Dicas básicas sobre redes sociais

Segredos de marketing em redes sociais que todo profissional deve saber

Para ter uma boa estratégia de divulgação na internet, existem vários segredos de marketing em redes sociais para as empresas que todo bom profissional do ramo deve saber. Nas redes sociais, o número de conteúdos compartilhados cada vez aumenta mais e competir com eles não é fácil.

Marcas que querem receber uma boa atenção devem encontrar maneiras para ter estratégias bem definidas nas mídias sociais.

Veja agora 3 grandes segredos de marketing em redes sociais

1- Não existe padrão para o sucesso: não há provas concretas ou alguma fórmula matemática mirabolante para o gerenciamento das redes sociais. Cada empresa possui sua particularidade, um público único e questões específicas que precisam de soluções para trazer audiência. Além disso, plataformas de mídia social estão mudando o tempo inteiro e, com elas, o comportamento dos grupos sociais também. Não existe maneira de obter bons resultados através uma mesma estratégia.

2- Tenha um plano de conteúdo bem documentado e moldado: para passar do primeiro obstáculo é essencial possuir um plano de marketing de conteúdo. Para que o conteúdo seja eficiente ele deve ser relevante para o seu público, desenvolvendo algum tipo de interação com o material ou com a página. A documentação da estratégia também é fundamental. Uma pesquisa do Content Marketing Institute mostrou que uma estratégia documentada pode dar mais confiança a equipe, porque auxilia na justificativa dos gastos com mídias sociais.

3- O boca a boca pode ser melhor do que o imaginado: existe a possibilidade de gerar boca a boca para sua marca através das mídias sociais. Isso porque elas costumam impactar clientes, parceiros e funcionários de maneira igual. A construção de relacionamentos com as pessoas é o grande segredo para o sucesso em qualquer tipo de negócio.

Fonte: Agência IMMA

Começa na próxima segunda a SMWSP

Social Media Week São Paulo reúne 320 profissionais para debater as práticas do mercado digital

Começa nesta segunda feira (10), o maior evento de mídias sociais da América Latina, em parceria com a ESPM, temas como transformação digital, diversidade, inovação, chatbots e social commerce estão entre as 21 trilhas de conteúdo.

A Social Media Week São Paulo apresenta 270 atividades entre palestras, workshops, painéis e debates. A décima primeira edição do evento acontece na próxima semana, do dia 10 ao dia 14 de setembro, nos 2 campi da ESPM na Vila Mariana: ESPM Tech, rua Joaquim Távora , 1240 e ESPM Graduação, rua Dr. Álvaro Alvim, 123. As inscrições podem ser feitas por palestra em www.smwsp.com.br/agenda, não há limite para participação, os ingressos custam R$ 20,00, com opção de 50% de desconto oferecida pelos patrocinadores, para lugares reservados e existe a opção gratuita pelo app SMWSP disponível na Apple Store e Google Play Store.

Neste ano, as mulheres marcam presença nos palcos da SMWSP, serão 169 mulheres palestrando. Entre os temas, novos assuntos foram incorporados para discussão: diversidade, transformação digital, marketing de causas e o universo das agencias digitais — como estão sobrevivendo às mudanças do mercado.

Com uma curadoria colaborativa, a SMWSP é o primeiro palco de muitos profissionais foram cerca 800 palestrantes inscritos. O evento é organizado pela InterNey consultoria, com a ajuda de voluntários e parceiros. “A gente traz palestrantes consagrados de várias plataformas sociais brasileiras, de grandes empresas, temos profissionais de nível sênior com seus cases, que se inscrevem para compartilhar os aprendizados. Ao mesmo tempo, pessoas que estão vivenciando o palco pela primeira vez e serão os porta vozes do mercado amanhã. Temos essa missão de educar o mercado e prepara-lo”, destaca o organizador, Edney Souza.

Imagem de edição anterior da SMWSP

Confira as trilhas:

Academia Aplicada ao Mercado (Curador: Tarcízio Silva)

Agências Digitais (Curadoria: ABRADi)

Chatbots (Curador: Vinícius Martins)

Consumidor 4.0 (Curadoria: Jeunesse)

Diversidade (Curadoria: Vitor Bastos & Maira Reis)

EdTech (Curador: Sthefan Berwanger)

Game Marketing (Curador: Guilherme Camargo)

Gestão de Redes Sociais (Curadoria: Swonkie)

Inbound Marketing (Curadoria: Resultados Digitais)

Influenciadores (Curadoria Colaborativa)

Inovação (Curadores: Fabrício Saad & Caio Bianchi)

Inteligência Artificial (Curadores: IBM & Julio Figueiredo)

Jornalismo Digital (Curadora: Maria Elisabete Antonioli)

Marketing de Causas (Curadora: Egnalda Cortes)

Marketing para Educação (Curadoria: 80/20)

Pequenas e Médias Empresas (Curadoria: mLabs)

Planejamento Digital (Curadoria Colaborativa)

Publicidade Digital (Curadoria: Diego Oliveira)

Social Commerce (Curadoria: NuvemShop)

Storytelling & Branded Content (Curadoria: Bruno Scartozzoni)

Transformação Digital (Curadoria: Sérgio Santos)

Veja a programação completa em www.smwsp.com.br/agenda.

Serviço:

Social Media Week São Paulo

Data: 10 a 14 de setembro de 2018

Local: ESPM Tech, rua Joaquim Távora, 1240 e ESPM Graduação, rua Dr. Álvaro Alvim, 123. O local exato de cada palestra será anunciado uma semana antes do evento, de acordo com o volume de inscrições.

Inscrições: www.smwsp.com.br/agenda

Os ingressos são vendidos por um preço simbólico para organizar as salas, o evento é custeado principalmente pelos patrocinadores e parceiros. O ingresso garante a entrada na sala até 5 minutos depois do horário programado. Após isso, qualquer pessoa na fila de espera gratuita pode ocupar os lugares disponíveis.

Fonte: Assessoria de Imprensa SMWSP18 – Mariana Bacci

Dança das cadeiras

E o mercado não para…

Mais um pouquinho da movimentação de profissionais pelo mercado de comunicação da Região Metropolitana do Vale do Paraíba.

Imobiliaria Nova Freitas passa a contar com Júlia Souza na função de  Relações Públicas.

Natalie Guimarães é a mais nova Social Media da equipe da Vincere Comunicação.

E Luciana Peloggia Gianesini acabou de assumir como Analista Web Pleno no Portal A12.com

Vaga para atuar em mídia

Coyô abre vaga de analista de mídia digital

Envie seu currículo para vempramatilha@coyo.com.br

O Analista de Mídia aqui na Coyô precisa manjar de:

– Redes sociais
– Anúncios nas principais plataformas de mídia digital.
– Conhecimento básico em Google Ads

Vaga para analista de marketing

Vaga para Analista de Marketing Digital

Desejável:

– Superior completo em Marketing ou Publicidade

– Vivência anterior com gestão de plataformas digitais

– Inglês avançado

– Experiência na gestão de sites, planejamento de redes sociais, gerenciamento de leads, planejamento estratégico digital e mídia performance

Local de trabalho: Jacareí – SP

Interessados mandar CV com pretensão salarial para marketing@cherybrasil.com.br com o título da vaga no assunto do e-mail

Consumidor pesquisa antes na internet

47% dos internautas só compram em loja física após pesquisarem na internet, aponta pesquisa da CNDL/SPC Brasil

Preço e comodidade são principais vantagens das compras on-line, mas relacionamento e facilidade de troca se destacam como ponto forte das lojas físicas; 41% dos internautas cedem às compras por impulso

Mais bem informado e maduro, o consumidor brasileiro tem utilizado cada vez mais a internet como um aliado na hora de ir às compras. Um levantamento feito pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) com internautas que realizaram alguma compra on-line nos últimos 12 meses mostra que 47% dos entrevistados sempre fazem pesquisas na internet antes de realizar alguma compra em loja física. Nesses casos, a maioria busca informações sobre preços (38%), detalhes e características daquilo que pretendem adquirir (22%) e também a opinião de outros clientes sobre a experiência de compra (10%). Apenas 18% dos entrevistados compram direto em lojas físicas sem fazer qualquer consulta no ambiente virtual. Outros 35% recorrem à consulta apenas eventualmente, a depender do tipo de produto ou serviço que buscam.

Foto: Pixabay

De acordo com a pesquisa, os itens mais pesquisados na internet antes da aquisição na loja física são os eletrodomésticos (58%), smartphones (56%), eletrônicos (51%), roupas e acessórios (32%) e cosméticos e perfumes (30%). Quando precisam se informar sobre os produtos ou serviços que pretendem adquirir, 47% dos internautas buscam informações em sites que mensuram índices de reclamações, enquanto 35% preferem os sites ou aplicativos da própria empresa e 34% recorrem aos buscadores, como o Google, por exemplo.

Na avaliação do presidente da CNDL, José Cesar da Costa, com o avanço da tecnologia, as decisões de compra por parte do consumidor passam por múltiplos canais e de forma simultânea, unindo mundo on-line e off-line. “A internet é a grande ferramenta que o consumidor tem em suas mãos para informar-se de forma rápida, prática e bastante abrangente sobre produtos e serviços, comparar preços e pesquisar a reputação das marcas a partir da experiência de outros clientes. Os consumidores estão cada vez mais exigentes e bem informados, transitando o tempo todo por diferentes plataformas durante o processo de compra. A internet trouxe às pessoas a liberdade de comprar quando e onde quiserem e as empresas precisam se adaptar a essa nova realidade”, afirma Costa.

25% dos internautas visitam loja física antes de comprar na internet. Maioria busca ver detalhes de perto e pesquisar preço

Se consultar a internet antes de realizar uma compra em lojas físicas tornou-se um hábito do internauta brasileiro, o inverso também acontece, embora em uma proporção menor. De acordo com a pesquisa, um quarto (25%) dos internautas visita uma loja física para conhecer o produto que deseja adquirir na internet. A maior parte toma essa atitude para ver os detalhes e principais características daquilo que está sendo adquirido (17%), além da tradicional pesquisa de preço (12%). Outros 44% tomam essa atitude a depender do produto, enquanto 30% não se importam em realizar a pesquisa, indo direto aos sites ou aplicativos.

Os itens que os entrevistados mais procuram ver presencialmente para depois comprar de forma on-line são os eletrodomésticos (53%), smartphones (46%), eletrônicos (41%) e roupas ou acessórios (29%).

Para o presidente do SPC Brasil, Roque Pellizzaro Junior, os empresários precisam romper com a separação entre varejo físico e on-line para proporcionar experiências mais completas aos seus clientes. “Houve um tempo em que o mundo virtual e o mundo físico não conversavam. Mas isso acabou. Hoje, os clientes se surpreendem quando a empresa não tem ao menos um canal de atendimento on-line. Isso acontece porque as pessoas estão todo o tempo conectadas, mas continuam sendo consumidores no sentido tradicional. Por isso, investir na qualidade da experiência de compra é entender que o cliente é ao mesmo tempo físico e virtual e tem transito livre entre os diferentes canais de venda e relacionamento”, afirma.

Para 83%, lojas on-line praticam preços mais baratos, mas facilidade de troca é vantagem percebida nas lojas físicas

O estudo ainda revela em quais tipos de compras as lojas físicas ganham a preferência do consumidor e em quais momentos a compra pela internet leva vantagem. De modo geral, a maioria (83%) relata a percepção de que os preços praticados na internet são mais baratos do que nas lojas físicas. Outro aspecto comparativo que aparece com força é a comodidade (75%) seguida da variedade na oferta de produtos (73%). Também são mencionados como fatores positivos da internet a facilidade para escolher produtos (62%), disponibilidade de informações (59%), agilidade na compra (58%) e melhores formas de pagamento (57%).

Em contrapartida, as lojas físicas lideram quando são levados em consideração a facilidade de troca (73%), qualidade do atendimento (51%) e pós-venda (46%). Entre os preferem o ambiente físico para as compras, 40% acham que há menos decepções nesse tipo de compra do que no ambiente on-line e 38% destacam a vantagem de poder levar o produto para casa imediatamente após o pagamento. No geral, a internet é o meio preferido de 62% dos internautas na hora de fazer compras, enquanto 36% ainda preferem as lojas físicas e 1% cita as redes sociais.

Já em relação as sensações provocadas por cada tipo de compra, as lojas físicas são consideradas mais seguras (64%), proporcionam compras mais conscientes e racionais (41%) e também prazerosas (37%). Por outro lado, as compras feitas em sites ou aplicativos costumam deixar o consumidor mais ansioso (62%), proporciona compras mais personalizadas (52%) e estimula compras por impulso (43%).

41% dos internautas admite que cede às compras por impulso. Promoções são as principais razões do gasto impensado. Internauta dá nota oito para segurança digital

A pesquisa aponta que a impulsividade atinge parte considerável dos internautas. Quase (41%) em cada dez entrevistados admite que nem sempre planeja suas compras on-line, sendo que na maior parte das vezes são tentados pelo desejo de consumo (23%) ou pelo senso de oportunidade (18%) ao se depararem com uma oferta. Nesses casos, os principais motivos das compras impulsivas feitas pela internet são as promoções (67%), as visitas constantes aos sites das lojas (36%) e o recebimento de propagandas (24%).

Os tipos de produtos que os internautas menos resistem na internet, mesmo sem saber se tem condições de comprar, são as roupas, calçados e acessórios (37%), cosméticos e perfumes (18%), livros (16%), artigos para casa (15%) e eletrônicos (14%). Já os canais online que mais estimulam as compras por impulso são e-mails de divulgação (56%), notificações de ofertas de aplicativos (48%), redes sociais (33%) e os influenciadores digitais (28%).

“Saber diferenciar desejo e necessidade é fundamental para resistir às compras impulsivas. Com a customização crescente das ofertas enviadas para os internautas, a situação fica ainda mais favorável para compras sem pensar”, alerta a economista-chefe do SPC Brasil, Marcela Kawauti.

Embora muitos internautas não resistam aos apelos da propaganda na internet, a pesquisa aponta um grau positivo de maturidade do consumidor na questão da segurança digital. Assim como as lojas on-line se tornaram ambientes mais seguros com o passar do tempo, os internautas também passaram a se precaver mais na hora de fazer compras usando o computador. Em média, o internauta atribui nota 7,9 no quesito sentir-se seguro para fazer compras on-line. No geral, 91% dos internautas dizem se preocupar com fraudes na internet.

Nesse sentido, 98% das pessoas ouvidas na pesquisa tomam algum tipo de cuidado ao fazer compras pela internet, sendo que 59% só fazem compras em canais conhecidos ou indicados e 39% evitam cadastrar dados do cartão de crédito para compras futuras. Além disso, 35% são desconfiados e não compram em sites que praticam ofertas com preços excessivamente baixos.

“O mercado de e-commerce já amadureceu o suficiente no Brasil para oferecer compras seguras e o consumidor já sabe identificar indícios de fraude de forma mais efetiva. Em geral, ofertas muito generosas e de sites desconhecidos devem ser encaradas com extremo cuidado, pois podem ser sinal de fraude”, alerta o presidente do SPC Brasil, Roque Pellizzaro Junior.

Metodologia

A pesquisa ouviu 815 consumidores de ambos os gêneros, todas as classes sociais, capitais do país e acima de 18 anos que fizeram alguma compra online nos 12 meses anteriores ao estudo, ocorrido entre os dias 08 e 18 de maio de 2018. A margem de erro é de no máximo 3,43 pp a uma margem de confiança de 95%. Baixe a íntegra da pesquisa em https://www.spcbrasil.org.br/pesquisas

Fonte: Assessoria de Imprensa CNDL | SPC Brasil

Vaga para designer

O Guichê Virtual está contratando Designer Jr.

A vaga é para atuar em São José dos Campos – SP.

Envie seu currículo com o nome da vaga no assunto do e-mail para recrutamento@guichevirtual.com.br

 

Vaga aberta para social media

Vaga para atuar em Social Media

Planejar, criar, implementar e monitorar as ações de mídias digitais (Facebook, Instagram e, twitter);

Design de peças para mídias sociais;

Planejamento, estratégia, monitoramento, métricas e análise de mídias sociais.

Elaborar e implementar campanhas de anúncios online.

Elaboração de conteúdos para todos os canais digitais: catálogos, banners, mídias, institucionais, textos, vídeos, fotos, entre outros.

Elaboração de relatórios de desempenho e apresentação de resultados das ações.

Elaborar e gerenciar campanhas de e-mail marketing.

Noções de fotografia, ser antenado as tendências de conteúdo digital e promocional.

Experiência e foco na área de marketing relacionado a mídias sociais.

Diferenciais:

• Superior em Publicidade / Propaganda, Marketing ou Jornalismo;

• Conhecimentos práticos no pacote Office (Word, Excel, PowerPoint e Outlook) e Adobe (principalmente em Photoshop e Illustrator).

Interessados encaminhar currículo para oportunidadetaubate2018@outlook.com
com pretensão salarial

Dança das cadeiras

Agosto agitado

A dança das cadeiras está em ritmo quente neste mês de agosto. Dá só uma olhada em mais algumas movimentações de profissionais pelo mercado valeparaibano de comunicação e marketing.

Marcelo Ramos é o novo Analista de Redes Sociais na Vincere Comunicação, agência digital com foco em política localizada em Taubaté.

Na Momento Marketing & Comunicação a Natalia Souza assumiu o posto de Designer gráfico para reforçar o time criativo da agência.

E a jovem publicitária Alana Alvarenga acaba de assumir o cargo de Analista de mídias sociais na Alameda Comunicação, agência situada em São José dos Campos.

Multinacional abre vaga de estágio

Estágio em marketing digital

A empresa multinacional Wahl está buscando estagiário para atuar em marketing digital.

Interessados encaminhar o currículo para lfonseca@wahlbrasil.com.br com o título “Estágio Wahl”

Caso possuir portfólio, encaminhar o link.