6 principais erros do marketing digital para evitar em 2021

Atualmente, os olhos das pessoas estão muito ligados ao digital e as empresas precisam entender o perfil dos consumidores para se adaptarem a essa nova realidade; mas, tendo essa necessidade em vista, muitas vezes não conseguem traçar uma estratégia positiva

São Paulo, janeiro de 2021 – Nos últimos anos, investir em diversas estratégias de marketing digital se tornou essencial para muitas empresas, afinal, já é sabido que o digital invadiu o mundo dos negócios. Com o isolamento social e a necessidade de migrar as vendas de produtos e serviços, os empreendedores enxergaram as redes sociais como uma oportunidade para se manter estável. Para se ter uma ideia, de acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), mais de 70% dos brasileiros têm acesso a internet e, desse número, 97% acessa por meio dos dispositivos móveis. Isso comprova a necessidade das corporações entenderem o papel do marketing digital.

Porém, de acordo com Alex Vargas, especialista em marketing digital e empreendedor digital com 800 mil inscritos em seu canal no YouTube, mesmo funcionado como uma solução para muitos empreendedores, existem algumas estratégias realizadas de maneira inadequada que podem gerar um efeito contrário do desejado. “São detalhes simples mas que podem passar despercebidos e estragar totalmente sua estratégia de vendas. Por isso, construir uma boa vitrine virtual é essencial”, explica.

Alex Vargas

Abaixo, o especialista lista os principais erros e uma estratégia prática do que fazer para seu resultado do marketing ser rápido e eficaz. Confira:

1 – Falta de paciência: tome cuidado com o imediatismo, ansiedade e desespero. “Não é correto pensar que uma coisa que você nunca fez vai funcionar perfeitamente logo na primeira vez. Não podemos comparar nossa primeira semana com os três ou quatro anos de uma outra pessoa. Normalmente, os processos no marketing digital não são rápidos. Gosto de indicar a estratégia do 100 – 100 coisas, 100 dias, quando nos damos esse período cria-se um espaço de tempo para os resultados aparecerem. Pensa: quanto tempo que leva uma faculdade? Quanto tempo é um contrato de trabalho? Então, se livre desse imediatismo, dessa ansiedade, desse desespero, saiba que as coisas não vão acontecer logo de primeira, e que tudo leva o seu tempo”, alerta Alex Vargas.

2 – Falta de planejamento: é necessário entender que todos os empreendedores de sucesso tem um ponto em comum: disciplina. “Ela é fundamental em um negócio, principalmente no início, e você precisa entender como é sua disciplina do dia a dia, seguindo horário, alimentação, exercícios, trabalhando a mente, para manter o foco. Não se compare com quem já está no mercado há muito tempo, ou com perfis de ostentação, siga a sua estratégia e tenha paciência e compreensão com seu processo”, revela Vargas.

3 – Não fazer uma análise de concorrência: para a estratégia ser completa logo de início, também é preciso fazer uma análise de quem são os concorrentes e o que estão falando. “O intuito aqui é entender o que está falando na estratégia do outro para aplicar em seu negócio. Por exemplo: um arquiteto percebe que seus concorrentes não estão falando sobre design biofílico, você pode levar essa novidade para os seu público. Então, faça esse diagnóstico desde início”, complementa.

4 – Ter um site não seguro: esse é um erro bem comum e que os empreendedores, muitas vezes, desconhecem. “Caso você queira aplicar algumas estratégias no seu site, na hora da criação, é preciso se certificar se o mesmo está habilitado para receber as ações de marketing digital. Isso porque, é preciso que as suas visitas se tornem em algum tipo de conversão (leads ou vendas). Apenas os anúncios em si não vendem e nem geram contatos”, salienta.

5 – 80% Prática e 20% Teoria: o “Princípio de Pareto” também pode ser aplicado ao marketing digital. A partir dele é possível saber uma propensão dos resultados dentro dos negócios. “Só estudar e não partir para a ação não vai funcionar. Não fique esperando o momento, cenário ou equipamentos ideais, apenas comece. No início, demorei para colocar em prático tudo o que aprendi, pensava na câmera ideal para gravar o vídeo, edição e outras pontos, mas o mais importante é o conteúdo e ir aprendendo na prática. É fundamental se atualizar, mas também tudo que foi visto deve ser colocado em prática. Estude em 20% do seu tempo e aplique 80% o que aprendeu. Essa teoria também vale em outros sentidos, como 80% dos resultados estão relacionados a 20% dos investimentos”, complementa Alex Vargas.

6 – Não identificar o nicho, produto e estratégia: saiba qual caminho você quer seguir e persiga nele. “Se você está trabalhando com Dropshipping, por exemplo, um segmento que cresce a cada dia e que o empreendedor é responsável por precificar a venda e o marketing da loja, é necessário focar em um produto e estratégia: se está vendendo uma câmera específica, faça campanhas recorrentes e se torne um especialista nessa área, assim os seus clientes vão chegar até você. Além disso, saiba focar em um produto e na estratégia: se vai fazer vídeo para o Youtube fique neste canal até dar certo, faça roteiro e conclua”, exemplifica Alex.

É importante deixar claro que o mundo do marketing digital é bem amplo e que existem diversas formas de fazer o seu negócio aparecer, seja vídeos, campanhas no Google e nas redes sociais ou até por meio de conteúdos. “Veja qual delas se encaixa melhor para o seu negócio e siga as dicas que o resultado será positivo”, finaliza o especialista.

Sobre Nucleo Expert

O Nucleo Expert é um blog de propriedade de Alex Vargas, considerado um dos maiores especialistas em Marketing Digital do Brasil. São postados conteúdos gratuitos focados em Marketing Digital, Empreendedorismo, Produtividade e Estilo de Vida.

Sobre Alex Vargas

Alex Vargas é empreendedor digital há mais de 15 anos. Desenvolveu dezenas de negócios na Internet. É criador de diversos treinamentos online, com destaque para o Fórmula Negócio Online que é considerado o treinamento mais indicado para quem quer começar um negócio do zero. Reconhecidamente como um dos mais bem sucedidos profissionais de marketing digital do Brasil. Desenvolveu os melhores treinamentos para empreendedores digitais, profissionais de marketing e afiliados da atualidade. Reconhecido pelo mercado como um dos melhores copywriters da atualidade. Criou cartas de vendas de altíssima conversão. Desenvolveu diversos negócios na Internet. Ganhou o prêmio de Empreendedor Digital do ano de 2019 do Afiliados Brasil. Motivador de pessoas. Aborda pontos de motivação e mindset para criação de negócios altamente lucrativos.

Fonte: Comunica PR – Maria Carolina Rossi

Share and Enjoy !

0Shares
0 0

Conheça seis aplicativos que bombaram em 2020

Veja alguns dos apps que mais se destacaram no ano

2020 foi um ano atípico e que causou mudanças, inclusive, na tecnologia. Com a chegada da quarentena em março, as tendências foram modificadas, fazendo com que aplicativos que divertem e, principalmente, auxiliam no dia-a-dia e no auto aperfeiçoamento ganhassem mais destaque. Confira alguns apps que bombaram no ano da pandemia:

Image by Gerd Altmann from Pixabay

TikTok

O app se destacou como fonte de entretenimento para os jovens logo no início da quarentena, com vídeos de coreografias, imitações e humor. Muitas celebridades entraram na brincadeira, e começaram a utilizar o aplicativo também. O sucesso foi tão grande que o TikTok, atualmente, é usado por adultos e crianças.

Zoom

Devido à pandemia, reuniões de trabalho e até mesmo encontros com amigos tiveram que ser realizados virtualmente, o que resultou em um aumento no número de usuários de aplicativos de vídeo-conferências, como o Zoom.

Meditopia

Uma das formas mais utilizadas para reduzir o estresse da quarentena foi o uso de aplicativos de meditação e relaxamento. Desde 2017, os brasileiros já ocupavam o segundo lugar no ranking de países mais estressados, no levantamento realizado pelo International Stress Management Association. Com o isolamento social, esse quadro só piorou, levando as buscas por meditação no Google baterem recordes, com crescimento de 4.000%. O app que se destacou, nesse sentido, foi o Meditopia.

Babbel

Com o impedimento de aulas presenciais, os interessados em aprender novos idiomas encontraram a solução em aplicativos que possibilitam o ensino on-line. A Babbel, considerada uma das empresas de educação mais inovadoras do mundo, bateu recordes de assinaturas em 2020 e se consolidou como a plataforma de ensino de idiomas mais lucrativa do mundo.

Microsoft Teams

A partir de março de 2020, as instituições de ensino tiveram que se adaptar ao ensino à distância. Por isso, escolas e universidades começaram a utilizar apps que possibilitassem aulas on-line. O aplicativo que mais se destacou na categoria foi o Microsoft Teams.

Gmail

Após o início da quarentena, milhares de empresas adotaram o home office para os funcionários. Com a tendência do trabalho remoto, o aplicativo de e-mails do Google, que já era conhecido, se tornou ainda mais essencial, sendo um dos mais utilizados no ano para trabalhos compartilhados.

Fonte: Arebo – Roberto Moreno

Share and Enjoy !

0Shares
0 0

76% das empresas pretendem ampliar investimentos em marketing digital em 2021

Estratégia que ganhou força durante a pandemia se consolida como o “novo normal” do mercado

O marketing digital crescerá de importância no próximo ano como estratégia de vendas das empresas. É o que revela a pesquisa Estratégias de Marketing Digital para 2021, elaborada pela Adaction, veículo de comunicação especializado em ações de mídia digital e Inflr, startup especializada em ações com influenciadores digitais. De acordo com o levantamento, 76,19% dos gestores de marketing e executivos pretendem ampliar os investimentos em marketing digital em 2021. Foram ouvidas 2.100 pessoas durante o mês de novembro. “As pessoas estão cada vez mais conectadas. O marketing digital já supera 50% dos investimentos em campanhas por ser mais assertivo”, diz Thiago Cavalcante, diretor da Adaction e da Inflr.

Image by Gerd Altmann from Pixabay

Até 2023, mais de 60% dos orçamentos em publicidade devem ser alocados para o ambiente online. Enquanto mercados mais maduros já estão consolidados, o Brasil ainda tem um espaço considerável para crescer tanto em acesso como nas mídias. O País já é o sétimo mercado do mundo em marketing digital e deve fechar o ano movimentando algo perto de US$ 18 bilhões nessas plataformas.

“Estamos presenciando a consolidação do digital como estratégia para alcançar o grande público”, analisa Cavalcante. Segundo ele, o momento ainda é de aprendizado por parte das empresas, pois muitos iniciaram suas campanhas digitais em meio à urgência provocada pelo isolamento social.

Chama a atenção na pesquisa o fato de 42,86% dos entrevistados nem sempre mensurarem os retornos de suas campanhas digitais e outros 9,52% não fazerem questão disso. “Da noite para o dia, as empresas precisaram se reinventar. Quem não tinha presença digital precisou criar campanhas do zero para garantir a própria sobrevivência. Em 2021, este movimento será bem mais forte”, explica.

A análise de Cavalcante vai ao encontro de outro dado da pesquisa. Nem todas as empresas estão plenamente satisfeitas com os resultados obtidos em suas campanhas de marketing. Segundo o levantamento, somente 28,57% dos entrevistados se mostraram muito satisfeitos e outros 52,38% responderam que os resultados vieram dentro das expectativas. O restante declarou não ter obtido bons resultados.

Sobre as tendências para 2021, a maioria das empresas aposta na divulgação de conteúdo qualificado (38,1%). “A qualidade do marketing do conteúdo vai falar alto em 2021. É notório que o engajamento sempre dependeu e vai depender cada vez mais disto. E vai se destacar quem apresentar as melhores soluções às necessidades dos consumidores por meio da oferta de informação qualificada na hora certa”, diz Cavalcante. Outros 28,57% acreditam no uso de inteligência artificial como grande tendência para o próximo ano. “No atendimento ao cliente, por exemplo, a tecnologia é utilizada para automatizar os processos, bem como desenvolver robôs de atendimento ou assistentes virtuais – conhecidos como chatbot – para interagir com o cliente via chat de site, rede social e aplicativos, entre outros”, complementa. Os Webinars também são apontados por 19,05% dos entrevistados como forma de atingir o consumidor, seguidos pela integração entre e-commerce e redes sociais.

Com relação às redes sociais, 33,33% dos entrevistados afirmam não ter preferência por canal e apostam em todos como estratégia de marketing. Já aqueles que focam em alguma mídia específica, a maior parte (28,05%) acredita que o Linkedin é o melhor canal, seguido de Facebook e Instagram (19,05% cada).

A estratégia de remarketing deve ganhar peso em 2021. Ao serem perguntados sobre quanto do seu marketing de influência ajuda na estratégia de remarketing, a maioria dos participantes da pesquisa 57,14% responderam que um apoia o outro, pois ambos se complementam. Outros 28,57% afirmaram não saber mensurar e o restante acredita que são coisas distintas.

Marketing de influência

As empresas pretendem também ampliar seus investimentos no marketing de influência em 2021. Hoje, 77,77% declaram que esta estratégia tem peso grande ou médio em seus investimentos em marketing. Já a possibilidade de contratação de um influenciador para as campanhas é uma realidade para 42,86% dos gestores que participaram do levantamento. Outros 38,10% não descartam a possibilidade de contar com um. “Ao trabalharem com influenciadores, as marcas têm a oportunidade de investir menos recursos e conseguirem falar diretamente com quem realmente se interessa por seus produtos e serviços”, lembra Cavalcante.

Image by Gerd Altmann from Pixabay

Os dados da pesquisa são corroborados pelas perspectivas de mercado. As projeções são de que o TAM (mercado total endereçável) do marketing de influência vá bater a casa dos R $10 bilhões em 2021. Entende-se por TAM o total de receita disponível no mercado para serviços envolvendo influenciadores. “A tendência foi impulsionada pela pandemia, que consolidou de vez a era do boca a boca digital ao destacar o poder de divulgação na internet”, ressalta.

Sobre que tipo de influenciador digital contratariam, os entrevistados apostam em pessoas que se identifiquem com o propósito da empresa (35%) e com aqueles que tenham informação e conteúdo qualificado (30%). Outros tipos de influencers citados são aqueles com que os internautas se identificam por exibirem histórias reais (20%) e os mais maduros (15%). Os mais jovens não foram citados pelos entrevistados.

Fonte: Compliance Comunicação – Assessoria de Imprensa – Ana Borges

Share and Enjoy !

0Shares
0 0

Transformação digital foi acelerada

Transformação digital que levaria anos foi acelerada em apenas 2 meses em razão da Covid-19, diz estudo ISG

Empresas desafiadas por mudanças repentinas nas compras, na cadeia de suprimentos e em outras áreas realizaram iniciativas digitais de longo prazo em poucos meses

A crise sanitária causada pela Covid-19 fez com que todas as empresas recolhessem seus planos de investimento e acelerassem seus projetos em transformação digital, tornando esse processo de digitalização uma realidade e não mais uma opção, aponta o relatório 2020 ISG Provider Lens ™ Digital Business – Solutions and Service Partners para o Brasil.

Image by Gerd Altmann from Pixabay

De acordo com o estudo lançado nesta semana pela Information Services Group (ISG), líder global em pesquisa e consultoria em tecnologia, produzido e divulgado pela TGT Consult no Brasil, a pandemia e os lockdowns associados deixaram muitos segmentos de indústria lutando para sobreviver nos primeiros meses de 2020. Tendências emergentes rapidamente em resposta à crise, como a adoção de compras online e internet banking, além da adoção de plataformas de colaboração e videoconferência no local de trabalho, levaram as empresas a realizar em dois meses o que seriam projetos de digitalização de anos.

“O futuro exige mais automação, resiliência e colaboração virtual. Soluções e serviços de negócios digitais são essenciais para a maioria das empresas que buscam implementar novas tecnologias e formas de trabalho”, afirma o autor da pesquisa ISG e analista TGT Consult, Mauricio Ohtani.

Segundo o relatório ISG, os exemplos mais positivos são o campo da telemedicina, no qual milhares de pessoas receberam suporte imediato, e o setor do varejo, no qual muitas iniciativas de comércio eletrônico tiveram uma aceleração bastante considerável. As principais empresas brasileiras do varejo tiveram suas ações na bolsa de valores supervalorizadas com base em suas iniciativas digitais. Este cenário exigiu das empresas a busca por suporte em áreas como experiência do cliente, ciclo de vida do produto e cadeia de suprimentos, abrindo uma nova janela de oportunidades para as empresas que fornecem suporte para esse tipo de transformação digital.

“Este relatório mostra o quanto é relevante ter uma maturidade digital quando comparamos as empresas menos impactadas negativamente por conta da crise do coronavírus, com aquelas que ainda não se transformaram e quase sucumbiram diante do enorme desafio”, diz Mauricio Ohtani.

Em resposta, os provedores de serviços em digital business intensificaram suas estratégias de go-to-market, acelerando o lançamento de novas ofertas e expandindo seus portfólios. A crise também acelerou os fornecedores na adoção de métodos de desenvolvimento agile e DevOps, para atender às demandas atuais. Uma das operações mais afetadas em todo o mundo, a da cadeia de suprimentos, acelerou a transformação digital e a adoção de tecnologias avançadas, como inteligência artificial/aprendizado de máquina (AI/ML), automação de processos através de robôs (RPA), internet das coisas (IoT) e blockchain, mostrando que a COVID-19 se tornou o gatilho para transformar e melhorar a cadeia de valor. No entanto, o blockchain, ainda parece estar no começo da sua curva de maturidade no país, diz o estudo ISG.

O relatório 2020 ISG Provider Lens ™ Digital Business – Solutions and Service Partners para o Brasil avaliou as capacidades de 36 provedores em cinco quadrantes: Digital Business Consulting Services, Digital Customer Experience Services, Digital Product Lifecycle Services, Blockchain Services e Digital Supply Chain Transformation Services.

O relatório nomeou a Accenture e a IBM como líderes em todos os cinco quadrantes. BRQ, Stefanini e Wipro foram nomeadas líderes em quatro quadrantes e a Deal em três quadrantes. Capgemini, CI&T, Deloitte Digital, EY, Reply e Sonda aparecem como líderes em dois quadrantes, enquanto DXC Technology, ilegra, Infosys, Logicalis, PwC e Sinqia estão um quadrante cada.

Além disso, a T-Systems foi considerada como Rising Star – uma empresa com um “portfólio promissor” e “alto potencial futuro” pela definição do ISG – em dois quadrantes. Everymind e Sonda aparecem como Rising Stars em um quadrante.

Versões personalizadas do relatório estão disponíveis na BRQ, Deal e ilegra.

O relatório ISG Provider Lens™ Digital Workplace of the Future – Services & Solutions 2020 para o Brasil está disponível para os assinantes ou para compra através da TGT Consult.

Fonte: Mondoni Press

Share and Enjoy !

0Shares
0 0

ACIT e HITT firmam acordo

ACIT assina termo de parceria com Hub de Inovação Tecnológica de Taubaté

Na manhã dessa quarta-feira, 09 de dezembro, o atual presidente da Associação Comercial e Industrial de Taubaté, Ricardo Vilhena, participou do evento de apresentação das seis novas startups que vão compor o Hub de Inovação Tecnológica de Taubaté (Hitt).

Durante o evento, foi assinado um Termo de Parceria entre a ACIT e o Hitt para o apoio ao desenvolvimento de novos projetos.

Atualmente, o Hitt tem como principais parceiros a Prefeitura Municipal e Universidade de Taubaté, através do EPTS.

A ACIT acredita que as startups podem trazem inovações além de buscar soluções para várias demandas das empresas da nossa cidade, pois a tecnologia e o empreendedorismo fazem parte do desenvolvimento do comércio e da economia.

A Associação está sempre atenta às novidades e há alguns anos já participa com a FATEC do campeonato Hackathon, que é uma maratona de ideias, e realiza também o Campeonato de Empreendedorismo com alunos do ensino médio do município em várias categorias, visando desenvolver os jovens para o mercado de trabalho.

O evento contou também com a presença do ex presidente da ACIT e prefeito eleito José Saud, do atual prefeito Ortiz Junior, da Reitora da UNITAU, Profa. Dra. Nara Fortes, além de vereadores da cidade.

“Esse novo Termo é importante para ampliar as parcerias da ACIT. Buscamos estar atualizados e atentos às novidades para oferecer melhorias para o desenvolvimento da nossa cidade e, simultaneamente, das nossas empresas e do nosso comércio. Queremos sempre oferecer as soluções mais modernas aos nossos associados.” ressalta Ricardo Vilhena.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Bruna Abifadel

Share and Enjoy !

0Shares
0 0

Examanas, uma comunidade para desmistificar o “sou de humanas” na prática de análise de dados

Liderado pela Keep.i e com o apoio de nomes importantes do mercado, a comunidade quer descomplicar o entendimento dos dados para os profissionais de comunicação

A crise causada pela Covid-19 acelerou de forma significativa o processo de digitalização das empresas, e até mesmo os hábitos dos consumidores, considerando que 56% dos brasileiros acreditam que a situação incentivou o uso da tecnologia no dia a dia, de acordo com o Kantar Ibope Media.

Com o aumento do uso de tecnologia em quase tudo que fazemos, os dados ganham ainda mais importância daqui em diante. Em pesquisa recentemente publicada pela Altimeter, 42% dos profissionais de comunicação entendem que análise de dados é a habilidade que mais desejam desenvolver em 2021.

Neste cenário, a Keep.i, startup que oferece tecnologia em dados para o mercado de comunicação, reuniu profissionais que atuam em diferentes disciplinas da comunicação para oferecer conteúdo descomplicado sobre o tema.

“Abriu-se um espaço enorme para desmistificar o assunto para aqueles que ainda refutavam a ideia de que os dados fazem parte da sua rotina. Examanas, é mais que uma comunidade, é uma definição do que é o profissional do presente e do futuro.” explicou Kaique Oliveira, idealizador e um dos embaixadores do projeto.

A comunidade é gratuita e deve ao longo do tempo trazer cursos que tentam na prática mostrar o universo de dados por uma outra perspectiva.

Para conhecer mais acesse: www.examanas.com.br

Share and Enjoy !

0Shares
0 0

Aplicativo Cartoonify chega fazendo sucesso

Aplicativo transforma sua foto em um desenho padrão Disney

Lançado há um mês, o aplicativo Cartoonify chega fazendo sucesso. Com ele, é possível transformar o rosto de uma pessoa, através de uma foto, em um desenho que lembra as famosas animações da Pixar Disney.

Já imaginou como seria sua aparência se você fosse um personagem de desenho animado? A tecnologia e a computação gráfica de hoje mostram que isso é possível. E não é um processo difícil, afinal, basta ter acesso à uma boa foto e um aplicativo que cumpre esta função. Idealizado pelo trio Fernando 3D, Bruno Sartori e Leandro Gomes, ele já é realidade. O aplicativo Cartoonify foi colocado nas lojas virtuais da Google há um mês e já está fazendo grande sucesso com os usuários. Tudo isso é possível graças a um algoritmo de redes gan com inteligência artificial.

Um dos motivos que deu início a esse projeto foi quando os Bruno Sartori e Fernando 3D publicaram um vídeo e uma ilustração feito com Inteligência Artificial em suas redes sociais. “O sucesso foi imediato. A partir daí, as pessoas começaram a pedir ilustrações próprias”, conta o diretor de arte, Fernando 3D. Neste mesmo período eles conheceram o desenvolvedor de softwares especialista em Inteligência Artificial, Leandro Gomes: “Com mestrado em engenharia, de imediato ele topou transformar esta ideia em um aplicativo”, acrescenta Fernando.

O app já está disponível da Google Play Store e já teve mais de 10 mil downloads. Diversas melhorias estão a caminho, conta Fernando 3D: “Uma delas é fazer animações do rosto e até compartilhar como figurinha (stickers) no WhatsApp, melhorando a interação do público com o aplicativo”.

Mas não é uma tarefa fácil. O diretor de arte lembra que “uma infraestrutura de Inteligência Artificial é cara, e para garantir a sustentabilidade do projeto foram incluídos anúncios e a possibilidade de se tornar apoiador do projeto, onde retiramos as propagandas”. E as novidades não param por aí. Fernando 3D destaca que o trio já está planejando em melhorias para o aplicativo e quer entrar com outros programas no mercado “que tem como base a Inteligência Artificial (ou Core Business) como ponto principal do aplicativo”, detalha.

Enquanto isso, Fernando 3D já adianta: “Outros lançamentos estão prestes a acontecer em meio a essa tecnologia. Fiquem ligados, pois vem muita coisa por aí!”, completa o diretor de arte.

Fonte: Suporte MF Press Global – Jennifer da Silva

Share and Enjoy !

0Shares
0 0

Campanha para incentivar a doação de sangue LGBTQIAP+

Criativos produzem campanha digital para incentivar a doação de sangue LGBTQIAP+

Com apoio institucional da Mutato e do Grupo de Afinidade LGBTQIAP+ da agência, a iniciativa beneficiará o banco de sangue no hemocentro Colsan e o fundo emergencial da ONG Casa Chama

Em uma decisão histórica, em maio deste ano, o Supremo Tribunal Federal derrubou a restrição de doação de sangue por pessoas LGBTQIAP+. Para celebrar essa conquista da comunidade e o Dia Nacional do Doador de Sangue, comemorado hoje, criativos da Mutato, em parceria com o grupo de afinidade LGBTQIAP+ da agência, produziram a campanha “Doe com Orgulho”, que visa estimular a doação de sangue desse público.

No site da campanha (www.doecomorgulho.com), as pessoas LGBTQIAP+ podem agendar um horário para doação de sangue no hemocentro Colsan ou contribuir financeiramente com o fundo emergencial da Casa Chama, ONG que atende a comunidade LGBTQIAP+.

Atualmente no Brasil, apenas 1,6% da população doa sangue regularmente, segundo Ministério da Saúde. São os doadores regulares que mantêm os estoques dos hemocentros estáveis e a queda dessa restrição é uma oportunidade de aumentar esse percentual com a participação da comunidade LGBTQIAP+. Uma vitória tanto para quem precisa quanto para quem quer ajudar.

“Nós vimos nesse movimento uma oportunidade de unir dois pontos importantes para a comunidade, celebrar a decisão da justiça, estimulando outras pessoas LGBTQIAP+ a doarem sangue e apoiar o trabalho importante que a Casa Chama faz”, afirma Gabriela Barreira, Diretora de Arte da Mutato e idealizadora da campanha.

Desde 2017 a Casa Chama apoia tranvestigêneres por meio de ações e projetos em cultura, apoio jurídico, de autonomia financeira e psico social. A ONG se diferencia por ser fundada, coordenada e dirigida por pessoas trans com auxílio de aliados Cisgêneros.

A campanha também continua nas redes sociais com posts informativos no Instagram @doecomorgulho.

FICHA TÉCNICA

Título: “Doe com Orgulho”

Agência: Mutato

Cliente/Produto: Colsan e Casa Chama

coCEOs: Andre Passamani e Eduardo Camargo

Diretora de Arte: Gabriela Barreira

Diretor de Cultura e Comunicação: Eduardo Zanelato

Coordenadora de Conteúdo: Carinne Sandes e Daniele Mattos

Criação: Eduardo De Claro e João Arnaldo

Atendimento: Aretha Teodoro

Apoio: Grupo de Afinidade LGBTQIA+ da Mutato

Aprovação/Cliente: Digg Franco (Casa Chama) e Silvia Iversson (Colsan)

Fonte: Mutato – Bárbara Lima – PR Coordinator

Share and Enjoy !

0Shares
0 0

TikTok e Comunidades Digitais: conheça as maiores oportunidades do marketing digital em 2021

Cezar Lima, empreendedor e sócio proprietário da Stardust Digital, dá dicas para driblar a competitividade e ganhar relevância no mercado digital

A pandemia trouxe uma evolução de 6 anos em 6 meses para o setor do marketing digital. Até mesmo as empresas mais conservadoras, reticentes em evoluir, se viram obrigadas a migrar suas atividades para o ambiente online a fim de não perder clientes. Após a mudança, a conclusão foi consenso entre grande parte dos empresários: trabalhar de forma virtual é viável e muito mais barato.

Cezar Lima

Agora que todos já estão mais familiarizados com a nova forma de trabalhar, começaram as especulações sobre quais serão as maiores tendências para o marketing digital em 2021. Para auxiliar as empresas que almejam mais sucesso, o empreendedor Cezar Augusto de Lima Choptian, sócio fundador da agência Stardust Digital (www.stardust.digital), destaca duas plataformas que merecem atenção no próximo ano.

TikTok

Apesar de ainda não ser considerada uma mídia profissional, quem se adiantou e começou a produzir conteúdo para o TikTok já está se tornando referência na plataforma. “Micro influencers com pouca representatividade no Instagram já contam com mais de 500 mil seguidores no TikTok. Eles foram rápidos e ocuparam um espaço que ainda não tinha competitividade. Sem concorrência, a relevância é mais rápida”, aponta Lima.

Segundo ele, o aplicativo para criar e compartilhar vídeos curtos criou um movimento inverso em que pessoas famosas estão seguindo e compartilhando o conteúdo de usuários anônimos, auxiliando no surgimento de novas celebridades. “Influenciadores fazem questão de estar em todas as redes e, a partir do momento que estão ali, também se tornam consumidores”, diz. Para as empresas, não é diferente.

Lima aponta o TikTok como uma tendência para as empresas que querem se tornar referência em 2021. “A atuação corporativa dessa plataforma é completamente diferente de outras redes sociais”, conta. “O desafio agora é aprender como entrar no mundo do TikTok. Mas quem assimilar primeiro, vai sair na frente de muita gente”, complementa.

Comunidades Digitais

Participar de grupos é um movimento natural na vida de qualquer indivíduo, seja nas redes sociais ou fora delas. Nesse sentido, surge uma tendência cada vez mais forte: a comunidade digital. “Diferente das redes tradicionais, como Facebook e Instagram, em que o algoritmo te coloca numa bolha para que você interaja apenas com os conteúdos que lhe interessam e com pessoas que compartilham das mesmas opiniões que você, as comunidades digitais foram criadas para serem ambientes de discussão entre pessoas que pensam diferente sobre um tema em comum”, explica Lima.

A comunidade digital pode ser facilmente compreendida como uma rede social de nicho. Ela já é realidade, mas ainda não se tornou tão popular, por isso segue como tendência para 2021. Assim como no Facebook e no Instagram, qualquer pessoa ou empresa pode dar início a esse tipo “blog colaborativo”. Contudo, para ganhar relevância, é preciso trabalhar duro. “Ninguém quer entrar em algo que ainda não oferece nada de novo”, diz. “A empresa que cria uma comunidade pode começar a fomentar o conteúdo a partir dos próprios colaboradores e círculo próximo de amigos. Assim que já tiver uma boa base, com tópicos atrativos e relevantes, está na hora de divulgar nas mídias tradicionais e levar os consumidores pra lá”, complementa.

Assim como no TikTok, a chance de ganhar visibilidade a partir das comunidades digitais é maior devido à falta de concorrência. “O maior desafio da plataforma é fazer com quem uma pessoa se transforme de leitor para produtor de conteúdo, pois aí ela começa a compartilhar os tópicos da comunidade nas redes sociais dela, ampliando ainda mais a visibilidade para aquela empresa ou tema”, aponta.

 

A NuCommunuty, comunidade oficial do Nubank, já surge como case de sucesso. Dentro da plataforma, clientes e fãs da marca falam sobre a experiência de usuário e debatem possíveis novidades para a instituição financeira. “Essa foi a forma que a empresa encontrou para unir os clientes, receber feedback, testar ideias e validar tendências. Em contrapartida, eles oferecem lançamentos em primeira mão para quem está ali. É uma forma de valorizar quem te segue”, complementa Cezar Lima.

Fonte: P+G Comunicação Integrada – Fernanda Glinka

Share and Enjoy !

0Shares
0 0

Marketing de Gentilezas, uma estratégia virtual focada nas pessoas

13 de novembro – Dia Mundial das Gentilezas

Muito se engana quem insiste na ideia de que a internet é um ambiente frio e sem graça. A falta do contato físico já deixou de ser problema para as empresas que sabem trabalhar as relações humanas virtualmente. Entretanto, quem ainda não administra um marketing de gentilezas virtual eficiente ou, simplesmente, ignora essa necessidade está literalmente dentro d’água.

Image by S. Hermann & F. Richter from Pixabay

Segundo a consultora em marketing digital, Flávia Valentim, especialista no assunto, com mais de 19 anos de experiência no mercado corporativo, as redes sociais nada mais são do que uma grande rede de relacionamento e onde existem pessoas, deve existir cordialidade.

“Por isso, o marketing de gentilezas funciona tão bem no ambiente digital, pois é dedicado às relações humanas. Afinal de contas, se você vai se relacionar com o seu cliente de forma virtual, nada mais certo do que pensar nas estratégias de atuar focado nas pessoas e na qualidade das relações. Já que, do contrário, todo seu trabalho terá ido por água abaixo, explicou Flávia.

Levar a empresa para o formato online, trabalhar a imagem de forma positiva, fortalecer a marca e gerar o tão esperado resultado de vendas pode parecer simples, basta fazer postagens e pronto. Mas o empresário não pode esquecer, que mesmo não estando cara a cara com seu cliente, existe alguém do outro lado da tela, daí tamanha importância do marketing de gentilezas.

Essa é, sem dúvida, uma das preocupações da Vanessa Oliveira, gerente de vendas do Grupo TTC Segurança, responsável por gerir junto à agência de marketing, toda a comunicação que a empresa faz online. “O Grupo TTC vende segurança e da mesma forma devemos transmitir esses mesmos valores nas nossas redes sociais”, disse Vanessa.

Segundo ela, a empresa está constantemente atenta as postagens e mantém relacionamento direto com os internautas. “Eu respondo pessoalmente a todas as perguntas e me coloco no lugar do internauta, afinal, é frustrante solicitar uma informação e ser ignorado”, relata Vanessa.

A estratégia visa a construção de relações mais sólidas com os seguidores, com confiança, credibilidade e, acima de tudo, segurança caso haja uma negociação entre as partes.

Outro fator determinante para se trabalhar um marketing de gentilezas eficaz nas redes sociais é a prevenção de crises. Comentários maldosos num ambiente aberto como uma rede social pode acabar com a reputação de qualquer empresa, e dependendo do problema, reverter a situação fica bem complicado. O melhor mesmo é ficar atento!

Fonte: Assessoria de Imprensa – Jornalista Aline César

Share and Enjoy !

0Shares
0 0