Fazer mídia e ensinar mídia

por Josué Brazil

Já são quase 31 anos de trabalho no ensino superior. E a maior parte deles estive em sala de aula ensinando – ou ao menos tentando ensinar – mídia.

Nunca foi tarefa muito fácil. Mídia nunca foi uma área desejada pelos alunos. Mídia trazia números e até algumas fórmulas. E isso para o povo de humanas parece filme de terror.

Não havia livros, publicações. Só no final dos 1990 e inícios dos 2000 o Grupo de Mídia conseguiu ampliar a bibliografia no país. E foi incrível!

Para um cara que optou por viver e trabalhar no interior era mais difícil ter acesso às informações, aos cursos e congressos. Aprendi muito na raça. E tentei ensinar. Hoje, tá quase tudo na internet (ahhh… internet, sua linda!).

E, pasmem, cheguei a ser professor de mídia em faculdade da capital. Não durou muito, mas estive lá! Com essa experiência em Sampa posso afirmar, com muito orgulho, que lecionei mídia em três universidades diferentes (obrigado UBC).

Também “fiz mídia”. Na prática. Assumi essa área na minha já inexistente agência, a saudosa – pelo menos para mim – Publicus Comunicação Publicitária.

Tudo mudou e segue mudando – cada vez mais rápido – nessa tal de mídia. Os desafios ficaram maiores e mais complexos. E isso só deixou tudo mais fantástico.

Neste dia do profissional de mídia quero deixar meu especial abraço a todos que se aventuraram pelo tortuoso caminho de ensinar Mídia. E claro, também a todos os profissionais de mídia de agências, veículos e clientes.

Abraços, galera!

IAB Brasil lança ‘Guia de Podcast Advertising 2022’

IAB Brasil lança ‘Guia de Podcast Advertising 2022’ e ‘Diretrizes Técnicas para Medição de Podcast 2.1’

Documentos para orientar e direcionar às empresas e profissionais do segmento de publicidade digital

São Paulo, 23 de maio de 2022 – O IAB Brasil, associação que representa a publicidade digital no País, apresenta às empresas e aos profissionais do segmento dois documentos com foco na adoção de padrões e boas práticas em podcasts, ambos disponíveis para download no site da entidade.

Um deles é o “Guia de Podcast Advertising 2022”. Desenvolvido pelo Comitê de Áudio e Voz do IAB Brasil, o material oferece uma visão atualizada sobre a publicidade em podcasts – com novos dados sobre comportamento dos consumidores deste tipo de conteúdo, oportunidades para anunciantes, novos standards para a medição do formato, tendências –, além de uma reflexão sobre a relação do formato com os anúncios. Para acessá-lo, basta baixar o conteúdo por este link

“Com o aumento dos podcasts no Brasil, as marcas ganharam mais um excelente espaço para construírem boas relações com seus consumidores”, contextualiza Cris Camargo, CEO do IAB Brasil.

O outro é “Diretrizes Técnicas para Medição de Podcast 2.1”. Elaborado pelo IAB Tech Lab e traduzido para a língua portuguesa pelo Comitê de Áudio e Voz do IAB Brasil, o documento tem como principal objetivo reduzir as discrepâncias em mensuração e apresentar um conjunto de métricas e diretrizes a serem adotadas pelas empresas, com base nas melhores práticas da indústria. O link para download das diretrizes é https://iabbrasil.com.br/guia-diretrizes-tecnicas-para-medicao-de-podcast-2-1/.

“Com o lançamento destes guias trazemos um padrão para mensuração de campanhas e maior comparabilidade de resultados”, afirma Cris Camargo.

Fonte: XCOM Agência de Comunicação IAB Brasil

Instagram impulsiona vendas

Vendas no Instagram impulsionam comércio

Mensalmente, 90 milhões de contas acessam publicações de compras na rede. Especialista dá dicas para empresas interessadas no recurso

Desde que surgiu, em 2010, o Instagram se firmou como uma rede social visual, com foco em fotos e vídeos. Hoje, as empresas podem usar os recursos imagéticos do aplicativo para montar uma vitrine de vendas eletrônicas. Trata-se da funcionalidade Instagram Shopping, inaugurada no Brasil em 2018. Em abril, por exemplo, foram realizadas 180 milhões de transações no app.

A professora Maria Carolina Avis, especialista em Marketing Digital do Centro Universitário Internacional Uninter, explica que o recurso foi uma grande “sacada” da rede social. “O principal fator para o sucesso é a facilidade de compra. O usuário consegue, de forma muito ágil, ter acesso às informações do produto e ir para a finalização da transação”, diz.

Segundo a rede, mensalmente 90 milhões de contas acessam publicações de vendas para saber mais sobre os produtos. “Para as empresas, houve uma facilitação na resposta sobre variedade de cor, disponibilidade, preço e forma de pagamento. A própria postagem disponibiliza esses detalhes”, explica.

Quem deve apostar no recurso

Desde o início do Instagram Shopping foi aferido um aumento de 25% no tráfego do aplicativo e de 8%, na receita. Isso significa que a rede social se tornou um ambiente propício para todos os tipos de lojas eletrônicas, desde que seu público-alvo seja usuário da rede. “É preciso ir onde seu público está”, recomenda Maria Carolina.

Para usar o Shopping, a empresa precisa comercializar produtos – e não serviços. Além disso, precisa ter um site próprio, para onde o usuário será redirecionado para finalizar a compra.

Mesmo já tendo um site próprio, a professora defende que a funcionalidade é vantajosa para as lojas. “O grande benefício é otimizar a experiência do usuário. No Instagram, ele escolhe o produto com mais facilidade e avança facilmente para o estágio de compra”, diz.

Ressalvas

Para aqueles que estão iniciando no Instagram, a professora ressalta algumas regras. Ao utilizar fotos de catálogo ou de outra empresa, por exemplo, é preciso fornecer os créditos da imagem. Também não é recomendado utilizar fotos de baixa qualidade ou resolução.

Algumas práticas são completamente proibidas pelo aplicativo, como realizar sorteios e trocar engajamento (curtidas e seguidores) por crédito na loja ou produtos. Postagens com esse teor podem ser retiradas do ar.

Fonte:Pg1 Comunicação – Lorena Oliva Ramos

Estadão leva mais um prêmio

Estadão recebe o prêmio Pixels Awards

Nova versão mobile do site foi considerada um dos projetos mais inovadores em mídias digitais no mundo

765

A versão mobile do site do Estadão, que entrou no ar em maio do ano passado, acaba de receber um dos mais importantes prêmios internacionais para projetos inovadores em mídias digitais no mundo: o Pixel Awards. O site foi vencedor na categoria News & Publications (Notícias e Publicações).

O novo site alia o conteúdo do Estadão a recursos inovadores de leitura e compartilhamento de notícias. Com ferramentas de geolocalização, identifica onde está o leitor e fornece informações de trânsito e clima. O projeto foi desenvolvido em parceria com a agência digital Huge.

“É mais um relevante reconhecimento internacional de nosso aplicativo de notícias, que se tornou referência de qualidade no País. Temos muito orgulho de nossa parceria digital com a Huge, que é coerente com a missão do Estadão de sempre inovar em benefício do leitor”, diz João Caminoto, diretor de Jornalismo do Grupo Estado.

“Nos sentimos honrados por mais essa vitória com o projeto digital do Estadão, principalmente por ser em uma das categorias de escolha popular do Pixel Awards, uma premiação extremamente representativa para o mercado digital. Isso prova, mais uma vez, a qualidade da parceria feita entre a Huge e um dos principais jornais do Brasil, e como o leitor é o principal beneficiado dessa iniciativa” afirma Eduardo Torres, vice-presidente da Huge para a América Latina e diretor do escritório carioca da agência.

O Estadão Mobile já havia recebido no ano passado o UX Awards, um dos mais importantes na área de experiência de usuários em plataformas digitais, sendo o único vencedor de um país fora dos Estados Unidos e Reino Unido e o único de uma empresa de comunicação.

Fonte:Lucia Faria Comunicação Corporativa – Marco Barone