Cinco estratégias de marketing digital fazem diferença no varejo

Conheça cinco estratégias de marketing digital que fazem diferença no varejo

Por Livia Menna Barreto Ribeiro*

A constante transformação da tecnologia vem “obrigando” empresas e profissionais a acompanhar essas mudanças. Quem não fizer isso pode perder muitas oportunidades. No varejo se adaptar às novas ferramentas do mundo digital também é extremamente necessário para chegar até o cliente. Algumas estratégias (além de ter somente um site e uma rede social) podem fazer total diferença no seu negócio. Claro que o que a gente traz aqui não é nenhum segredo ou fórmula mágica, mas sim caminhos dentro do marketing digital que podem ajudar no crescimento da sua marca.

Imagem por PIRO4D de Pixabay

E-mail marketing

Uma estratégia básica hoje adotada por muitas empresas no mercado é o e-mail marketing. Isso porque qualquer marca consegue investir em plataformas de Automação de Marketing Digital. Além de ser uma mídia barata, o retorno tem sido muito bom. Por exemplo, a cada 1 dólar investido em um e-mail, a volta desse investimento é de 42 dólares de lucro. Atualmente no mercado existem muitos caminhos para automatizá-lo, é possível dar alguns direcionamentos como segmentação de base (separar potenciais consumidores por grupos e características em comum), identificar quem abriu e clicou no e mail, rastreamento de ações de clientes, enfim, são vários relatórios que permitem conhecer os clientes para adotar a melhor estratégia de campanha.

Live commerce

O live commerce nada mais é que a interação das marcas com os clientes por meio das “lives” (entradas ao vivo nas redes sociais) para promover os produtos. Essa estratégia, que já é usada fora do país, vem sendo cada vez mais vista aqui no Brasil. Não só as grandes marcas, mas as menores também estão vendendo muito por esse caminho. O live commerce é um meio-termo, porque não é necessário se deslocar até a loja física em um grande centro comercial, só que também não fica totalmente on-line, uma vez que você consegue ver o produto melhor. Para o cliente, a sensação é de maior proximidade com aquilo que ele pretende comprar.

Marketing de influência

Dentro do marketing essa estratégia é uma das mais básicas. A maioria das marcas, principalmente as mais conhecidas, contam com influenciadores de diversos nichos para divulgar o produto. A divulgação acontece de muitas formas, seja pelas redes sociais, seja até mesmo a televisão aberta. Vale lembrar que o investimento varia porque influenciadores mundiais e nacionais cobram diferentes cachês, mas é uma estratégia que sempre deu muito certo.

Trabalhe com métricas

Tudo deve ser medido, porque através dos números é possível saber qual estratégia seguir, quais medidas adotar para o crescimento ou até para uma crise. Os dados permitem traçar um planejamento anual, um planejamento semestral para os novos caminhos de marketing digital. Os números de taxa de conversão, custo de aquisição de clientes, os próprios relatórios de plataformas de e-mail, de automação, vão mostrar o perfil do cliente, entender o que ele está procurando e o que realmente ele precisa.

Conte com profissionais especializados

Não adianta querer fazer uma estratégia legal e não ter pessoas competentes para isso. Profissionais especializados são fundamentais para um bom trabalho. De que vale ter uma plataforma de marketing digital e não ter pessoas que operem? Nada. Então conte com profissionais criativos, com conhecimento no varejo, em marketing, em ferramentas de SEO (otimização de mecanismos de busca), blogs, palavras-chaves, ou seja, profissionais que possam tocar toda essa parte de estratégia digital do negócio.

*Livia Menna Barreto Ribeiro é marketing na Dinamize

Fonte: NB Press Comunicação

E-mail se mostra uma fundamental ferramenta para o marketing durante todas as etapas da pandemia

por Danielle Contin*

Todos os profissionais de marketing enfrentam desafios cotidianamente. Temos que nos superar todos os dias, de forma a encantar nossos clientes e prospects, sejam internos ou externos. Chamo a atenção para os profissionais de e-mail marketing, sempre ansiosos para alcançar o próximo nível de desempenho com relação ao e-mail. No caso deles, os últimos anos têm trazido desafios adicionais, com mudanças muito repentinas de cenário.

Somente em 2021, a Covid-19 e suas cepas colocaram dúvidas sobre quando e se teríamos nossa velha normalidade de volta. A Apple lançou o Mail Protection Privacy (MPP), e novas leis de privacidade bloquearam muitas das técnicas de personalização amplamente utilizadas. Para aumentar o desafio, mesmo métricas de desempenho testadas e comprovadas (como taxas de abertura) começaram a perder seu valor.

O que tenho a dizer aos meus colegas de setor é: não tenham medo. Assim como os humanos caminharam na Lua, exploraram o fundo dos oceanos e escalaram o monte Everest, é possível que os profissionais de e-mail marketing naveguem – e dominem – um território nunca antes visto.

É fácil ficar focado no próprio programa de e-mail e não olhar o ambiente ao redor, mas os profissionais inteligentes de marketing sabem o impacto que o ecossistema de e-mail como um todo tem em seu sucesso.

O começo da pandemia de Covid-19, no início de 2020, teve enorme impacto no volume global de e-mails. À medida que os consumidores se voltavam para as compras online e muitos buscavam recursos para ajudá-los a se adaptar à “vida pandêmica”, empresas de todo o mundo perceberam o verdadeiro valor de seus canais de e-mail. O resultado? O volume global de e-mails aumentou 14% entre 2020 e 2021. Esse boom inicial criou um “novo normal” para a atividade de e-mail, que persiste desde então.

Como parte da nossa estratégia de análise constante do volume global de e-mails, a Validity confirmou que a atividade de e-mail aumentou aproximadamente 60% de março a abril de 2020, quando medidas restritivas foram postas em prática em todo o mundo. E o volume global de e-mails permaneceu muito elevado ao longo do ano passado.

Embora tenham ocorrido variações nesse ritmo durante o ano em razão das datas comemorativas, foi a partir de novembro que o volume de e-mails realmente ganhou força. Isso ocorreu à medida que as empresas se esforçavam para alcançar forte desempenho com as vendas no período, de forma a compensar a receita perdida durante a pandemia.

Os consumidores reforçaram essa tendência iniciando suas compras de fim de ano mais cedo do que o habitual, por causa de problemas amplamente divulgados na cadeia de suprimentos.

Como esperado, o volume global de e-mails disparou no fim de semana da Black Friday/Cyber Monday, ficando 70% acima da média de 2021 e 5% acima do fim de semana da Black Friday/Cyber Monday de 2020.

Outro ponto interessante observado em 2021 foi a diminuição do volume de e-mails em 25% nos fins de semana. Sobre essa oportunidade, falo mais detalhadamente abaixo.

Previsão para 2022

Em suma, esse novo normal veio para ficar, e o volume global de e-mail continuará aumentando neste ano.

A boa notícia é que o canal de e-mail está se mostrando mais relevante do que nunca. No entanto, o alto volume de envio significa pressão adicional na entrega e aumento da concorrência nas caixas de entrada dos assinantes.

Abaixo, listo três sugestões de como nós, profissionais de marketing, podemos nos adaptar a esse “novo normal” do canal de e-mail marketing.

• Manter uma reputação de remetente de primeira linha.
O aumento do volume de e-mail significa que uma reputação sólida do remetente é vital para ter boa entregabilidade. Os provedores de e-mail (MBPs) usam a reputação do remetente para informar suas decisões de entrega (quem será bloqueado, descartado ou limitado) e taxa de transferência. Os remetentes devem monitorar consistentemente sua reputação para identificar rapidamente áreas problemáticas.

• Alterar os tempos de envio programados.
Um MBP de grande importância no ecossistema de e-mail confirmou à Validity que 70% de todo o tráfego de e-mails ocorre nos primeiros dez minutos de cada hora (já que os envios em massa geralmente começam no início da hora). Mudar os envios em 10 ou 15 minutos significa que suas mensagens terão menos concorrência por espaço e capacidade de processamento, além de caixas de entrada menos congestionadas.

• Use a janela do fim de semana.
Dado que o volume de e-mail é 25% maior durante a semana, os fins de semana são uma excelente oportunidade para se comunicar com os clientes, visto que as caixas de entrada tendem a estar menos ocupadas.

*Danielle Contin é gerente de Marketing da Validity para a América Latina.

Startups de tecnologia: 8 estratégias de marketing digital que vão alavancar o seu negócio!

Por Ari Lisjak, CEO da Isource Marketing

As startups são um modelo de negócios líder que impulsiona a inovação e o crescimento econômico em todo o mundo. A cada ano, novos tipos de produtos e serviços são criados por startups. Eles servem como um grande exemplo de criatividade e ambição empreendedoras, bem como o surgimento de conceitos inovadores. Mas, nem sempre o marketing não é um de seus pontos fortes. E é compreensível: a maioria delas não começou escrevendo estudos de caso e enviando e-mails, mas criando tecnologia de ponta. Sem falar que, tradicionalmente, o marketing digital estava disponível apenas para grandes corporações nos setores de B2B e B2C.

No entanto, há boas notícias. De acordo com o First Site Guide, 7,1% das startups no mundo atuam no setro de fintech. Seguido por ciências da vida e saúde com 6,8%, Inteligência Artificial com 5,0%, gaming 4,7%, adtech 3,3% e edtech com 2,8%. As startups modernas são atraídas pela internet e pela tecnologia digital, apesar da falta de dados precisos de distribuição do setor. Como resultado, um forte plano de marketing online é essencial para todas as empresas que desejam alcançar o sucesso.

Quando se trata de marketing digital, as empresas de tecnologia devem se esforçar para investir em muitos aspectos diferentes. Mais importante ainda, esta ferramenta poderosa veio para ficar e pode aumentar rapidamente o sucesso de sua startup de tecnologia. Hoje, a publicidade na web é mais inclusiva do que nunca: ela não conhece fronteiras. Por exemplo, se você tem uma empresa de software e deseja atingir clientes em vários países, o marketing online o ajudará a conseguir isso.

Neste artigo, iremos guiá-lo através de algumas maneiras de desenvolver uma estratégia de marketing digital eficaz para sua startup de tecnologia.

1. Começando pelo básico: buyer persona

O desenvolvimento de uma buyer persona é a etapa mais crítica no marketing digital e é por isso que a colocamos na vanguarda. Isso inclui a coleta de detalhes importantes sobre o seu público, como idade, nome, localização, renda, emprego, suas demandas e como busca produtos e serviços na internet. Depois de coletar essas informações, você pode se concentrar em construir a estratégia de marketing certa. Há evidências suficientes para sugerir que a buyer persona é essencial para todos os negócios modernos. Ainda mais quando se trata de uma startup de tecnologia, já que muitos especialistas em TI já aderiram à iniciativa para oferecer seus serviços a clientes em todo o mundo.

2. E-mail marketing

Você sabia que o marketing por e-mail continua a dominar o mundo do marketing de startups? Essa ferramenta permite que você se conecte com seu público-alvo de uma forma que nenhum outro canal consegue. Embora seja uma plataforma que já existe há muitos anos, ainda é um dos canais de inicialização mais eficazes, e é por isso que os gigantes do marketing sugerem confiar em soluções de boletins informativos por e-mail para aproveitar todo o potencial do marketing por e-mail.

3. Comece um blog

Criar um blog é uma das maneiras mais bem-sucedidas de começar a aumentar o tráfego no setor de startups de tecnologia. Lembre-se de que você tem grandes habilidades tecnológicas para capitalizar, então, se escrever não é seu ponto forte, contrate criador de conteúdo. É um dos métodos mais eficazes para divulgar a história de sua marca e divulgar seus produtos e serviços. Os blogs ajudam no SEO e aumentam seus rankings de pesquisa. Aproveite todas as maneiras pelas quais você pode se beneficiar de seus esforços de conteúdo. Algumas ideias são incluir fontes e links relevantes e confiáveis ​​em suas postagens de blog, vincular o conteúdo de seu site às postagens e escrever blogs de visitantes para melhorar o conhecimento da marca e divulgar seu nome. Os blogs também oferecem muita versatilidade. Você pode decidir a direção do seu blog e o tipo de conteúdo que deseja compartilhar. Por exemplo, você pode escrever sobre qualquer coisa, desde tópicos de tecnologia especializados a notícias do setor.

4. Redes sociais

Embora a mídia social seja uma plataforma de rede poderosa, ela também evoluiu para uma ferramenta de marketing inteligente que empresas em vários setores usam para ampliar seu alcance. E porque é uma plataforma enorme, elaborar a estratégia de marketing de mídia social da sua startup pode ser opressor. Você pode começar determinando a plataforma que se adapta à sua marca. Facebook, Twitter, Instagram, Tik Tok, Reddit, Pinterest e LinkedIn cada uma delas têm coisas exclusivas a oferecer. Todas têm muitas maneiras de se envolver o público, desde participar da discussão sobre uma hashtag de tendência até publicar artigos no LinkedIn e capacitar os funcionários a agirem em nome da sua empresa. Participe de grupos do LinkedIn e responda a perguntas no Quora. Ao mesmo tempo, busque discussões que sejam relevantes para a solução que você oferece e encontre uma maneira de ajudar.

5. Use publicidade de pesquisa paga (SEM)

A pesquisa paga se tornou um canal de publicidade muito popular para startups. Ele permite que os usuários comprem tráfego direcionado a laser em mecanismos de busca como Google e Bing, duas das principais redes de busca paga que oferecem a capacidade de direcionar palavras-chave em um modelo de preço de custo por clique (CPC). Usando qualquer uma dessas redes, você pode criar anúncios personalizados para sua startup que aparecem nos resultados de pesquisa quando alguém pesquisa uma palavra-chave relacionada ao seu negócio.

6. Marketing de influência

Líderes de tecnologia proeminentes com muitos seguidores nas mídias sociais têm autoridade e influência no mercado e na indústria de TI. O marketing de influência pode ser muito poderoso neste setor quando as empresas utilizam esses líderes de tecnologia. Se eles muitos seguidores em seu setor, provavelmente têm influência sobre seu mercado-alvo. A parceria com esses criadores de conteúdo pode ajudá-lo a direcionar o conhecimento da marca para o seu público-alvo. Uma vez que seu público-alvo está ciente de sua startup, seu objetivo é alcançado.

7. Inclua SEO em todos os lugares

A otimização de mecanismos de pesquisa (SEO) é a base do marketing digital promissor. Além de ser a base do marketing orgânico, é um fator determinante para o sucesso do marketing de longo prazo. Na verdade, a maioria dos profissionais de marketing e especialistas associam o SEO a conteúdo extenso ou como parte das melhores práticas de blog. No entanto, você pode usar palavras-chave relevantes em suas postagens de mídia social, hashtags, descrições de produtos … Sugerimos que você incorpore uma estratégia de SEO em suas postagens de blog, curadoria de conteúdo geral e estratégia de marketing. Além disso, incluir palavras-chave de cauda longa na seleção de tópicos e no conteúdo do blog é uma forma eficaz de atrair tráfego a longo prazo.

8. Retargeting / Remarketing

O marketing por e-mail, a publicidade nas redes sociais e os anúncios de visualização são excelentes para estratégias de retargeting. Retargeting é basicamente uma campanha de marketing baseada no comportamento anterior do usuário. Por exemplo, o LinkedIn permite que você defina anúncios para indivíduos específicos com base no que eles fizeram em seu site. Ou seja, se alguém visita seu site, adiciona um item a um carrinho de compras, mas não conclui a compra, você pode colocar um anúncio desse produto no LinkedIn e / ou enviar ao usuário um e-mail personalizado lembrando-o de voltar e concluir o compra. Embora os termos “retargeting” e “remarketing” às vezes sejam usados​​alternadamente, a principal diferença é que a retargeting se preocupa principalmente com o envio de anúncios baseados em cookies para clientes em potencial, enquanto o remarketing é tipicamente baseado em e-mail.

Coluna Propaganda&Arte

Oi, sumido! O e-mail marketing ainda é forte?

O e-mail ou correio eletrônico é quase como um avô das comunicações pela internet, porém, ele pode ser aquele avô bem descoladão, sabe? Afinal, temos tecnologia e maior compreensão de comportamento que antes. Vejam algumas estratégias para manter a força do e-mail marketing nos dias de hoje.

Faça e-mails com personalização

Quem não gosta de ser chamado pelo nome, de receber informações e ofertas personalizadas para seus gostos? Isso segue no ambiente do e-mail. Agora o desafio é fazer as automações, que colocam nosso nome em tudo, assim como outras informações preenchendo campos automaticamente, não soarem mecânicas demais. Essa bucha eu deixo para os copy que precisam buscar humanização acima de tudo.

Crie chamadas impactantes (e verdadeiras)

Não crie aqueles títulos de assunto de e-mail forçados só para conseguir clique e abertura de e-mail, fica evidente a sua estratégia e com o tempo cansa o público. Mesmo assim, podemos abordar algum tema de formas diferentes, gerando alguma urgência, por exemplo. Sexy sem sem vulgar!

Faça o uso de textos como principal formato (teste algumas imagens)

Quem faz e-mails todos em formato imagem corre um sério risco de não ser visto, pois em algumas plataformas as imagens podem não abrir automaticamente, deixando toda sua criatividade e inteligência em segundo plano. Quem não abrir ou não liberar a visualização não irá saber da sua oferta incrível. Mescle e teste os elementos, foto, texto, links etc.

Crie um relacionamento e segmentação de perfis

Não dispare e-mails sem direção ou sem uma régua de conteúdo. Algumas ferramentas oferecem automações simples que você poderá criar com uma sequência de interesse e de evolução do relacionamento, ao invés de oferecer um produto genérico para todas as pessoas do mailing. Compreender que cada cliente é único, mas que ele pode estar em fases parecidas é um primeiro passo para segmentações mais inteligentes e para maiores taxas de conversão.

Entregue conteúdo e ofertas de valor

Não adianta encher linguiça. Busque conteúdos, dicas e ofertas que façam a pessoa se sentir atendida, mesmo que ela não queira naquele momento comprar. Ao ter acesso ao seu e-mail, criamos uma lembrança, geramos interesse e abrimos portas para algo realmente relevante.

Isso sim é olhar para o vovô e-mail com carinho, e ainda mais, para seus clientes que podem vir de indicações dele. Esse cara tem história e tem respeito, viu?