Fazer mídia e ensinar mídia

por Josué Brazil

Já são quase 31 anos de trabalho no ensino superior. E a maior parte deles estive em sala de aula ensinando – ou ao menos tentando ensinar – mídia.

Nunca foi tarefa muito fácil. Mídia nunca foi uma área desejada pelos alunos. Mídia trazia números e até algumas fórmulas. E isso para o povo de humanas parece filme de terror.

Não havia livros, publicações. Só no final dos 1990 e inícios dos 2000 o Grupo de Mídia conseguiu ampliar a bibliografia no país. E foi incrível!

Para um cara que optou por viver e trabalhar no interior era mais difícil ter acesso às informações, aos cursos e congressos. Aprendi muito na raça. E tentei ensinar. Hoje, tá quase tudo na internet (ahhh… internet, sua linda!).

E, pasmem, cheguei a ser professor de mídia em faculdade da capital. Não durou muito, mas estive lá! Com essa experiência em Sampa posso afirmar, com muito orgulho, que lecionei mídia em três universidades diferentes (obrigado UBC).

Também “fiz mídia”. Na prática. Assumi essa área na minha já inexistente agência, a saudosa – pelo menos para mim – Publicus Comunicação Publicitária.

Tudo mudou e segue mudando – cada vez mais rápido – nessa tal de mídia. Os desafios ficaram maiores e mais complexos. E isso só deixou tudo mais fantástico.

Neste dia do profissional de mídia quero deixar meu especial abraço a todos que se aventuraram pelo tortuoso caminho de ensinar Mídia. E claro, também a todos os profissionais de mídia de agências, veículos e clientes.

Abraços, galera!

Quando custa assessoria de imprensa?

* por Maria Carolina Rossi

O que é assessoria de imprensa e quanto custa? Essas são duas perguntas frequentes que serão esclarecidas durante esse artigo. Para começar gostaria de esclarecer o papel da assessoria de imprensa dentro da Agência de Comunicação. Essa estratégia possibilita que você ou sua empresa saiam na mídia espontânea.

Imagem de Andrys Stienstra do Pixabay

De que forma? Como fonte para falar sobre sua especialidade, sem custos, diferente de publicidade.

Mas como funciona o trabalho de assessoria de imprensa?

Vamos citar o seguinte exemplo: já pensou como os veículos de comunicação escolhem os entrevistados para participar das matérias? Em matérias na TV, rádio, podcast, artigos ou mesmo comentaristas? Muitas vezes, esses profissionais contam com uma assessoria de imprensa.

Assessoria de imprensa ajuda a divulgar seu trabalho por meio de textos, artigos e relacionamento com os jornalistas. Quando você vê um artigo de opinião no Estadão ou mesmo “aspas” de um especialista em uma matéria, a assessoria de imprensa o ajudou, por meio desse relacionamento com os jornalistas.

Há grande possibilidade de ele trabalhar com uma assessoria de imprensa que ajuda a divulgar pautas/temas da sua expertise e sugeri-lo como fonte.

Quem pode ter assessoria de imprensa?

Qualquer especialista que seja fonte para falar sobre um assunto de sua expertise pode ter assessoria de imprensa. Médicos, advogados, dentistas, esteticistas, cirurgiões plásticos, construtoras, psicólogos, veterinários, arquitetos, professores e até os próprios assessores de imprensa.

Todos os profissionais, marcas e empresas podem contar com assessoria de imprensa, que auxilia a trazer autonomia e credibilidade para um especialista/marca.

Afinal, quanto custa?

Isso vai depender muito da sua estratégia. Você pode optar por um pacote de divulgação mais pontual, para um lançamento de livro, produto, restaurante, por exemplo, ou mesmo experimentar o serviço de assessoria de imprensa mais continuo, a longo prazo.

Você pode solicitar um pacote que tenha mais a ver com a sua necessidade no momento, sempre pensado estrategicamente para seu negócio. Para isso, é necessária uma análise de cada negócio para traçar uma estratégia de comunicação. Não existe um valor fixo.

Aconselhamos sempre um call, sem compromisso, para entender cada necessidade.

Pacote de assessoria de Imprensa contínuo

A maioria dos negócios que precisam fortalecer o nome da marca, ou mesmo se manterem em evidência, devem contar com um trabalho de assessoria de imprensa contínuo. No trabalho de assessoria de imprensa contínuo essas empresas e especialistas estão sempre na mídia. Além disso, contam com a possibilidade de uma gestão de crise.

Abaixo, listamos as principais vantagens de contar com uma assessoria de imprensa para o seu negócio:

  • Assessoria de imprensa leva credibilidade para o seu negócio;
  • Por meio de entrevistas, publicações de artigos e matérias orgânicas é possível criar autonomia diante da imagem digital;
  • Assessoria de imprensa é acessível;
  • Diferente do que muita gente pensa, não é caro contar com uma assessoria de imprensa para seu negócio;
  • É possível pensar em uma estratégia que caiba no seu orçamento. Solicite uma proposta, sem compromisso.
  • Assessoria de imprensa potencializa seu nome no Google;
  • Por meio de publicações nos principais veículos de comunicação é possível encontrar o nome da empresa/porta-voz facilmente em pesquisas no Google;
  • Além disso, muitas matérias geram hiperlink para seu site;
  • Assessoria de imprensa em São Paulo, Rio de Janeiro, Curitiba, Minas Gerais e em todo o Brasil;
  • Independente do local em que sua empresa está é possível atingir veículos de comunicação do Brasil e também no exterior.
  • Ajuda a potencializar a imagem de um porta-voz;

Por meio de entrevistas, encontros de relacionamento com jornalistas e frequente aparição nas mídias, o porta-voz se torna referência e conhecido pelo seu nicho e no mercado.

E você, o que está esperando para investir em uma assessoria de imprensa e uma Agência de Comunicação para o seu negócio?

*Maria Carolina Rossi é jornalista e sócia-fundadora da Comunica PR, agência de Relações Públicas

Coluna Propaganda&Arte

Que tipo de leitor/escritor você quer ser em 2019?

Todo início de ano nós temos um costume quase “religioso” de verificar o que foi feito e quais metas nós queremos alcançar no novo ano que se inicia. E se essa mudança fosse um hábito de leitura? Será que você estaria disposto a mudar?

Eu sempre gostei de escrever tanto como forma de relaxar, extravasar ideias e emoções como profissão. Por isso, descobri que existem perfis de escritores e, consequentemente, de leitores.

Já pensou em qual perfil você se enquadra?

Quantos livros você lê por ano? Mais de 4 ou mais de 20? Qual tipo de leitura você gosta mais? Até que ponto estas leituras estão trazendo resultados para você? (mesmo que esse resultado seja uma satisfação ou um entretenimento). Você tem lido mais ou menos nos últimos 5 anos?

No meio de escritores (um universo bastante maluco onde você encontra todo tipo de interesse e perfis) vejo muitos escritores por ganância, enxergando num best-seller a oportunidade de vencer na vida, conseguir milhões de forma fácil. Outras pessoas que buscam escrever por paixão, sem foco em dinheiro ou fama, mas sim em aperfeiçoamento.

Não vejo um caminho certo ou errado aqui. Você pode ter o sonho de virar milionário escrevendo, mas precisa saber que o trajeto será bastante complicado. Isso se aplica aos leitores, que são cada vez mais raros hoje em dia.

Não estou aqui fazendo uma reclamação para falar sobre como o Brasil é um país que não favorece e incentiva a leitura, acho que temos uma cultura muito forte da TV, do vídeo, como no resto do mundo e os livros estão sim perdendo a batalha do entretenimento para plataformas como Netflix, e isso é algo a se pensar, pois livro não é só entretenimento, você aprende sobre visões, análises críticas, aprende a pensar melhor, articular e criar bagagem. Isso é imprescindível para o desenvolvimento mental do indivíduo crítico. Mas como disse, não estou aqui para reclamar de nada. Estamos livres para ler, escrever, ver Netflix, passear, fazer Yoga, plantar uma árvore, nem preciso te falar das vantagens de cada atividade. Isso é cultural e ponto. Mas sempre é possível mudar.

Veja as referências e locais aonde você consome conteúdo. São todos vídeos? Fotos? Textos? As notícias que você lê são de jornalistas independentes? Você já pensou nas comunidades alternativas de produção de textos? Você tem o hábito de ler e-books ou só impressos? Você já ouviu falar de plataformas, como Wattpad? Medium? Muitos escritores estão lá, do mundo todo, mas minha dúvida é: será que os leitores estão lá também?

Sigo nas minhas metas de 2019: escrever mais, ler mais, aumentar meu raio de leitura, diversidade de leitura, ler coisas de meu interesse, como: ficção científica, distopias, psicologia, etimologia, cultura, música, filosofia, mas também ler conteúdos que pouco me interessam, como: tabloides de notícia, fofoca, fanfics, culinária, dicas de beleza, moda feminina, correntes do whats, biografias de caras que nem gosto, softporn etc.

Você é do tipo que escreve/lê somente o que você gosta? Será que isso não está sendo um problema para sua evolução pessoal e profissional? Vamos sair dessa bolha em 2019?

Arrecadação de livros em campanha

Campanha UnirVersos promove arrecadação de livros infanto-juvenis em Taubaté

Mais de mil alunos poderão ser beneficiados pelo projeto

A partir desta quinta-feira (15), o Projeto Humanitário Colmeia, idealizador da campanha UnirVersos, inicia sua primeira ação para arrecadar livros para crianças e adolescentes de instituições sociais de Taubaté. Os clientes do Taubaté Shopping também podem participar por meio de doações de exemplares, de primeira ou segunda mão, para a iniciativa. O centro de compras é um dos pontos de coleta escolhidos pelos organizadores e terá um local para receber os livros em frente à loja Democrata.

Os livros arrecadados serão doados aos alunos do Lar Irmã Amália, Lar e Escola Santa Verônica e Escola Judith Campista Cesar, que atualmente está sem biblioteca. A ação é uma extensão das ações realizadas pelo Projeto Humanitário Colmeia, que visa conectar pessoas que podem e querem ajudar pessoas que precisam de algum tipo de apoio. Por isso, a pedido de algumas instituições, nesta edição, a campanha UnirVersos também irá receber doações de alguns produtos de limpeza e de alimentos. O Villarreal Supermercados, localizado no Taubaté Shopping, será o ponto de coleta para as doações de papel higiênico, sabão em pó, água sanitária, detergente, papel toalha, óleo, arroz, feijão, macarrão e trigo. As doações podem ser realizadas até o dia 25 de novembro.

Geladeira Literária

Outra atração que segue no centro de compras é a Geladeira Literária, um projeto que surgiu nas ruas de Taubaté e chegou ao centro de compras por ser um local com mais acesso, o que facilita as trocas. A máquina é abastecida com livros e além de incentivar o hábito da leitura, também sugere uma boa ação já que as pessoas podem pegar livros de forma gratuita e deixar novas obras na geladeira também.

Fonte: Communicare – Camila Dezze