e acessórios.

Transformar a vaga temporária em vaga efetiva, no entanto, não vai ser fácil no comércio de São José dos Campos.

Dos 249 lojistas ouvidos na pesquisa ACI-Unitau, apenas 13,3% planejam aumentar o ritmo de contratações em sua empresa nos próximos três meses, contra 79,1% que planejam manter o quadro atual e 5,6% que admitem reduzir o quadro de pessoal. A maioria dos estabelecimentos pesquisados é formado por microempresas, que empregam, atualmente, até 9 funcionários.

Fonte: Matéria Consultoria e Mídia – Nathália Barcellos

Pesquisa aponta que corrupção assusta empresários

Corrupção é o principal problema do país, segundo empresários joseenses

Pesquisa realizada em parceria entre ACI e Fapeti/ Unitau analisa as percepções do empresário diante da atual situação do país

A corrupção é o principal problema a ser resolvido no país, de acordo com a opinião dos empresários do comércio de São José dos Campos. Esse é o dado apontado pela pesquisa realizada pela ACI (Associação Comercial e Industrial) de São José dos Campos em parceria com a Universidade de Taubaté por meio da Fapeti (Fundação de Apoio à Pesquisa, Tecnologia e Inovação).

De acordo com o levantamento, 21% dos entrevistados acreditam que a corrupção é o maior problema, seguido de 13,5% que enxergam o desemprego como a principal dificuldade do país. Em terceiro lugar, está a educação, com 13,1% e, em seguida, com 12,4%, a crise política. A saúde foi apontada como a principal queixa para 12,1% dos entrevistados.

Os empresários também foram questionados sobre os impactos da crise política na economia brasileira. O aumento do desemprego foi o mais registrado, com 24,7% das opiniões. Em seguida, vieram a diminuição de vendas, com 13,5%, e o fechamento de empresas, com 11,3% das respostas. O aumento de impostos também apareceu entre as opiniões de 10% dos entrevistados.

Segundo o estudo, a crise causou a diminuição de vendas para 34,3% dos entrevistados. Para 14,5%, a situação econômica do país também tem resultado na inadimplência de clientes. Em terceiro lugar, com 8,3%, apareceu a dificuldade para pagamento em dia e, com 8%, ficaram os que enxergam dificuldade para manter empregos.

Na mesma rodada de perguntas, 25,3% dos empresários responderam que para o Brasil voltar a crescer, é preciso combater a corrupção. Com 14,4%, há o grupo que entende ser preciso trocar de governo, seguido dos que acreditam ser necessário promover a reforma política e controlar a inflação, com 9,4%. Por último, com 9,3%, há ainda os que acreditam ser importante reduzir os impostos.

Os dados foram coletados entre os dias 19 e 22 de junho, em 302 estabelecimentos da região central de São José dos Campos e dos shoppings Center Vale e Vale. O nível de confiança é de 95% e a margem de erro de 4 pontos percentuais para mais ou para menos. É importante ressaltar que cada entrevistado pode escolher mais de uma alternativa em cada pergunta realizada.

Fonte: Matéria Consultoria & Mídia

Brasil e Coréia do Sul em exposição fotográfica

Lagoinha oferece exposição de fotografias sobre Brasil e Coreia do Sul

A Unitau e a Fapeti (Fundação de Apoio à Pesquisa, Tecnologia e Inovação) realizam a exposição de fotografias com o tema “Belezas do Brasil e da Coreia do Sul” na Câmara Municipal da cidade de Lagoinha.

O evento ocorreu graças ao trabalho realizado no concurso de fotografia “A beleza do Brasil”, realizado no ano de 2016 pela Universidade de Taubaté em parceria como The Brazilian Cultural Center in Korea (BCCK). A exposição teve início na sexta-feira, dia 26.

Eidy Landim

Uma das vencedoras do concurso e que tem suas fotografias expostas no evento, Eidy Landim, aluna do 7º semestre de Jornalismo, fala sobre a grande realização de ter seu trabalho presente na exposição. “O sentimento que fica é de gratidão e de muita felicidade por todos que estiveram presentes e também pela Universidade que promoveu está oportunidade” conta.

A Câmara Municipal de Lagoinha está localizada na Rua Benedito Freire, número 75. O evento é gratuito a todos e se estenderá até o dia 13 de junho. Os horários de funcionamento são entre 8h30 às 11h e 12h30 às 16h.

Fonte: Joyce Dias

Pesquisa ACI-Unitau para o Dia das Mães

Consumidor prevê gastar até R$ 200 nas compras para o Dia das Mães

Pesquisa ACI-Unitau revela de quase 80% dos consumidores de São José planeja comprar presentes nas lojas da cidade neste Dia das Mães

Uma boa notícia para o comércio: apesar dos efeitos da crise, quase 80% dos consumidores de São José dos Campos pretende comprar presentes para o Dia das Mães nas lojas e shoppings da cidade. O tíquete médio de compras deve girar na faixa de R$ 100 a R$ 200.

As informações constam de pesquisa feita pela Associação Comercial e Industrial de São José dos Campos, feita em parceria com a Universidade de Taubaté, por meio da Fapeti (Fundação de Apoio à Pesquisa, Tecnologia e Inovação), sobre a expectativa de compra dos consumidores da cidade para o Dia das Mães. A pesquisa ouviu 463 pessoas em diversas regiões da cidade –praça Afonso Pena, Calçadão da Rua 7, rua 15 de Novembro e shoppings CenterVale e Vale Sul.

O levantamento foi realizado entre 24 e 28 de abril e a margem de erro é de 4,5 pontos percentuais para mais ou para menos.

“O resultado da pesquisa ACI-Unitau traz ânimo para o comércio de São José dos Campos frente a uma data importantíssima, o Dia das Mães. Confirmados os números, teremos uma recuperação nas vendas, um sinal de que a economia está reagindo e as pessoas estão recuperando, mesmo que aos poucos, seu poder de compra”, disse Humberto Dutra, presidente da ACI.

O resultado é um raio X da expectativa do consumidor em relação a uma das datas mais importantes para o comércio.

Dos 463 entrevistados, 364 (78,6%) disseram que pretendem comprar presente para o Dia das Mães. Dos 21,4% que responderam negativamente, parte (37,4%) está desempregada, sem ocupação ou sem remuneração fixa.

E o que os consumidores pretendem comprar? Roupas e acessórios dominam a preferência dos consumidores, com 32%, seguido de perfumes e cosméticos (18,7%), bolsas e acessórios (10,1%), calçados (9,4%), jóias e bijuterias (4,2%) e eletrodomésticos e móveis (3,9%). 21% responderam que pretendem comprar outros tipos de presentes.

Entre os consumidores que planejam comprar presentes, 86,8% pretendem gastar até R$ 200. Esse universo é formado por 34,3% que esperam ter um tíquete de R$ 100,01 a R$ 200, 27,5% que planejam gastar de R$ 50,01 a R$ 100, 18,7% que admitem compras de R$ 30,01 a R$ 50 e 6,3% que disseram ter em mente um gasto de até R$ 30. Do total, 13,2% planejam gastar mais de R$ 200.

Pagamento

A pesquisa ACI-Unitau aponta ainda que a maioria dos consumidores deve optar pelo pagamento à vista (72,9%), principalmente por meio de cartão de débito ou dinheiro (70%). Nenhum dos entrevistados se manifestou por fazer pagamento por meio de cheque.

O levantamento também levantou onde os consumidores planejam fazer as suas compras para a data. A maioria dos entrevistados respondeu que pretende fazer compras nos shoppings (46,2%), seguida da opção lojas do centro (36,5%).

Na geografia das compras, uma curiosidade: a maior parte das mulheres ouvidas prefere fazer suas compras no centro (47%), enquanto os shoppings são preferidos por 100% dos adolescentes.

Fonte: Matéria Consultoria & Mídia – Nathália Barcelos