Curtas. E boas!

Bia Breves, publicitária com origem no mercado do Vale do Paraíba acaba de ser promovida a Executive Creative Director na TrackDDB do Canadá.

Parte da diretoria da Associação dos Profissionais de Propaganda (APP) Vale do Paraíba reuniu-se na última terça feira em Taubaté para traçar planos para 2022. Estiveram presentes Arison Sonagere (Atributo Branding/Anhanguera), Eduardo Spinelli (ALESP), Josué Brazil (Publicitando/Unitau), Roberto Rezende (Box 28) e Thiago Alves (Verge). A reunião deve se repetir em breve em SJCampos.

O apresentador Otaviano Costa assinou com SBT e Discovery para apresentar a competição de culinária “Cozinhe se Puder – Mestres da Sabotagem”. A estreia marca o retorno de Otaviano Costa para TV.

A Coca-Cola está em prestes a lançar uma bebida alcoólica em parceria com a Corona. A nova bebida será a segunda não-alcoólica da marca a ganhar uma versão alcoolizada. Com o nome de Fresca Mixed a bebida ainda não tem data para chegar ao mercado.

A exposição fotográfica ‘Rio a fora, rio a dentro – um olhar para o rio Paraíba do sul’ desembarcou no Buriti Shopping Guará desde quinta-feira, dia 13, para uma temporada de um mês, em Guaratinguetá. A mostra é gratuita e leva o visitante para a história, beleza e encanto do principal rio, que banha os estados de São Paulo, Minas Gerais e Rio de Janeiro.

Com o “boom” do streaming e vídeos, o audiovisual é o futuro para as marcas

Por Leandro Alvarenga, CEO da Prime Arte*

Está cada vez mais evidente que o setor audiovisual está passando por transformações drásticas em suas formas de produção. As plataformas de streaming, que já estavam crescendo antes da pandemia, tiveram seu papel potencializado durante o confinamento da pandemia. Já a comunicação entre público e marcas constantemente está sendo feita via vídeos gravados de formas espontâneas nas redes sociais, sem a necessidade de uma grande produção de marketing. Dentro deste cenário, qual o futuro das produções audiovisuais?

Primeiramente, é interessante analisar que, durante o período de isolamento, o consumo de conteúdos audiovisuais se tornou um hábito diário, – de acordo com um estudo divulgado pela Kantar IBOPE Media, quase 99% dos brasileiros assistiram à plataformas de streaming, TV, lives, redes sociais e videochamadas todos os dias. Por isso, diversas empresas começaram a investir neste tipo de plataforma, incentivadas pelos novos comportamentos dos consumidores. A explicação para esse fenômeno é a simplicidade em que esses conteúdos chegam às pessoas de forma muito confortável, já que agora é possível ter acesso a lançamentos de filmes e séries direto de casa por um valor mais barato, ou assistir suas celebridades favoritas muitas vezes ao vivo pela tela do smartphone.

Além disso, as novas produções cinematográficas e a visualização intensa de vídeos já são uma realidade que veio para ficar mesmo após o fim de qualquer traço da pandemia. O novo normal para os cinemas são, de fato, as plataformas de streaming. Observe que, no Oscar de 2021, os filmes produzidos por esses serviços conseguiram ultrapassar os estúdios tradicionais, com mais de 40 indicações à estatueta. Isso confirma o que muitos esperavam: as salas de cinema vão continuar a existir, mas com menos força e relevância.

Já as marcas descobriram que o formato de vídeos só beneficiaram os negócios ao notarem o poder da conexão criada com o seu público nesse período. Ainda assim, o papel das produtoras audiovisuais não muda, apenas se adapta. Nesse movimento de transformação, o audiovisual e seus profissionais são o futuro. O mundo gira em torno de imagem e som.

É importante que as empresas comecem a arriscar e acompanhar as mudanças digitais, modificando seus processos, soluções e produtos. O modelo tradicional com que o audiovisual foi consagrado já não é viável. Agora, além da qualidade de um vídeo não ser o mais importante, e sim, a mensagem que ele traz, qualquer pessoa com um celular na mão, um programa mediano de edição e um bom olho, pode produzir algo eficiente e poderoso.

Imagem de Tumisu do Pixabay

O mercado abriu um leque maior de oportunidades, até para aqueles que não possuem um background relevante de cinema ou de TV, mas dispõem de ferramentas tecnológicas capazes de sobrepor a qualidade da produção audiovisual. Muitas vezes, tornando-a algo secundária, portanto esse nicho precisa caminhar conforme as outras áreas. A comunicação atual demanda tecnologia. Cada vez mais os consumidores querem ver conteúdos personalizados, que sejam direcionados para os seus interesses, e muitas marcas já entendem isso.

O streaming e a nova forma de consumir vídeos não devem ser interpretadas como uma ameaça para o audiovisual. Essa realidade veio para ampliar o potencial desse setor, expandindo cultura e informação, inovando em criatividade e inclusão, e gerando empregos. Não há o que temer, porém, é melhor que todos se preparem. O momento pós-pandemia para o segmento será muito mais digital.

*Leandro Alvarenga é CEO da Prime Arte, produtora audiovisual especialista em tecnologia

Sincrorizar campanha digital com off é possível

Sincronização de campanha no ambiente digital com o anúncio na TV ou Rádio. Já ouviu falar?

Se tem uma coisa que não falta em mídia digital é novidade. A todo momento, aparece uma nova tecnologia que surge pra facilitar a vida das pessoas e tornar fácil aquilo que até então talvez fosse impensável.

A comunicação de marcas no ambiente digital evoluiu de igual forma e a cada dia que passa, mais e melhores maneiras de impactar os consumidores são apresentadas ao mercado anunciante.

Sabemos que as pessoas vivem grudadas ao celular o dia todo. Talvez deixem ele de lado ali, somente na hora de dormir. Talvez nem isso. O consumo médio diário hoje é de 10h04m olhando para a tela de um smartphone. Sabemos também que é bastante comum e que mais de 70% dos internautas brasileiros assistem, por exemplo, a TV enquanto também navegam pela tela de um celular.

E é aí que entra o TV Sync da OPL. Uma tecnologia à disposição de marcas, de produtos e serviços que vai além dos recursos tradicionais existentes da comunicação das marcas e que bem explora todos os limites da mídia programática.

E como ele funciona? De modo prático, assim que o anúncio da marca entra na TV, a campanha é lançada também no ambiente digital, para o target escolhido e na tela do Smartphone.

Existem três jeitos de se apropriar da solução de Sync:

1 – Reimpactando o target na tela do celular, assim que ele ver na TV o filme da marca
2 – Utilização de Guerrilha, implementando na ferramenta termos para captação de áudio
3 – Se apropriando de um território ou programação. Por exemplo, se você quiser associar a sua marca com programas de culinária ou futebol, assim que o target for impactado por esses programas, em qualquer canal, receberá o Reimpacto na tela do Smartphone.

Ah, mas será que isso faz algum sentido?

Quase 30% das pessoas que visualizam um comercial na TV tendem a procurar por informações online sobre o assunto. Sincronizando as plataformas, transformar o usuário interessado em um clique ou uma conversão para sua marca torna-se muito mais fácil. Aumento de CTR%, visita e por consequência, venda.

Além da TV, essa tecnologia também permite sincronizar a campanha do digital com o Rádio. É o que chamamos de Rádio Sync. Desta vez, o áudio emitido pelo rádio é captado pela fermenta e a mensagem aparece na tela do smartphone.

A OPL DIGITAL tem cases incríveis para clientes que utilizaram a TV Sync ou o Rádio Sync em suas campanhas. Chegou-se a resultados em que a taxa de vistas de um site foi duplicada, quadruplicadas as conversões de um site e um outro em que a taxa de rejeição de um site caiu 65%.

Fonte: creativosbr – Sophia Furlan

Vaga na Rede Vanguarda

Vaga na Vanguarda para Motion Designer Pleno

Atribuições:
– Desenvolver artes estáticas e animações para telejornais ou campanhas da tv
– Operar sistemas de exibição de artes e ilustrações, ao vivo, durante os telejornais
– Desenvolver processos tecnológicos de automação de interatividade, ligados à produção de jornalismo
– Criar linguagens visuais para programas e telejornais
– Interagir com equipes técnicas e atuar em conjunto na criação de soluções web e aplicações
– Desempenhar as demais função de videografismo

Requisitos:
– Noções estéticas
– Criatividade
– Conhecimento/familiaridade com HTML/CSS e linguagens de programação, como Python, Javascript ou similares.
– Conhecimento no Pacote Adobe (After Effects, Photoshop, Animate ou similares

Diferenciais:
– Curso superior em design, comunicação ou tecnologia
– Experiência na área
– Conhecimento em ferramentas 3D

Detalhes e remuneração:
– Contratação CLT
– Jornada de 44 horas semanais
– Vale-refeição
– Convênio Médico

Os currículos poderão ser encaminhados para rh@vanguarda.tv – Assunto: Vaga de Motion Designer Pleno.