Bullet lança plataforma inédita para revolucionar e democratizar campanhas promocionais

Agência lança Pode®, uma plataforma para anunciante criar promoção em minutos com todo backoffice da equipe Bullet

A Bullet, agência liderada por Fernando Figueiredo, nasceu e cresceu em um ambiente de engajamento, sempre pronta para criar soluções e mexer no ponteiro dos anunciantes para aumentar suas vendas. Entendendo o momento do mercado, o modelo de in-house agency e a data como o principal combustível para uma estratégia bem feita, a Bullet inova mais uma vez e lança a plataforma Pode®: um SaaS (Software as a Service) que permite dar acesso e poder para qualquer anunciante do País criar, orçar e implementar ações promocionais com o DNA Bullet em questão de minutos.

Fernando Figueiredo,

Para criar sua campanha promocional em poucos cliques, basta o anunciante acessar (www.podepromo.com.br) e inserir informações como briefing, verba, target, impacto, tipo de mecânica e prêmios, para a plataforma Pode® construir, na hora, tudo o que uma campanha promocional precisa para ir ao ar: detalhes operacionais e logísticos, BI e Plano de Operação, incluindo também layout, campanha de amplificação com estratégias digitais, Database Marketing e produção de material para ponto de venda. Com um processo e uma linguagem simples, basta escolher entre as opções sugeridas sem se preocupar com nenhuma burocracia legal.

Pode® é o primeiro produto lançado pela Bullet em seu MarketPlace, a área que a agência anunciou no começo do ano, que promete trazer ao mercado soluções mensais plug&play para ajudar os anunciantes a venderem mais. Pode® não será apenas um sistema. Será uma plataforma B2C e B2B2C que inclui data, banco de dados de shopper lovers, ferramenta de conversão e shopping. Pode® é a marca da Bullet para projetos ao shopper.

“Existe um universo enorme de anunciantes que não têm acesso a mecânicas inovadoras ou a agências que podem desenvolver ideias que trazem resultados. Criamos a Pode® para ser acessível a todos e para ser a solução completa para quem tem pressa e verba limitada. No entanto, projetos ainda mais elaborados poderão ser criados sob medida. Isso é só o começo. A plataforma começou a ser construída em agosto de 2020 e lança seu primeiro MVP (Minimum Viable Product) agora”, destaca Fernando Figueiredo, CEO da agência.

“A plataforma também busca auxiliar na redução das promoções informais, que muitas vezes são realizadas sem as autorizações necessárias, expondo anunciantes a penalidades jurídicas. Queremos democratizar a promoção e possibilitar o acesso aos anunciantes com verbas menores”, explica Cesar Leite, COO da Bullet.

A Bullet sempre foi pioneira no mercado e sempre criou tendências. Foi a primeira agência a realizar um programa de incentivo na internet (Compaq Mega Race), a primeira a usar mecânica de pincode em uma promoção, enterrando de vez o “envie para a Caixa Postal e concorra” (Conexão Gatorade), a primeira a colocar o prêmio dentro de um produto (iPod no Palito), a primeira a usar ChatBot do Messenger em uma promoção (Promoção Coca-Cola Fan Feat). A primeira a usar PicPay em uma promoção, substituindo os certificados de barras de ouro. E a primeira a usar WhatsApp Business em uma promoção (Beleza na Lata Coqueiro). Segundo pesquisa do Portal de Promoções, 4 das 10 campanhas mais acessadas no ano passado eram da Bullet.

Fonte: Bullet – Flavia Baccari

Share and Enjoy !

0Shares
0 0

Vaga para atuar como Assistente de Comunidade

Vaga de Assistente de Comunidade (CX – Social Media)

Sobre a vaga

 

A empresa procura uma pessoa apaixonada por animais, comunicativa, curiosa, ligada nos memes e assuntos do momento, fera em conteúdo, que goste de grandes desafios, vibra energia de inovação e se dê bem trabalhando em equipe para atuar em seu time de Customer Experience.

As responsabilidades serão:

– Relacionamento com os clientes nas redes sociais (mensagens, comentários, grupos, etc);

– Criação de conteúdos para as redes sociais;

– Planejamento, programação e análise de publicações nas redes sociais;

– Criação de posts para o blog;

– Criação de textos para ações e materiais ricos de endomarketing, inbound Marketing e Relacionamento;

É essencial que você tenha:

– Ensino técnico ou superior, cursando ou completo em Comunicação Social (Publicidade e Propaganda, Relações Públicas, Marketing, Jornalismo ou afins);

– Experiência em relacionamento com cliente, social media, pós venda, customer service;

– Conhecimento e experiência em marketing de conteúdo e SEO.

Será um grande diferencial se você:

– Possui experiência com e-commerce e marketplace;

– Tem conhecimento em processos de logística;

– Domina as ferramentas e recursos das principais redes sociais (Facebook, Instagram, Twitter e TikTok);

– Conhecimento em marketing digital;

– Metodologias de pesquisas de satisfação.

Se identificou? Então vem fazer parte de um dos maiores e-commerces do segmento pet do Brasil!

Atenção: Vaga presencial em São José dos Campos – SP.

Envie seu currículo para: rh@tudodebicho.com.br

Assunto: Assistente de Comunidade

Share and Enjoy !

0Shares
0 0

4 dicas para marcas e influenciadores criarem negócios juntos

Apostar em influenciadores nichados com o setor de atuação das empresas tem sido alternativa para marcas que querem se relacionar com seu cliente

O Brasil já é o sétimo mercado do mundo em marketing digital e movimentou algo perto de US$ 18 bilhões nessas plataformas no ano passado. Dentro desse universo, um setor que não para de crescer e vem conquistando marcas de todo o mundo é o do marketing de influência. As projeções para 2021 são de que esse mercado bata a casa dos R$10 bilhões.

Grandes marcas como Pedigree, Pizza Hut, Spoleto, Polishop, Coca-Cola entre outras, adotaram essa abordagem de marketing para promover os seus produtos e serviços, além de fidelizar e conscientizar o público para gerar ainda mais relevância e engajamento para a marca. A Menu – startup que conecta pequenos comerciantes a grandes distribuidores – apostou no marketing de influência dentro do seu nicho de atuação para criar campanha com influenciadores e nomes do empreendedorismo na área de food service. Entre eles, estão donos de restaurantes e participantes de realities de culinária, como o Mestre do Sabor e o MasterChef.  

Imagem de Gerd Altmann do Pixabay

Segundo Peter de Albuquerque, diretor de criação e branding da Menu, essa prática estabelece maior proximidade com os consumidores. “Nossos clientes são de uma cadeia muito segmentada, por isso escolhemos influenciadores a dedo, para dialogarem diretamente com o nosso consumidor final. Só para se ter uma ideia, durante sete semanas de campanha, notamos um crescimento significativo em todas as redes sociais da empresa. Conquistamos mais de 15 mil seguidores, aumentamos o engajamento, compreensão do produto e do nosso propósito por parte do público, além de termos gerado mais tráfego para o  nosso marketplace”,comenta. 

O especialista separou 4 dicas para orientar startups e empresas que desejam começar a usar esse tipo de estratégia, confira:

1: tenha em mente como funciona o trabalho do marketing de influência

No Brasil, 45% das pessoas afirmaram já ter comprado algum produto por indicação de suas personalidades favoritas. É importante entender como é o trabalho dos influenciadores e ter em mente que o ideal é que eles construam uma afinidade com os seguidores da sua marca. Não é apenas um merchan da empresa ou do produto, mas construir narrativas para uma aproximação que gere confiança, e consequentemente, vendas. 

2: escolha os parceiros com estratégia – e não apenas porque são famosos

Muita gente liga a palavra influenciador apenas às grandes celebridades da internet. No entanto, a verdade é que as empresas têm muitos tipos de parcerias que podem ser feitas. A dica principal está em encontrar alguém que faça sentido para a sua marca e isso deve ser feito por meio de um mapeamento dos influenciadores do seu segmento, quem são as pessoas que fazem a cabeça dos seus consumidores, quais os tipos de conteúdos que seus potenciais consumidores seguem, entre outras ações.

É preciso levar em conta qual é o objetivo da campanha de Marketing de Influência, além do tamanho da sua empresa e da sua verba. Os micro influenciadores podem ser mais úteis em uma campanha de marketing de influência B2B, por exemplo. No caso de uma venda mais complexa e com um ticket maior, um vídeo de um especialista testando seu produto ou uma celebridade indicando os diferenciais pode fazer mais sentido. 

3: seja criativo e divulgue sua campanha em múltiplos canais

Cada vez mais, as pessoas desejam mensagens reais e verdadeiras, portanto uma dica é ser criativo. Vale lembrar que uma estratégia de Marketing de Influência pode envolver apenas um influenciador, mas uma campanha de sucesso deve englobar múltiplos canais para aumentar o alcance da sua mensagem. Se pretende utilizar mais influenciadores, crie um diálogo entre suas comunicações, uma hashtag, e garanta que as ações não se tratem apenas de uma publicidade.

4: acredite e invista em novos protagonismos

Contar novas histórias e cotidianos é fundamental para trazer um tom singular à sua marca ou campanha. Além disso, essa postura contribui para a chegada de novos nomes ao mercado de influência.

Share and Enjoy !

0Shares
0 0

Deu match! Startup conecta empresas a prestadores de serviços digitais e movimenta R$ 5 milhões em dois anos

Plataforma da Clint funciona como “Tinder do marketing digital” e garante super matches de negócios

O mundo já é digital, e a pandemia da Covid-19 potencializou e impulsionou ainda mais este mercado. De acordo com a CMO Survey publicada em junho de 2020, os profissionais de marketing nos Estados Unidos relataram 85% mais abertura para introduzir ofertas digitais aos clientes durante a pandemia. Outro dado presente na pesquisa é que os orçamentos de marketing não caíram na mesma proporção que outros setores da organização, atingindo uma média de 12,6% do orçamento e 11,4% da receita da empresa.

Em meio a novas oportunidades no universo digital e o contexto global de isolamento social, a Clint reforça sua presença no mercado em busca da organização do caos digital em três frentes: educação do mercado, aceleração de vendas e a criação da plataforma que conecta prestadores de serviços digitais a empresas.

André Bernet, CEO da Clint

Fundada em 2011 como agência especializada em geração de sites, posteriormente a Clint migrou para o inbound marketing e outros serviços de transformação digital. Em 2018, passou a ser um marketplace com uma plataforma que direciona as necessidades das empresas clientes para prestadores de serviços digitais qualificados — de freelancers a agências. Em 2018 e 2019, a Clint movimentou aproximadamente R$ 5 milhões em negócios fechados na plataforma e em 2021, prevê movimentação de até R$ 15 milhões. Estes valores são consequência de mais de 1.500 prestadores de serviços cadastrados e 100 mil usuários presentes no ecossistema Clint e que confiam na solução prestada pela empresa.

A tecnologia do “match” da Clint utiliza inteligência artificial para identificar o perfil e as necessidades das empresas que acessam a plataforma e cruza essas informações com seu banco de dados, onde estão informações dos prestadores de serviço. O resultado final aponta três prestadores de serviços digitais que a empresa pode escolher contratar. Desta forma, de um lado a tecnologia permite acelerar os processos de venda dos prestadores de serviço e em outro, que empresas encontrem tais prestadores de forma mais satisfatória.

Para ter um “super match”, com eficiência garantida, a Clint exige que os prestadores tenham registro de, pelo menos, três meses de serviços realizados para cada segmento em que se consideram especialistas. No caso de empresas recém cadastradas na plataforma, basta inserir registros de serviços feitos sem intermédio da Clint.

A mudança de atuação para marketplace ocorreu em 2018 a partir de uma análise estratégica das necessidades do setor e capacidades da Clint. “Após atender clientes como Lenovo, Carmen Steffens e Vtex, ficou claro pra gente que o nosso objetivo era ir além e passamos a ensinar outros prestadores de serviços digitais a melhorar a sua forma de atuar. Logo na sequência, começamos a fazer as conexões entre empresas que precisam melhorar marketing e vendas, com soluções que as ajudem a atingir os seus objetivos, mais um grande passo foi dado. Os resultados estão aparecendo e a nossa vontade de impactar o maior número de empresas e pessoas cresce a cada dia”, aponta o CEO da Clint, André Bernert .

O terceiro passo que a Clint realizou, foi criar um ambiente, a plataforma, para que esses prestadores de serviço pudessem acelerar as suas vendas através de uma série de funcionalidades. Os prestadores de serviço podem prospectar clientes, enviar propostas e receber pagamentos através de cartão ou boleto, além de poder realizar ligações através de telefonia digital nativa e enviar emails.

A solução ainda possibilita que o vendedor lide com diversas cadências de ações comerciais, conforme o segmento da empresa e complexidade de seu processo de vendas. “O que também é interessante em nossa plataforma, é que este processo de vendas não é exclusivo para os leads que vem da nossa solução e sim de qualquer negócio que o prestador de serviço queira incluir”, afirma Bernet.

A facilidade e a rapidez nos processos da plataforma, são trunfos que atraem clientes de perfis diferentes, desde agências, consultorias, prestadores de serviços autônomos e empresas de grande porte. Nesta última categoria, a Clint já atendeu empresas como Minister, TOTVS, Boxnet, Weduka e Pessoalize.

É por isso que “ao analisar mais de 4.000 projetos abertos na nossa plataforma, ficou ainda mais claro que o mercado precisa de soluções como a Clint, para que empresas consigam contratar serviços complexos que as ajudem a melhorar marketing e vendas. Hoje, para pedir comida você usa o iFood, para se deslocar, o Uber, para comprar um livro, a Amazon e para encontrar um bom prestador de serviço digital? As empresas pedem indicações, pesquisam no Google e depois, não possuem um canal para reportar se a sua experiência com aquele parceiro foi boa ou ruim. Trabalhamos para promover conexões de sucesso que ajudem o mercado a crescer”, complementa Bernert.

A plataforma, que estava em uso apenas para clientes já cadastrados, está aberta ao mercado desde fevereiro de 2021, com isso, a Clint espera impulsionar as conexões entre prestadores de serviços digitais e empresas, movimentando de R$ 10 a R$ 15 milhões. Para 2022, a previsão é de até R$ 50 milhões de reais em movimentações dentro da plataforma.

Fonte: Dialetto – Aline Ramalho

Share and Enjoy !

0Shares
0 0

Vaga de estágio para atuar em marketplace

Rede de shoppings abre vaga de estágio

A Terral Shopping Centers está buscando um estagiário para atuar em marketplace. A vaga é para Guaratinguetá Confira abaixo na arte os requisitos da vaga.

Share and Enjoy !

0Shares
0 0

Grupo AD, Taubaté Shopping e Shopping Pátio Pinda promovem evento

O Grupo AD junto ao Shopping Pátio Pinda e ao Taubaté Shopping promovem evento online de lançamento da Alugue-on, plataforma para locação de áreas comerciais

Com o objetivo de trazer modernidade e praticidade para novas oportunidades de negócios no setor, o Grupo AD em parceria com o Shopping Pátio Pinda e o Taubaté Shopping realizará um evento online, no dia 20 de janeiro, quarta-feira, às 16h, para anunciar o lançamento de sua nova plataforma de marketplace, a AlugueOn, para locação de áreas comerciais, como lojas, quiosques e espaços de mídias – e amplia as oportunidades de negócios de locação em apenas um clique.

O evento que além de apresentar a novidade no setor, também reunirá especialistas do varejo, e contará com participações especiais como André Friedheim, Presidente da Associação Brasileira de Franchising (ABF), que conta com mais de 25 anos de experiência na área de projetos de consultoria e gestão nas áreas de franchising, varejo e canais de distribuição; Glauco Humai, Presidente da Associação Brasileira de Shopping Centers (Abrasce), que com sua sólida trajetória profissional atuando no setor público e privado, tanto no Brasil como no exterior, contribuirá trazendo um panorama do cenário de shopping centers, além dos desafios e perspectivas para o setor.

Também estão confirmadas as presenças de profissionais renomados do setor, como Julio Trajano, Diretor Executivo de Esportes do Magalu, Mitikazu Koga Lisboa, fundador e CEO da Hive e co-fundador da Digital Battelgrounds, a maior rede de arena e-sports do pais, Pierre Berenstein, presidente da Bloomin’ Brands Internacional no Brasil, como também de Helcio Povoa, CEO do Grupo AD e Magali Sanches, Diretora Comercial do Grupo AD.

“Os avanços nas relações do comércio e serviços demandam cada vez mais por estratégias que invistam no omnichannel, especialmente neste cenário, onde a expansão de soluções digitais foi acelerada por conta de tudo que vivemos em 2020. É esse olhar de transformações e perspectivas que queremos trazer para este evento, promovendo discussões de qualidade, além de apresentar a AlugueOn, que chega em um importante momento para esse mercado trazendo o ineditismo em marketplace especializado na disponibilização de espaços comerciais, e uma solução moderna e que traz praticidade para novas oportunidades de negócios no setor ”, afirma Magali Sanches, Diretora Comercial do Grupo AD.

SERVIÇO
Live AlugueOn – O marketplace da locação
Quando: 20 de janeiro de 2021
Horário: 16h
Onde: canal da AlugueOn no Youtube

Fonte: Communicare – Camila Dezze

Share and Enjoy !

0Shares
0 0

Kantar lança solução para análise de eficiência de mídia digital que traz insights a partir de 24 horas

Context Lab ajuda marcas a entender quais são os contextos digitais que trazem a melhor performance

A Kantar acaba de lançar, por meio do seu Marketplace, uma nova versão da solução Context Lab, que auxilia a identificar os melhores contextos para as propagandas digitais feitas por uma marca.

A solução ajuda a responder perguntas importantes, seja nas propagandas digitais tradicionais, conteúdo patrocinado e até marketing de influência:

· Quais são os contextos com melhor performance para a minha marca?

· Como posso otimizar o conteúdo das minhas peças para maximizar a performance por contexto?

O foco dessa nova versão é agilidade, rapidez e insights aprofundados, tudo dentro de uma plataforma digital, a Marketplace Kantar:

· Resultados em 24 – 72 horas

· Possibilidades de comparar resultados entre Facebook e Youtube

· Possibilidades de testar conteúdo patrocinado e de marketing de influência, além de formatos tradicionais do mundo digital

“Com o investimento em digital aumentando a cada ano – e principalmente com o crescimento de formatos não tradicionais como influenciadores e conteúdo patrocinado – poder ter a confiança de escolher os ambientes de publicidade corretos, de forma rápida e fácil, é essencial para garantir campanhas mais eficientes”, afirma Juliano Piccoli, diretor e líder do Marketplace para a Kantar.

Veja mais sobre a solução Context Lab na Kantar Marketplace.

Fonte: Comuniquese – Marisa Ramazotti

Share and Enjoy !

0Shares
0 0

Empresa busca Assistente de Marketing

Vaga para Assistente de Marketing

Disponibilidade de início imediato

Photo by Andrew Neel on Unsplash

Superior completo em Marketing ou cursando a partir do 7º semestre
Noções de marketplace
Domínio em pacote Adobe (Photoshop principal)

Vontade de crescer na área

Noções de integração de ERP será um diferencial

Horário comercial, segunda a sexta, 44h horas semanais
Salário inicial: R$ 1300,00 ( Possibilidade de reajustes por projeto)
Empresa localizada em São José dos Campos

Interessados enviar currículo para paulo.lamar@superimportadora.com.br com o assunto “Vaga Assistente”

Share and Enjoy !

0Shares
0 0

Para evitar erros no e-commerce

Especialista destaca 5 erros comuns nos sites de comércio eletrônico

Erros técnicos, de navegabilidade e até de SEO são capazes de prejudicar os negócios onlines; saiba como se prevenir

Imagem de justynafaliszek por Pixabay

O número de vendas pela internet está crescendo exponencialmente, seja por meio das lojas virtuais ou dos marketplaces. De acordo com previsão da Abcomm – Associação Brasileira de Comércio Eletrônico, o comércio eletrônico brasileiro deve crescer 16% até o final de 2019 e o volume de vendas deve chegar a R$ 79,9 bilhões.

Cada vez mais, o nível de concorrência que os empreendedores enfrentam no mundo digital também aumenta e para driblar esse cenário é preciso estar atento às novidades do mercado e tecnologias que ajudam o lojista durante sua jornada empreendedora – além de construir uma estratégia eficaz para as vendas pela internet.

“O lojista online pode perder vendas por conta de detalhes pequenos e por isso é fundamental estar de olho em toda jornada do cliente. Problemas com rastreabilidade, imagens dos produtos e estrutura de URL são comuns em sites de e-commerce e podem ser resolvidos antes de causar um problema maior para o empreendedor”, explica Frederico Flores, especialista em marketplace e head de Negócios da Becommerce – maior plataforma para gestão de vendas em marketplace da América Latina.

A Becommerce em parceria com o Mercado Pago e a SEMRush – ferramenta de web analytics responsável por entregar dados consolidados sobre buscas de usuários e posicionamento no Google – preparou um e-book com os 80 Erros Mais Comuns nos Sites de E-commerce. Foram analisados cerca de 1300 lojas online, procurando 80 erros técnicos e de SEO capazes de prejudicar as vendas pela internet. Frederico Flores separou abaixo os 5 principais erros e dá dicas de como os lojistas podem otimizar seus negócios.

Rastreabilidade: é importante que seu site seja fácil de rastrear. Se o seu conteúdo/página não puder ser rastreado por quaisquer motivos, ele não será indexado no Google e o seu site não será exibido nos resultados de pesquisa dos consumidores. Esse é um erro comum que deve ser visto como prioridade por quem vende pela internet.

Estrutura de URL: o Google recomenda manter a estrutura da URL simples, para que tanto os rastreadores – robôs – quanto os humanos possam lê-los. Uma dica é usar hífens ao invés de underlines, e garantir URLs curtas e com poucos parâmetros pode ajudar também a melhorar a legibilidade do seu site.

Segurança de implementação de HTTPS: a segurança do site é uma alta prioridade para lojas virtuais. Um navegador que sinaliza uma conexão insegura pode assustar seus clientes e impedir a compra. Migrar para HTTPs pode ser um desafio, mesmo para as grandes empresas de comércio eletrônico. A maioria dos sites analisados possui páginas com links para a versão antiga (HTTP) e páginas com conteúdo misto, portanto, os mecanismos de pesquisa não sabem se a página é segura.

Desempenho de site: a velocidade de carregamento do seu site afeta a experiência do usuário e sua classificação nos mecanismos de pesquisa. Os relatórios mostram que, para cada segundo de demora no tempo de carregamento, você pode ver uma redução de 7% nas conversões.

Imagens: imagens quebradas podem causar problemas para qualquer site, mas quando se trata de e-commerce, a falta de imagens quase sempre resulta na perda de dinheiro. Imagens amadoras, tremidas ou desfocadas também podem afastar o seu consumidor na hora de fechar a compra. Invista em fotos profissionais dos produtos, aposte em ângulos diferentes e não esqueça de colocar as infos do item, como tamanho, altura, etc – isso ajuda o consumidor a ter uma visão mais real do produto que irá receber.

Fonte: Agência NoAr – Henrique Rodrigues

Share and Enjoy !

0Shares
0 0

Procura por produtos promocionais deve crescer 15% no segundo semestre

Estimativa é do portal Free Shop, maior marketplace brasileiro de brindes, materiais e serviços para eventos e ponto de venda

Com a proximidade do Natal e das festas de final de ano, empresas do setor de Live Marketing já sentem aquecimento na procura por produtos promocionais. A expectativa é de que a busca por esses itens cresça 15% em relação ao ano passado, segundo o portal Free Shop, maior marketplace brasileiro de brindes, materiais e serviços para eventos e ponto de venda. “O segundo semestre do ano é sempre mais movimentado para o segmento, pois é o momento em que as empresas mais compram brindes e realizam ações”, explica Auli De Vitto, diretor geral da Forma Promocional, empresa responsável pelo portal Free Shop e pela feira Brazil Promotion.

As empresas têm apostado na utilização de brindes e em ações personalizadas, criativas e inovadoras para divulgar e aumentar o recall das marcas, além de engajar os clientes. “Na hora de escolher o item ideal é importante tentar sair do lugar-comum, oferecendo algum diferencial para o público”, enfatiza De Vitto.

O Free Shop registrou mais de 103 mil orçamentos no primeiro semestre deste ano. O aumento foi de aproximadamente 15% em comparação ao mesmo período de 2017. Pesquisa realizada pelo portal no ano passado indica que o investimento médio por empresa era de R$ 50 mil, podendo aumentar mais de 32% em 2018.

Contudo, na hora de definir um produto promocional não basta escolher qualquer coisa. As empresas devem ficar ligadas nas tendências para identificar o que seus consumidores mais gostam. Produtos com a marca aparente estão sendo substituídos por itens de grifes bem discretos, com identificação na parte interna do brinde. Segundo De Vitto, o cliente continua fã das grifes mundialmente conhecidas, mas não quer parecer um outdoor ambulante. Por conta disso, as companhias estão transferindo seu prestígio para produtos promocionais que gerem essa percepção positiva.

Outra novidade em alta são os brindes contra roubo, como por exemplo, mochilas e sacolas com sistemas de segurança que dificultam o acesso a laptops ou celulares. Os itens multiuso ou integrados também despertam grande procura. Neste campo, destacam-se mochilas com powerbank integrado, permitindo ao usuário utilizar o celular, enquanto ele está sendo carregado por um sistema de energia dentro da bolsa.

A tecnologia está sempre em evidência no setor promocional. Com objetos cada vez mais acessíveis e abrangentes fica mais fácil proporcionar ao público-alvo experiências adequadas aos objetivos da marca. Os óculos 3D e os recursos de realidade aumentada e virtual comprovam esta vertente. “Os avanços tecnológicos sempre constituíram um diferencial no segmento. As marcas podem aproveitá-los de diversas formas como, por exemplo, dar ao consumidor óculos 3D e proporcionar acesso à realidade virtual com conteúdos exclusivos”, enfatiza De Vitto.

Produtos alimentícios como cup cakes, caixas com chocolates ou doces especiais também estão em evidência. Além de fugirem do comum, possibilitam o uso de embalagens especiais e têm boa aceitação do público.

Fonte: Lucia Faria Comunicação Corporativa – Tatiane Oliveira

Share and Enjoy !

0Shares
0 0