Conteúdo nativo passou a ser decisivo

Por que o conteúdo em formato nativo se tornou ferramenta essencial para o marketing?

Não somente o conteúdo, mas também, sua distribuição, contexto e segmentação são os principais fatores de sucesso para engajar o usuário e gerar performance para a marca

Fernanda Negrini, Gerente de Marketing da Outbrain/Crédito foto: Eugênio Goulart

“A popularização da internet mudou drasticamente a maneira como as pessoas criam, consomem e compartilham informação. Neste novo cenário, quando o usuário se encontra no modo de leitura, o que ele menos deseja é ser interrompido e, por isso, sua atenção fica completamente concentrada no conteúdo”, afirma Fernanda Negrini, gerente de marketing da Outbrain Brasil. É por esta razão que os formatos tradicionais de publicidade, como a mídia display, foram perdendo a performance que tinham antes e o conteúdo, por sua vez, ganhando protagonismo.

Apesar de o conteúdo ser fator determinante nas campanhas de marketing, nem sempre foi assim e, ainda, ele por si só não é responsável pelo bom desempenho da campanha. Segundo Fernanda Negrini, além do conteúdo, a distribuição, contexto e segmentação são os principais fatores de sucesso para quem quer engajar o usuário e gerar performance para a marca. “Além das mudanças na forma como os usuários consomem conteúdo, fenômenos como os adblockers também aceleraram esse processo de transformação do marketing. Com a circulação do conteúdo ganhando outra escala, as marcas precisaram encontrar uma nova maneira de estar presente nesta nova agenda social”, explica.

Neste contexto, empresas e organizações tiveram que reinventar seus planejamentos de comunicação para surfar na onda de sucesso do conteúdo. No entanto, junto ao nascimento do marketing de conteúdo, surgiu a questão de como mensurar os resultados e otimizá-los. “Comentários, compartilhamentos, curtidas e cliques são todos medidas superficiais de engajamento e, ao focar apenas em números isolados, fica impossível entender o poder do conteúdo e seu impacto em todas as frentes de comunicação”, diz Fernanda, ressaltando que a avaliação pós clique é muito mais profunda e traz muitos insights sobre a audiência e os assuntos de interesse relevantes para ela “Nesse quesito, é preciso avaliar quanto tempo o usuário ficou no seu site; quantas páginas visitou; se participou de alguma ação dentro daquele ambiente; se fez alguma aquisição; se compartilhou algum conteúdo positivo sobre sua marca”, pondera.

Além disso, outra tentação de algumas empresas foi direcionar a produção de conteúdo para plataformas sociais sob as quais elas não possuem autonomia. “Houve uma concentração de esforços em construir uma grande comunidade em torno das propriedades sociais das marcas, mas não foi levado em consideração a vulnerabilidade e a dependência que essa estratégia representava, pois diante da mudança dos algoritmos destas empresas, os anunciantes foram negativamente impactados uma vez que a entrega das mensagens de marcas perdeu relevância em detrimento dos conteúdos orgânicos do feed”. Uma pesquisa feita pela GlobalWebIndex em 2017 aponta que em média, cada pessoa possui sete perfis sociais, pois o usuário se comporta de forma diferente em cada uma delas para poder pertencer àquela comunidade. Para Fernanda, esse é o grande risco, pois os usuários nem sempre querem expor seus interesses nessas redes. “Com qual persona a marca está falando?”.

Imagem de Diggity Marketing por Pixabay

Por outro lado, Fernanda afirma que é importante diversificar as vias de acesso até a marca, já que 1/3 do conteúdo consumido enquanto o leitor navega não foi planejado. Por exemplo: ao ler um artigo em um site, ele pode descobrir algo interessante e clicar nesse link, que leva ao outro, e a outro e de repente, apresentam-se conteúdos que ele nem imaginava consumir inicialmente. “Criar conteúdo informativo sobre a empresa ou produto e distribuí-lo nos canais onde o usuário dedica atenção plena ao consumo, viabiliza uma descoberta e ainda colabora para um melhor resultado do site nos rankings dos motores de busca, alimentando todo o funil de compra”.

A gerente de marketing da Outbrain Brasil aponta que produzir um conteúdo único e associado ao propósito da marca, distribuí-los nos canais certos, para a audiência real e certa, são essenciais, mas ainda assim, dependem do contexto em que são apresentados. “A publicidade deve ser menos sobre a marca, a agência ou a empresa de tecnologia e mais sobre como a mensagem vai ressoar com os consumidores que visualizam o anúncio”, diz. “Precisamos dar aos consumidores um maior senso de controle e de poder de escolha sob o que vão consumir, como por exemplo, produzir conteúdo interessante, bem distribuído e segmentado para que vá ao encontro dos interesses da audiência e que o clique represente uma ação positiva: um clique para ter acesso ao conteúdo, e não para pulá-lo”.

Por esta razão, formatos nativos de distribuição de conteúdo têm ganhado cada vez mais espaço. Para Fernanda, uma experiência de conteúdo mais natural, menos intrusiva, que se integra perfeitamente ao meio que os usuários já estão consumindo, tende a ser mais atraente e a capturar a atenção da audiência. “Se alguém estiver lendo um artigo de notícias, provavelmente estará mais disposto a ler outro artigo recomendado a ele (mesmo que seja patrocinado)”.

A YouPix vem aí

YouPix Con, o evento mais relevante do ecossistema de influenciadores digitais, acontece dia 25 de outubro

Evento oferece um espaço de negócios e discussão sobre tendências e rumos da indústria de produção de conteúdo online. Interessados em acompanhar a terceira edição podem assinar o serviço de streaming e ter acesso a todo o conteúdo on demand pelo período de 6 meses.

No dia 25 de setembro, veículos, plataformas, marcas, agências, profissionais do mercado e produtores de conteúdo digital se reunirão para a terceira edição do YOUPIX CON. O evento é obrigatório para quem quer entender os rumos, práticas e as possibilidades de negócios em meio a um cenário em que a linha entre quem cria, distribui e monetiza conteúdo digital já não existe mais.

Em 2017, a curadoria de conteúdo feita por Bia Granja, Cofundadora e Diretora Criativa do YOUPIX, partiu de quarto macro-temas – Conteúdo, Negócios, Distribuição e Tendências. O resultado é um evento com o dobro de conteúdo em relação aos anos anteriores. Além do Key Note Stage, voltado para discutir tendências e temas pertinentes à indústria de conteúdo, e o How To Stage, com ênfase mais prática sobre temas que envolvem a produção de conteúdo digital, o evento conta com dois novos palcos: Creator Talks by YouTube que receberá diversas entrevistas individuais com creators, como Felipe Neto, Kondizila e Luba; bem como um palco promovido pelo ViU Hub, empresa especializada em produção de conteúdo digital da Globosat. As atividades vão discutir desde o caminho do vídeo dentro das plataformas digitais até tendências do segmento de entretenimento, passando por questões sobre o que engaja os adolescentes no digital hoje em dia.

Em paralelo aos palcos acontece o Influencers Sprint, um projeto especial do YOUPIX CON, liderado pela Tera, escola de design, tecnologia e negócios que é uma das principais referências atuais em educação para a economia digital. Durante 4 horas, creators, marcas e membros da indústria digital na missão de co-criar uma estratégia de influência que traga visibilidade e possibilidades de engajamento para um centro de cultura e acolhimento LGBT (Casa 1), uma escola de jornalismo para jovens das periferias (Énóis) e uma instituição que cria projetos pra desmistificação do câncer para crianças e adolescentes diagnosticados com a doença (Beabá). O resultado deste trabalho é apresentado no palco do Key Note Stage.

Este palco receberá, ainda, o Creators Pitch, concurso de talentos do YOUPIX pelo qual já passaram nomes como: Julio Cocielo, Pyong Lee, o pessoal do Canal das Bee e outros. Este ano, foram mais de 350 inscritos. Cinco deles serão selecionados para apresentar seu projeto durante o YOUPIX CON e concorrer a prêmios que contribuam para seu desenvolvimento como criador de conteúdo.

“O YOUPIX CON é um evento de conteúdo da próxima geração (the next generation content). Uma audiência que tem acesso à informação há um clique de distância, on demand e sem interrupções. Iremos trazer insights e provocações sobre como ser relevante, construir melhores narrativas e ser criativo neste novo cenário tanto para agências e marcas, quanto para criadores de conteúdo. Um evento que traduz a essência do YOUPIX de fomentar a indústria de conteúdo digital.” diz, Bia Granja.

Outra novidade é que este ano, em uma ação inédita, o YOUPIX realizou a venda de ingressos presenciais para o evento. “As duas últimas edições do YOUPIX CON eram apenas para convidados. Este ano, para atender a demanda do mercado, abrimos 50 vagas presenciais que, para a nossa surpresa, esgotaram em menos de 48 horas. Apesar do sucesso, não temos a pretensão de expandir o evento, que deve receber esse ano cerca de mil pessoas. Nosso objetivo é oferecer um espaço para networking e conhecimento e entendemos que, para isso, temos que manter um número seleto de pessoas”, diz Daniela Costa, Diretora Geral do YOUPIX.

As palestras, painéis e demais atividades que ocorreram nos quatro palcos do YOUPIX CON 2017 poderão, entretanto, ser acessadas ao vivo via streaming pelo valor de R$390. O conteúdo na íntegra fica disponível por mais seis meses após o evento para que o participante possa acompanhar todo o conteúdo.

A programação completa está no site www.youpixcon.com.br. Além do evento ter o oferecimento do Bradesco, Folha de São Paulo e UOL Ad_Lab, conta com patrocínio de ViU HUB, Globo.com, Magazine Luiza, Agência 1927, YouTube, Facebook, Instagram, Lomadee, Airstrip, Hysteria, TNT, 3 Corações, IBM, Printi, Heineken, Stilingue, Today, Gold&Co e Lover Ipsum.

SERVIÇO
Evento: YOUPIX CON
Data: 25 de setembro, das 9h00 às 22h00
Os interessados em acompanhar a conferência podem assinar o serviço de streaming através do site www.youpixcon.com.br (R$ 390,00)
Obs: as entradas para o evento presencial estão esgotadas.

SOBRE O YOUPIX
Ao longo de 11 anos, o YOUPIX se tornou o principal hub de conexões e negócios da indústria de conteúdo e entretenimentos digital. Pioneiro no estudo e fomento do universo de criadores de conteúdo e da cultura de jovens digitais, estabeleceu uma influente rede de contatos dentro e fora do Brasil.

Além de organizar o YOUPIX CON, o YOUPIX promove encontros de relacionamento; cursos para profissionais e in company sobre o mercado de influenciadores; consultoria de planejamento e relacionamento com influenciadores digitais; curadoria de eventos; viagens de estudos e benchmark para VidCon e Los Angeles; e o Creators Boost, programa semestral de aceleração de criadores de conteúdo. Todos os projetos contribuem com o propósito da empresa de fomentar a indústria de criação de conteúdo digital.

Fonte: YouPix – Yasmine Luna