Coluna Propaganda&Arte

Dê a eles o que eles querem

Por Ricardo Guerra

Propaganda e Arte sempre caminharam juntas, mas ao mesmo tempo estão caminhando para locais opostos. Ou estariam se fundindo em um novo campo de conhecimento? Arrisco dizer que na verdade isso é bem antigo e você nem fazia ideia.

Velha roupa nova

Quem estuda copy, ou seja, textos pensados para o ambiente digital, focados em gerar ações específicas ou conversões, com certeza, já ouviu falar de gatilhos mentais.

Mas essa história de “últimas vagas”, “por tempo limitado” e “outras pessoas aprovaram”, funcionam mais para quem já está dentro do barco. Não vai fazer milagre em uma campanha. Então não tem muito segredo aqui e nada muito diferente da redação publicitária tradicional, exceto que o timing das coisas mudou.

Até porque o estudo do poder da linguagem e da indução é bem antigo, passando pelos sofistas até o próprio Aristóteles e estão muito bem documentado nas famosas três Artes Liberais: Gramática, Retórica e Dialética ou Lógica explícitas no livro O Trivium da Irmã Miriam Joseph (1898-1982).

Quando estudamos, por exemplo, os tipos de indução, temos a indução enumerativa que muito se assemelha ao que ensinam no marketing digital com um novo nome “prova social”: 95% das pessoas aprovaram tal produto. Ou seja, o conhecimento é bem antigo mesmo, só está de cara nova.

A arte comercial e a arte como comercial

Entao, se todo esse conhecimento atual já foi falado lá atrás, pelo menos os conceitos básicos, o que temos de diferente hoje?

Muita coisa. Até porque as pessoas mudam, as gerações mudam a linguagem e as Artes Liberais precisam ser revistas e readaptadas. Uma dessas mudanças está no próprio funcionamento do mercado, que não por acaso, está ligado intimamente ao conceito de propaganda e marketing. O mercado mudou, as formas de valorização e remuneração também, as marcas e produtos também, nós, comunicólogos também precisamos mudar. Os artistas estão passando por uma crise nunca vista com a chegada da Inteligência Artificial e muitos debates éticos estão sendo realizados.

Nessa confusão de contextos e hipertextos, chegamos às grandes questões da propaganda atual e da arte atual. Por um lado, os artistas questionam o que realmente é arte? Os músicos podem ser mais comerciais? Podemos criar produtos artísticos que realmente atendam a uma demanda? Ou precisamos deixar o artista livre para criar sem pensar em formatos ou propostas comerciais?

Já os publicitários estão precisando repensar suas formas de divulgar produtos e soluções. Nunca esteve tão em alta investimentos em outras áreas e em peças que na verdade são verdadeiras obras de arte com grande apelo artístico e refinamento, como documentários, instalações, ações sociais com grande apelo emotivo, questões ligadas a valores etc.

Nessa hora, não sabemos o que é arte e o que é propaganda, pois uma coisa se funde com a outra e isso é bem interessante ao meu ver, pois pode gerar maior envolvimento e verdade.

Artistas e Publicitários: quem somos nós?

De um lado, publicitários que queriam ser artistas. De outro, artistas que não querem se vender e perder sua essência, mas precisam pagar as contas. No fim das contas, precisamos voltar a um tema que os antigos filósofos eram mestres: autoconhecimento. Com isso, um pouco de estudo e interesse em ser útil, você vai encontrar algo que o mercado quer e que você é bom. Quando encontrar, só um conselho que eu lhe darei: dê a eles o que eles querem e seja feliz.

Quer presente de Natal melhor do que ser útil e ajudar as pessoas com seu trabalho?

7 dicas para fazer um bom marketing digital

Por Mahara Scholz*

Atualmente, existem mais de 5 bilhões de usuários conectados à internet em todo o mundo. Com os consumidores abandonando espaços físicos e realizando tarefas do dia a dia na palma da mão, a demanda por comunicações digitais ganhou ainda mais espaço nas estratégias das empresas. As chances de uma pessoa que entra em um novo restaurante ou até mesmo em uma oficina mecânica ter encontrado aquele estabelecimento online são grandes. E é isso que torna o marketing digital tão importante. Assim, é possível se conectar com o cliente e não oferecer apenas produtos, mas também garantir que ele tenha acesso à informação de qualidade e uma boa experiência de compra. Da mesma forma que o marketing tradicional, o digital busca promover bens ou serviços, impulsionar vendas e aumentar a consciência de marca.

Seja seu negócio B2B ou B2C, ter o marketing digital no plano de ação é indispensável para garantir presença na internet e conquistar novos clientes. Por isso, separei sete dicas práticas para realizar uma comunicação digital assertiva e obter os resultados que busca para expandir o seu negócio.

Geração e qualificação de leads
O primeiro passo é conhecer o seu público, dessa maneira você conseguirá ter ideias sobre o que funcionará melhor para sua base. Por isso, contar com ferramentas que auxiliem na geração e qualificação de leads – pessoas que tiveram contato com a sua marca e demonstraram interesse de compra – é indispensável. Neste contato, a empresa realiza perguntas diretas e simples para entender o momento do cliente e se ele é um potencial comprador. Com essa definição, a equipe ganha tempo para agir estrategicamente e iniciar a técnica de venda ativa. Assim, é possível segmentar os usuários de acordo com interesses mais específicos e conectá-los rapidamente com a área de vendas para garantir as oportunidades quentes. Nestes casos, muitas empresas têm investido no uso de bots, que garantem um atendimento rápido e humanizado, 24h por dia, sem a necessidade de um agente humano disponível.

Aposte na personalização
Uma pesquisa da Adlucent Marketing Performance mostrou que 71% dos entrevistados preferem anúncios personalizados, tendo duas vezes mais chances de clicar em publicidade digital de marcas desconhecidas, caso o assunto esteja de acordo com suas preferências de consumo. Por isso, reserve um tempo para estudar e compreender totalmente quem é seu público e descobrir quais são as redes sociais e aplicativos de mensagens que passam mais tempo conectados.

Ações de relacionamento proativas
Também conhecido como marketing de relacionamento, as ações proativas buscam estreitar os laços com a sua clientela. Ao contrário do marketing de divulgação tradicional, onde você precisa investir para captar novos públicos, estas ações permitem a rentabilização do banco de dados de clientes que você já possui. Aproveite datas comemorativas e aposte na distribuição de brindes e cupons de desconto exclusivos.

Facilite a jornada do cliente
No mundo de hoje, os consumidores exigem rapidez no processo de compra. Facilitar a jornada do cliente significa melhorar sua experiência e agilizar o atendimento. A loja Velocità, especializada em artigos para corrida, por exemplo, automatizou os atendimentos e além de entregar respostas mais rápidas e melhorar a experiência dos clientes, ainda aumentou cerca de 15% das vendas online. Isso aconteceu porque eles centralizaram os canais de comunicação em apenas uma plataforma e reduziram o tempo de resposta ao usuário.

Organize sua equipe
A estratégia de marketing não abrange somente a comunicação da sua empresa com os consumidores. O desempenho da sua equipe possui um papel maior do que você imagina, especialmente quando se trabalha à distância. Sempre podem existir fatores que desalinham a comunicação do seu público interno, por isso, é importante investir em um canal interno ou uma plataforma com as novidades da empresa. Com campanhas de e-mail marketing e atualizações no site, por exemplo, é possível manter os colaboradores engajados, melhorar a comunicação entre os times e ainda manter padrões que ajudem, de maneira prática, na qualidade do atendimento do cliente.

Trabalhe na construção e reconhecimento de marca
Como a internet tem um alcance global, o seu negócio poderá ser visto por um público muito maior do que se imagina. Com o apoio do marketing digital é possível trabalhar na construção e no reconhecimento de marca, incluindo posicionamento, valores e ideais. Quando uma empresa é vista como uma marca reconhecível e de boa reputação, a credibilidade aumenta e facilita não só a fidelização de clientes, mas também a atração e retenção de talentos que compartilham da mesma visão.

Aposte em parcerias
Outra excelente maneira de aproveitar a comunicação digital para aumentar a visibilidade da sua marca é com o apoio de parcerias. Elas podem ser realizadas com outras marcas que oferecem produtos ou serviços complementares aos seus, ou com influenciadores digitais cuja presença nas redes sociais tenha um público que pode se interessar pelo que você oferece.

*Mahara é formada em administração de negócios pela UDESC, e possui especialização em Marketing pela ESPM. Já estruturou e escalou equipes de Marketing, vendas e CS e trabalhou em grandes empresas como Grupo RBS e RD Station. Atualmente é Head de Marketing na Octadesk.

Plataforma mede engajamento

Professor universitário cria plataforma inédita para avaliar o nível de engajamento das empresas nas redes sociais

O Engajômetro é um quiz com 16 perguntas que, combinadas, testam o nível de interação e engajamento das marcas no âmbito digital. Mas como essa ideia surgiu? A história começou em 2010, quando o professor Alysson Lisboa retornou de seu primeiro mestrado na Espanha. Lá, ele conheceu a fundo novas ferramentas de comunicação digital e um conceito chamado Transmedia Storytelling.

Desde então, foi desenvolvendo metodologias próprias para aplicar os conceitos estudados. O que intrigava o professor que, na época trabalhava com jornalismo digital e lecionava Marketing Digital, era o fato de que alguns conteúdos são mais aderentes que outros e, consequentemente, mais fáceis de serem propagados. Foi então que surgiu o Canvas Propagabilidade, um instrumento utilizado em sala de aula e também em congressos, workshops e mentorias na área de comunicação e marketing digital.

Durante o desenvolvimento da metodologia, que vem evoluindo constantemente, o professor Alysson sentiu a necessidade de digitalizar o processo para que mais pessoas pudessem ter acesso. Assim, nasceu o Engajômetro – um quiz com 16 perguntas que, combinadas, geram insights sobre a qualidade da propagação e engajamento da audiência de uma marca nas redes sociais. O professor Alysson é diretor da ETC Digital, empresa de Assessoria, Consultoria e Planejamento em Marketing Digital, com sede em Belo Horizonte (MG).

“Comunicação Social” não é uma ciência exata e há diversas variáveis quando falamos dos motivos pelos quais os conteúdos são ou não producentes. Segundo o pesquisador norte-americano e autor de importantes livros sobre convergência e cultura participativa Henry Jenkins, “a propagação, de todas as formas de mídia, depende tanto (ou mais) de sua circulação pelo público quanto de sua distribuição comercial”. Ele completa: “A propagabilidade é determinada por processos de avaliação social e com a participação ativa dos públicos engajados”. Para Jenkins, a circulação se dá pelo público e por meio dele. Mas a pergunta que o professor Alysson se fazia era: “Quais comportamentos das marcas nas redes sociais podem aumentar as chances de tornar o conteúdo ‘propagável’?”.

Esse foi então o ponto de partida para a criação do Canvas Propagabilidade, desenhado pelo professor, e que agora ganha uma adaptação para o digital. A ideia não é reproduzir a estrutura do trabalho anterior, mas sim apresentar uma evolução dos processos.

As respostas trazem apontamentos sobre comportamentos que dificultam que um conteúdo produzido para as mídias sociais chegue ao público certo. O grande desafio foi colocar pesos diferentes para cada resposta incluída no formulário. As pontuações são combinadas por algoritmos e, dependendo do que é marcado, indicam um nível de engajamento maior ou menor.

A comunicação por meio das mídias sociais levam em consideração diversos fatores e não apenas se há presença ativa em várias redes sociais, como Facebook, Twitter, Tik Tok etc. O empenho em construir conteúdo próprio, materiais ricos, como post blog e adaptar os materiais para cada público e rede são fortes indicativos de uma rede mais producente e próxima do cliente.

Ao final do questionário, o participante recebe um relatório sintético sobre o engajamento da marca nas mídias sociais. O índice é dividido em três níveis com pontuações diferentes, a partir das respostas geradas. Para utilizar o Engajômetro gratuitamente, basta acessar: www.engajometro.com.br e responder corretamente as perguntas. Para saber mais sobre o professor Alysson Lisboa, basta acessar o site da ETC Digital: www.etcdigital.etc.br.

 

Dança das cadeiras

Acompanhe mais um pouco da movimentação do mercado de comunicação

Tem gente nova ocupando novas posições no mercado de comunicação da RM do Vale do Paraíba.

A jornalista Amanda Poso assumiu o cargo de Head de comunicação na Agência BKW Creative Results, em SJCampos.

Amanda Poso

Já o publicitário Fábio Máximo é o mais novo Assistente de Comunicação Regional do SESI-SP.

Fábio Máximo

Letícia Dias do Vale agora é Analista de marketing digital na M3 Comunicação.

Letícia do Vale

E o ainda estudante de jornalismo pela Unitau, Marcelo Costa, é o mais novo estagiário da Rede Vanguarda.

Marcelo Costa