Visualiza e não lembra

Consumidores brasileiros não conseguem recordar marcas de anúncios considerados “visíveis” pelas métricas do setor

Anunciantes precisam fazer mais do que apenas serem vistos na internet para deixar uma boa impressão. De acordo com estudo divulgado esta semana, experiência do usuário é o fator chave na lembrança de marca

A Outbrain, empresa pioneira em descoberta nativa da open web, realizou uma pesquisa de viewability com 1007 consumidores brasileiros e revela que 76% dos consumidores não lembravam da marca de um anúncio dentro dos padrões de viewability da indústria.

O levantamento também aponta que oferecer uma melhor experiência publicitária aliada à relevância do conteúdo junto ao usuário, gera ótimos resultados. A maior parte dos consumidores (88%) se envolvem conscientemente com publicidade. E desse número, 32% se lembram da marca se tiverem uma interação positiva. Além disso, 83% priorizam que o anúncio seja relevante e interessante para eles e 48% consideram que o fator mais importante para engajar com um anúncio é a relevância.

Atualmente, o IAB (Interactive Advertising Bureau) define que apenas 50% dos pixels de um anúncio devem estar visíveis na tela por dois segundos consecutivos para ser considerado visível. “Como indústria, temos um desafio em torno de como medimos visibilidade versus engajamento”, diz Gilad de Vries, vice-presidente sênior de estratégia da Outbrain. “Em vez de focar em métricas de engajamento mais precisas, as marcas ainda estão pagando demais por uma maior visibilidade e assumindo de forma equivocada que isso garante maior engajamento”.

O estudo também revela que vídeos reproduzidos com um clique (45%) aparece como o formato que mais chama a atenção, seguido das recomendações de conteúdo (42%). 53% afirmaram que as recomendações de conteúdo no final das matérias foram consideradas as menos invasivas entre todos os formatos de publicidade em vídeo.

Por outro lado, 89% dos entrevistados têm maior probabilidade de ter uma atitude negativa em relação a uma marca que afete sua atividade on-line; 43% ignoram anúncios que interrompem sua navegação; mensagens pop-ups (47%), reprodução automática de vídeo com som (40%) e reprodução automática de vídeo sem som (33%) são considerados os formatos mais irritantes.

Para o Gilad de Vries, anunciantes e empresas de mídia precisam considerar a adequação do formato do anúncio, seu ambiente e relevância. “Para eliminar o desperdício do que é gasto em anúncios, é necessário reconsiderar a ênfase e a importância que damos ao “viewability”. Esta é a chave para melhorar a experiência do usuário”, finaliza.

Outros países

A pesquisa também foi realizada em outros quatro países, como Espanha (com 1008 entrevistados), Itália (com 1036), Alemanha (com 1000) e Reino Unido (com 1000), totalizando 5051 consumidores. Em todos os mercados, a pesquisa confirmou que estar dentro dos padrões de viewability não é suficiente para que a marca seja lembrada pelos consumidores. Na média entre todos os países, 73% dos entrevistaram não souberam determinar as marcas dos anúncios aos quais foram expostos.

Além de avaliar a métrica relacionada ao viewability, o estudo também apontou que em todas as praças, 64% dos entrevistados conscientemente se envolvem com publicidade. Proporcionar uma experiência positiva, relevante, interessante e não intrusiva é uma influência significativa no recall da marca dos consumidores: 50% consideram a relevância como o fator mais importante no envolvimento com anúncios; também para a metade (50%) dos entrevistados as recomendações de conteúdo ao final das matérias são menos invasivas; e 48% admitem prestar atenção à marca no futuro após ver um anúncio relevante.

Fonte: CommunicaBrasil – Marcela Martinez

Investimento em publicidade digital cresce e deve movimentar mais de 9 bilhões de dólares na América Latina

Publicidade nativa amplia receita de Publishers e engaja audiência por meio de conteúdo personalizado com base em dados de interesse

A publicidade digital, apontada como uma das principais estratégias adotadas para fortalecer ainda mais a interação das organizações com seus públicos, impulsiona um mercado que deve ter investimento de mais de 35 bilhões de reais na América Latina neste ano, segundo pesquisa do eMarketer ‘Latin American Ad Spending 2019’. O levantamento também aponta que o Brasil registrará mais de metade (53,7%) dos gastos na região por de meio de anúncios mobile. De acordo com Luiz Biagiotti, Country Manager da Outbrain, plataforma pioneira em descoberta de conteúdo personalizado, estratégias focadas em native ads que oferecem conteúdo relevante, confiável e personalizado ganham destaque, pois reúnem características que são valorizadas pelos consumidores.

Luiz Biagiotti, Country Manager da Outbrain / Créditos foto: Eugênio Goulart

“Os fatores de sucesso são uma imagem e um headline para capturar a atenção do consumidor”, diz, ressaltando o cuidado com tom comercial, já que o anúncio nativo está integrado de forma harmoniosa a um conteúdo editorial. Biagiotti também enfatiza que funcionalidades que permitem a recomendação de vídeos e a possibilidade de compra programática de espaços nativos também tendem a atrair mais anunciantes. “Conteúdo audiovisual tem alto engajamento e consegue passar a mensagem com emoção e de maneira mais impactante; já a mídia programática pode conseguir uma resposta muito mais segmentada para cada usuário em tempo real, o que resulta em um maior engajamento e em taxas de conversão maiores”, finaliza o diretor.

Sobre a Outbrain

Outbrain (www.outbrain.com) é a principal plataforma de descoberta por meio de formatos nativos do mundo, que oferece conteúdo relevante, personalizado e confiável para a audiência, enquanto ajuda publishers a entenderem seu público por meio dos interesses reais do leitor. Em uma década desde que Outbrain abriu suas portas, a empresa se transformou em um negócio que atende mais de 250 bilhões de recomendação de conteúdo personalizado a cada mês e chega a meio bilhão de visitantes únicos de todo o mundo. A expansão da Outbrain para algumas das maiores propriedades globais da web é um reflexo do seu rápido crescimento e suas inovações bem sucedidas no apoio a uma nova era de publicação digital. Publicações de primeira linha que atualmente alavancam a plataforma Outbrain incluem: Infoglobo, Editora Globo, Folha de S. Paulo, CNN, The Guardian, The Telegraph, Sky News, Le Monde e Time Inc.

Fonte: OUTBRAIN COMMUNICA BRASIL – Marcela Martinez