Fazer mídia e ensinar mídia

por Josué Brazil

Já são quase 31 anos de trabalho no ensino superior. E a maior parte deles estive em sala de aula ensinando – ou ao menos tentando ensinar – mídia.

Nunca foi tarefa muito fácil. Mídia nunca foi uma área desejada pelos alunos. Mídia trazia números e até algumas fórmulas. E isso para o povo de humanas parece filme de terror.

Não havia livros, publicações. Só no final dos 1990 e inícios dos 2000 o Grupo de Mídia conseguiu ampliar a bibliografia no país. E foi incrível!

Para um cara que optou por viver e trabalhar no interior era mais difícil ter acesso às informações, aos cursos e congressos. Aprendi muito na raça. E tentei ensinar. Hoje, tá quase tudo na internet (ahhh… internet, sua linda!).

E, pasmem, cheguei a ser professor de mídia em faculdade da capital. Não durou muito, mas estive lá! Com essa experiência em Sampa posso afirmar, com muito orgulho, que lecionei mídia em três universidades diferentes (obrigado UBC).

Também “fiz mídia”. Na prática. Assumi essa área na minha já inexistente agência, a saudosa – pelo menos para mim – Publicus Comunicação Publicitária.

Tudo mudou e segue mudando – cada vez mais rápido – nessa tal de mídia. Os desafios ficaram maiores e mais complexos. E isso só deixou tudo mais fantástico.

Neste dia do profissional de mídia quero deixar meu especial abraço a todos que se aventuraram pelo tortuoso caminho de ensinar Mídia. E claro, também a todos os profissionais de mídia de agências, veículos e clientes.

Abraços, galera!

Investimentos em mídia crescem 38,8% em 2021

Cenp-Meios divulga os números de 2021

por Josué Brazil, com dados de Cenp_Meios e Meio&Mensagem

A partir de uma base de 298 agências o painel Cenp-Meios chegou ao valor de R$ 19,7 bilhões de investimento em compra de mídia em 2021.

O destaque no levantamento referente ao ano passado foi a internet que obteve crescimento de 74,2%.

Confira os valores e os meios:

No ano de 2020 um número menor de agências (217) haviam participado do painel.

Veja como ficou a distribuição da participação dos meios no total dos investimentos (share):

A TV Aberta segue firme na liderança, mas já ostenta um share bem menor em relação a anos anteriores (o menos da série histórica). E a Internet conseguiu um share histórico, o maior de toda a série do painel do Cenp-Meios: 33% do total dos investimentos.

Os dados são bastante positivos e mostram a recuperação da indústria da propaganda mesmo em uma ano ainda muito marcado pela pandemia do Covid 19.

Comércio de São José está otimista com 2022

Pesquisa ACI/Unitau revela que 74% dos empresários de São José dos Campos esperam um melhor desempenho da economia este ano

Uma boa notícia: o empresário de São José dos Campos está bastante otimista com o desempenho da economia em 2022.

Isso é o que revela a mais recente pesquisa da Associação Comercial e Industrial de São José dos Campos feita em parceria com a Universidade de Taubaté, por intermédio do Nupes (Núcleo de Pesquisas Econômico-Sociais). O levantamento foi feito entre os dias 10 e 26 de janeiro e ouviu 85 empresários, com lojas instaladas em grandes eixos comerciais da cidade: imediações da praça Afonso Pena, Calçadão da Rua 7, eixo da Avenida Andrômeda (região sul) e nos shoppings Centro e Vale Sul.

Os números da pesquisa ACI/Unitau apontam que 74% dos entrevistados estão esperando um desempenho melhor na economia em 2022, com 62,96% se declarando otimistas e 11,11% dizendo estar muito otimistas. Outros 23,4% esperam um ano igual e 2,47% se declararam pessimistas.

Para a ACI de São José dos Campos, o resultado do levantamento é positivo após dois anos turbulentos na economia, reflexo da crise gerada pela pandemia do novo coronavírus. “Após um período de muita incerteza em razão da covid-19, 2021 já desenhou um cenário melhor, que, com certeza, contribuiu para essa otimismo do empresário de São José dos Campos. Tivemos um saldo bastante positivo de empresas abertas na região no ano passado, o comércio registrou índices positivos de venda e tudo isso forma uma base sólida para enfrentarmos os desafios de 2022”, disse Eliane Maia, presidente da ACI.

O levantamento ACI/Unitau também mediu o desempenho do comércio no Natal, com resultados bastante positivos.

A maior dos lojistas entrevistados comemorou o patamar de vendas, com 67,9% deles classificando o volume como bom e 8,64% considerando as vendas excelentes. O que soma 76,54% de aprovação, frente a 19,75% que acharam as vendas ruins e 3,71% que se declararam bastante pessimistas. Mais: 38,27% dos entrevistados apontaram ainda que as vendas de 2021 foram melhores que o patamar alcançado no Natal de 2020, quando as lojas funcionaram sob regras rígidas de horário e limitação de público, frente a 33,33% que classificaram as vendas como iguais. Frente às vendas de 2019, o otimismo foi bem menor.

Tíquete

A pesquisa também revelou que os consumidores optaram, nas lojas, por gastar um tíquete médio de R$ 101 a R$ 200 (33,33%), segundo de um valor entre R$ 51 e R$ 100 (30,86%). Acima de R$ 201 ficaram 25% dos consumidores. Em número de presentes, a maioria dos consumidores, segundo os lojistas, optou por duas compras (44,44%). A forma de pagamento preferida foi o cartão de crédito (50,62%), seguida do cartão de débito (44,44%).

Fonte: Matéria Consultoria & Mídia – Gabriel Camacho

Saldo positivo de empresas em 2021

RMVale tem saldo positivo de empresas abertas em 2021

Balanço do Escritório Regional da Jucesp aponta abertura de 4.395 empresas na região de São José no ano passado contra 1.886 fechamentos

A Região Metropolitana do Vale do Paraíba registrou um saldo extremamente positivo no balanço de empresas abertas e empresas fechadas entre janeiro e dezembro de 2021. No período de 12 meses foram abertas 4.395 empresas contra 1.886 fechadas, com um saldo positivo de 2.509 empresas.

Os números constam de balanço divulgado esta semana pela Associação Comercial e Industrial de São José dos Campos, com base em números registrados no Escritório Regional da Jucesp (Junta Comercial do Estado de São Paulo). O ER da Jucesp funciona na sede da ACI de São José dos Campos e tem a RMVale como área de cobertura.

O saldo positivo de 2.509 empresas ganha relevância por ter sido registrado em um ano onde ainda foram sentidos reflexos da crise gerada pela pandemia do novo coronavírus. Frente ao ano anterior, o salto é bem maior: em 2020, embora positivo, o saldo foi de 831 empresas.

Segundo a ACI de São José dos Campos, os números apontam para uma recuperação acentuada da economia, apesar dos reflexos da pandemia, tendência que deve ser seguida em 2022.

Para a presidente da ACI de São José dos Campos, Eliane Maia, o balanço feito com base nos números do Escritório Regional da Jucesp mostra que a economia reagiu após a crise acentuada de 2020. “Os dados mostram também que novos empresários estão surgindo, conseguindo realizar seu sonho de empreender. A pandemia mudou hábitos e impulsionou novas formas de desenvolvimento econômico através da atividade empresarial”, disse Eliane.

Fonte: Matéria Consultoria & Mídia – Gabriel Camacho