Programas de fidelidade na era digital

Programa de fidelidade na Era Digital traz mais benefícios às empresas do que apenas reter clientes*

Todo mundo já participou de ao menos uma promoção na qual você volta 10 vezes ao estabelecimento e ganha um produto ou serviço. Pode ser um corte de cabelo, uma lavagem completa no carro ou o almoço do dia. Quase todo brasileiro já teve ao menos uma dessas cartelinhas semi-preenchidas em sua carteira. E alguns conseguiram resgatar seu prêmio. Essa é uma das formas mais simples de se fazer um programa de fidelização de clientes. A prática busca fazer com que os consumidores voltem mais vezes ao estabelecimento, criando um relacionamento duradouro.

Jailson Ramos, gerente da Lealis

E clientes que retornam para o seu negócio são os melhores clientes! Isso porque custa entre 6 e 7 vezes mais conseguir um novo cliente do que reter um que já conhece seu negócio. Clientes recorrentes gastam, em média, 67% a mais que os novos. Além disso, a probabilidade do cliente antigo converter uma venda fica entre 60 e 70%, enquanto o novo cliente tem apenas 5 a 20% de chance. Os dados são da Selfstartr.

Além das clássicas cartelinhas, existem também os planos mais sofisticados, que trabalham com pontuações e recompensas. Os primeiros planos deste tipo nasceram com as companhias aéreas norte-americanas, quando em junho 1980, a Western Airlines lançou um programa que dava 50 dólares de desconto a cada 5 viagens realizadas pelo passageiro na rota Los Angeles-São Francisco. Em maio de 1981, a American Airlines lançou o Aadvantage, programa de pontuação que tinha como objetivo fidelizar clientes através de descontos e upgrades nas passagens aéreas.

Depois das companhias aéreas, os programas de pontos das operadoras de cartões de crédito também passaram a fazer muito sucesso. Hoje, programas de fidelização e troca por recompensas fazem parte da rotina de grandes redes. A ferramenta, quando bem empregada, é capaz de aumentar vendas e melhorar o relacionamento com o cliente. E graças às novas tecnologias do mercado, esses programas apresentam excelentes resultados também para pequenas e médias empresas.

Segundo a ABEMF (Associação Brasileira das Empresas do Mercado de Fidelização), de 2016 para 2017, houve um crescimento de 24% no número de cadastros realizados, chegando a mais de 100 milhões. A quantidade de pontos ou milhas emitidas teve um aumento de 25% dentro do mesmo período. Isso mostra o peso deste mercado.

Com os novos recursos, os programas de pontos e recompensas passaram a ser uma importante ferramenta de fidelização e relacionamento. Graças aos dados gerados pela ferramenta, é possível analisar o comportamento do consumidor e passar a oferecer descontos, promoções e recompensas cada vez mais personalizadas.

As novas plataformas de programas de fidelidade são, na verdade, um verdadeiro CRM. As soluções permitem entender melhor o seu cliente, estudar seus hábitos e, assim, conhecer melhor a sua empresa. O gestor pode descobrir quais são os dias e horários com mais movimento, prêmios mais resgatados, a frequência com que cada cliente visita a sua loja, etc. E o ideal é que o proprietário aproveite essa poderosa ferramenta e busque constantemente melhorar seu relacionamento com os consumidores.

Mais do que esperar o cliente vir e marcar pontos, hoje as plataformas permitem um trabalho contínuo para atrair e reter visitantes. Por exemplo: se você descobrir que as pessoas costumam visitar o seu negócio a cada 20 dias, pode criar uma promoção exclusiva para quem voltar para sua loja em um prazo menor, em uma semana, por exemplo. Podem ser pontos em dobro, um brinde ou desconto.

Trabalhe também com a personalização das recompensas. Entenda quais são os produtos mais consumidos por cada cliente e quais as recompensas favoritas. Ofereça prêmios que faça sentido para o consumidor e, sempre que possível, busque a exclusividade. O sentimento de ser um “cliente VIP” faz com que o consumidor se sinta valorizado e aproxime-se ainda mais de seu negócio.

Clientes satisfeitos, aumento nas visitas e um estudo detalhado sobre seu consumidor e suas vendas. Um programa de fidelidade pode trazer muito mais do que apenas uma mecânica de pontos. Em um mercado onde todo diferencial é essencial para destacar o seu negócio – independente do tamanho – acredito que valha muito a pena encontrar uma ferramenta e criar vantagens exclusivas para seu cliente. Os resultados serão visíveis.

*Por Jailson Ramos, gerente da Lealis, startup que atua com o desenvolvimento e consultoria diferenciada para serviços digitais e de inovação, produtos para fidelização, OCR, FR e desenvolvimentos de bots. Para mais informações acesse: www.lealis.com.br

Fonte: Conecte – Eliane Tanaka

Plataforma ajuda marcas a explorar o poder dos consumidores

Hive ajudará marcas a explorar o poder de influência dos consumidores com novo serviço

Plataforma Beepos tem referência em campanhas de member get member

unnamed-2

Investir no poder de influência dos consumidores tem gerado excelentes oportunidades para empresas, e o famoso “boca a boca” ganha ainda mais força com os avanços da tecnologia. A Hive Marketing Technology, uma das maiores desenvolvedoras de plataformas digitais da América Latina, transformou essa tendência em negócio com o Beepos, solução desenvolvida com referência em campanhas de member get member. Há três meses no mercado, já vem sendo utilizada no Brasil por estabelecimentos como Camargo Alfaiataria e unidades da Clinica de Estética Hollywood e Academia Overall, bem como a rede de concessionárias Mitsubishi, nos Estados Unidos.

Com o Beepos, a empresa utiliza o poder da rede de contatos de seus clientes, transformando-os em importantes canais de mídia. A ferramenta funciona na indicação de consumidores para o varejo, na qual um comprador indica o estabelecimento ou produto para um amigo. Quando este último adquire algo na loja, ambos são recompensados em futuras compras.

Para utilizar o Beepos, basta o estabelecimento possuir website ou ter um tablet em seu ponto de venda. Em qualquer desses espaços o cliente precisa se cadastrar e enviar um cupom que pode ser de desconto, brinde ou qualquer outro tipo de recompensa para um ou mais amigos.

“A plataforma vai muito além da indicação e conquista de novos consumidores as empresas. Ela é um importante serviço de Gestão de Relacionamento com o Cliente (CRM, sigla em inglês), permitindo aos estabelecimentos automatizarem importantes tarefas do dia a dia que envolvam a comunicação com seus clientes e com baixo custo”, explica Ming Ko, gerente de produto do Beepos.

Além dessas funcionalidades, o Beepos é um recurso administrativo responsivo, pois permite ao próprio lojista criar suas promoções sem a necessidade de ter que contratar uma agência. “A plataforma pode importar a base de dados do estabelecimento, possibilitando o uso, de forma prática e barata, como um canal de comunicação entre empresa e clientes”, ressalta Ming Ko.

De acordo com Marina Camargo, gerente de Marketing da Camargo Alfaiataria, com apenas três meses de uso já foi possível atrair novos clientes. “O Beepos está sendo uma ferramenta útil para a indicação de novos clientes, além de movimentar a interação com nossos atuais”, conta.

Sobre a Hive Marketing Technology:Empresa de tecnologia, reconhecida como uma das principais desenvolvedoras de plataformas digitais da América Latina. Atualmente, conta um time de mais de 50 pessoas altamente especializadas focadas na utilização de tecnologia, criatividade e inteligência de dados para o desenvolvimento de experiências digitais diferenciadas. Entre os projetos desenvolvidos, para empresas como Ambev, Cisco, Itaú, P&G e Twitter, estão promoções online, plataformas de gamification, games, aplicativos e projetos digitais dos mais diversos portes.

Fonte:Lucia Faria Comunicação Corporativa – Tatiane Oliveira

Novo emprego, novo cargo, novas funções

Mudança de emprego e o desafio de novas atribuições

Helena Bonésio, formada em jornalismo em 2010 pela Unitau, assume novo emprego na MAC Cosmésticos e passa a exercer o cargo de “Consumer Marketing Manager”. A nova função na nova empresa a torna responsável por publicidade, marketing digital e CRM.

Na área de publicidade cuidará de lançamento de produto, campanhas de varejo e abertura de lojas. No marketing digital trabalhará em campanhas online também de lançamentos, redes sociais e atendimento SAC 2.0. Já em relação ao CRM sua atuação envolve toda a parte de inteligência relacionada a perfil de clientes, segmentações, ações de fidelização e réguas de comunicação.

Helena Bonesio assume cargo de “Consumer Marketing Manager”

Helena Bonesio assume cargo de “Consumer Marketing Manager”

Helena atuou por 2 anos na Citroen e mais 2 anos na Hyundai, além de uma passagem de 5 anos pela Embraer

“O que me motivou a mudar de emprego foi o desafio de um mercado novo, de bens de consumo, em uma marca que tem uma ligação emocional extremamente forte com seus consumidores”, afirmou Helena.

Vaga de estágio para propaganda e/ou relações públicas

ABC Turismo abre vaga

Vaga de estágio para alunos de Relações Públicas e/ou Publicidade e Propaganda cursando segundo ou terceiro ano.

Ótima oportunidade de aprendizagem nas áreas de assessoria de comunicação, marketing, internet e CRM.

Carga horária: 30h/semana
Bolsa: R$ 665 + VT

Os interessados devem encaminhar CV para contato@abcturismo.com.br

Inteligência de Mercado com Carla Barreto

O passado e o futuro da Inteligência de Mercado

O Conceito de Inteligência de Mercado ou Inteligência competitiva surgiu em meados dos anos 80, com a criação de bancos de dados para o armazenamento de informações , que fornecia uma ferramenta para o Marketing, além das Pesquisas de Mercado.
Alguns métodos foram surgindo para auxiliar o Marketing nas empresas , tais como:

• Data Warehouse – o próprio banco de dados
• Data Mining – cavar as informações
• CRM(Customer Relationship Manager)- Gerenciamento do Relacionamento com o cliente.

A Base dados, os softwares, as planilhas e os relatórios garimpados cheios de informações extramente úteis não eram por si só produtivos na aplicação da Gestão do Marketing. Era necessário entender como utilizar essas informações. O acesso a elas foi possibilitado através da tecnologia, porém era preciso muito aplicar a inteligência de forma precisa, funcional e criativa.

Com isso, profissionais especializados que possam compreender de que forma utilizar as informações, fazem a diferença no momento em que vivemos; do “agora”, de informações frescas e atualizadas o tempo todo, que redirecionam decisões, e que precisam ser controladas em tempo real.

A Revista Época Negócios aponta que : “As 500 maiores empresas americanas têm uma área – ou um profissional – para monitorar a concorrência que, na maioria das vezes, tem o nome de Inteligência Competitiva. No Brasil, cerca de 20% das 500 maiores empresas têm uma área ou profissional dedicado a acompanhar, monitorar e apresentar relatórios de “Inteligência Competitiva”. No entanto, os nomes da função, no Brasil, podem ser: Inteligência Competitiva, Inteligência de Mercado, Serviços de Marketing, Pesquisa e IC, entre outros, com atividades por vezes muito diferente das dos colegas americanos.”

1075126_551490061584350_1978309233_n

No Brasil as empresas mais competitivas possuem um sistema de Inteligência: A Embraer possui 13 áreas de Inteligência Competitiva.

O futuro das empresas como vemos claramente está na sua diferenciação no mercado que quanto mais imersa no mundo digital de forma estratégica traz os devidos resultados. É saber como usufruir de forma mais eficaz as mídias sociais, que podem ser utilizadas como ferramentas para a Inteligência competitiva . No livro Manual de Marketing em Mídias Sociais, os autores Barefoot e Szabo , trazem esse conceito competitivo: ” Preste atenção no que os seus concorrentes estão fazendo. Se eles estiverem todos frequentemente as mesmas feiras de negócios, você também deve frequentá-las. Se eles estiverem usando blogs corporativos e inserindo comentários nos websites mais importantes da indústria, então você deveria estar fazendo o mesmo. Avaliar as atividades online dos seus concorrentes é a prova de fogo para o valor do marketing em mídia social na sua área. Se os seus concorrentes já estiverem colhendo os benefícios, não espere mais para entrar no jogo. Se eles estiverem atrasados, essa pode ser a sua chance de se tornar um líder na área.”

1061052_542034512529905_714782753_n

Carla Barreto de Deus
Articulista de Inteligência de Mercado

Fontes:

http://epocanegocios.globo.com/Revista/Epocanegocios/0,,EDG80520-8373-10,00.html

http://www.ricardoalmeida.adm.br/planejestrmkt5.pdf

http://im-br.blogspot.com.br/2012/10/nova-tendencia-monitoramento-da.html

 

Bom lançamento

O Scup, plataforma de monitoramento e gestão de mídias sociais com clientes entre as maiores empresas do Brasil, lança na segunda-feira, 05, em noite de autógrafos na Livraria Cultura, o livro “Monitoramento e Métricas de Mídias Sociais: do estagiário ao CEO”, produzido pela DVS Editora, um guia prático para toda a empresa aprender a usar as redes de forma estratégica e eficiente. O livro propõe uma metodologia de trabalho e análises completas nas redes sociais, e tem como objetivo disseminar as melhores práticas deste universo, para todos os profissionais que atuam ou se interessam pelo tema. A publicação é de autoria de Diego Monteiro e Ricardo Azarite, especialistas em social media.
“As informações provenientes das redes são extremamente relevantes para todas as áreas e níveis hierárquicos das organizações. Devem dominá-la os profissionais de marketing, recursos humanos, logística, atendimento ao consumidor entre outros. Isso porque uma informação coletada na rede pode ser útil, de maneiras diferentes, a todos os setores de uma organização”, afirma Diego Monteiro, cofundador do Scup e coautor da publicação.
A publicação é dividida em duas partes – aspecto de negócios e aspecto técnico de monitoramento e métricas. A primeira revela a importância do monitoramento e detalha as etapas e dificuldades de uma empresa que deseja dialogar com os clientes no mundo digital. A todo o momento, o debate é ilustrado por depoimentos de profissionais da área que atuam em instituições como Vivo, Philips, Grupo Fleury, FAAP e outras.
“Percebemos que as empresas contratavam a nossa plataforma, mas não sabiam a melhor maneira de usar a ferramenta e de analisar o comportamento colhido de acordo com os dados provenientes do monitoramento. Tudo o que a ferramenta proporciona deve ser utilizado a favor do desenvolvimento da organização, e, por isso, usamos as histórias desses clientes para contar os problemas e as soluções”, analisa Monteiro.
A partir desse cenário, os autores unem os pontos até chegarem à metodologia de trabalho chamada SMC (Social Media Cycle), apresentada no livro e que caracteriza a ideia do Scup de atrelar estratégia à rotina diária de mensuração de resultados. “Queremos que todo o mercado esteja conectado, trocando informações e crescendo juntos. A metodologia basicamente une informações e experiências para alavancar o padrão de monitoramento de redes sociais”, explica Monteiro.
A obra reúne depoimentos e casos reais de grandes clientes da empresa, com tabelas, gráficos e números e outras informações e análises de grande relevância para as áreas de Business Intelligence e CRM. Ainda, traz direcionamentos e dicas para a prática do SAC 2.0, atividade cada vez mais adotada por empresas de todos os segmentos.

Livro aborda monitoramento e métricas

O Scup, plataforma de monitoramento e gestão de mídias sociais com clientes entre as maiores empresas do Brasil, lança na segunda-feira, 05, em noite de autógrafos na Livraria Cultura, o livro “Monitoramento e Métricas de Mídias Sociais: do estagiário ao CEO”, produzido pela DVS Editora, um guia prático para toda a empresa aprender a usar as redes de forma estratégica e eficiente. O livro propõe uma metodologia de trabalho e análises completas nas redes sociais, e tem como objetivo disseminar as melhores práticas deste universo, para todos os profissionais que atuam ou se interessam pelo tema. A publicação é de autoria de Diego Monteiro e Ricardo Azarite, especialistas em social media.

livro métricas

“As informações provenientes das redes são extremamente relevantes para todas as áreas e níveis hierárquicos das organizações. Devem dominá-la os profissionais de marketing, recursos humanos, logística, atendimento ao consumidor entre outros. Isso porque uma informação coletada na rede pode ser útil, de maneiras diferentes, a todos os setores de uma organização”, afirma Diego Monteiro, cofundador do Scup e coautor da publicação.

A publicação é dividida em duas partes – aspecto de negócios e aspecto técnico de monitoramento e métricas. A primeira revela a importância do monitoramento e detalha as etapas e dificuldades de uma empresa que deseja dialogar com os clientes no mundo digital. A todo o momento, o debate é ilustrado por depoimentos de profissionais da área que atuam em instituições como Vivo, Philips, Grupo Fleury, FAAP e outras.

“Percebemos que as empresas contratavam a nossa plataforma, mas não sabiam a melhor maneira de usar a ferramenta e de analisar o comportamento colhido de acordo com os dados provenientes do monitoramento. Tudo o que a ferramenta proporciona deve ser utilizado a favor do desenvolvimento da organização, e, por isso, usamos as histórias desses clientes para contar os problemas e as soluções”, analisa Monteiro.

A partir desse cenário, os autores unem os pontos até chegarem à metodologia de trabalho chamada SMC (Social Media Cycle), apresentada no livro e que caracteriza a ideia do Scup de atrelar estratégia à rotina diária de mensuração de resultados. “Queremos que todo o mercado esteja conectado, trocando informações e crescendo juntos. A metodologia basicamente une informações e experiências para alavancar o padrão de monitoramento de redes sociais”, explica Monteiro.

A obra reúne depoimentos e casos reais de grandes clientes da empresa, com tabelas, gráficos e números e outras informações e análises de grande relevância para as áreas de Business Intelligence e CRM. Ainda, traz direcionamentos e dicas para a prática do SAC 2.0, atividade cada vez mais adotada por empresas de todos os segmentos.

Fonte: http://adnews.uol.com.br/pt/internet/livro-reune-dicas-sobre-monitoramento-e-analise-de-redes-sociais.html