Artigo aborda gestão de comunidades

Gestão de comunidades ganha mais protagonismo em 2021

por Emídia Felipe*

Se você é CEO ou atua em alguma liderança estratégica, provavelmente já buscou ou vai buscar saber, em breve, o que é gestão de comunidades e quais os benefícios para o seu negócio. Dados do Relatório de Comunidades 2021 da CMX — uma das maiores referências globais para gestores — mostram que 69% das empresas vão aumentar o investimento nesta atividade este ano.

Imagem de Gordon Johnson do Pixabay

O avanço tem base nos resultados de 2020, quando as comunidades empresariais ganharam força no Brasil e no mundo, uma vez que a pandemia evidenciou ainda mais o valor das conexões entre as pessoas para aumento de engajamento, produtividade e relacionamento — seja entre clientes ou colaboradores. É por isso que, neste momento, em que as pessoas e as ligações entre elas são o ativo mais estratégico para qualquer organização inteligente, a abordagem de comunidade pode ser um ótimo catalisador para destravar e ampliar a entrega de valor para o mercado.

Mas o que é gestão de comunidades empresariais? É gerir redes sociais?

Não. Este é um engano comum, considerando que uma comunidade conta muito com redes sociais entre as suas estratégias de comunicação. Mas isso é só parte do trabalho. Gerir comunidades, na prática, é gerir as conexões entre as pessoas para impactar positivamente a vida delas e os resultados estratégicos da empresa, numa relação ganha-ganha. Isso pode ser feito por meio de programas de embaixadores/promotores, estímulo de produção de conteúdo pelos membros da comunidade, incentivo ao suporte técnico entre os próprios clientes, produção de eventos para engajamento de grupos de interesse estratégico, entre outras iniciativas.

Assim como qualquer área-meio, a gestão de comunidades precisa ter todas as suas ações vinculadas aos objetivos estratégicos da empresa, como redução de churn; de tempo e de custo em suporte técnico; de turnover; e aumento de fãs/defensores dentro de clientes (especialmente nas áreas técnicas); bem como ampliação da “paixão” pela marca, para citar alguns exemplos. As ações e suas métricas vão variar de acordo com a missão de cada grupo. De todo modo, o sucesso da gestão de comunidades mora na interseção entre o que as pessoas querem criar e compartilhar e o que a empresa precisa que elas criem e compartilhem.

Como toda área em estruturação — e, sobretudo, que trata de relações humanas — gestão de comunidades empresariais pode parecer algo difuso para pessoas mais pragmáticas. Mas essa impressão pode ser superada se olharmos para os ganhos que pessoas e empresas têm quando se unem em torno de um propósito, de uma crença, da vontade de evoluir. Anos atrás, em Tribos, Seth Godin, referência global de marketing, chamava comunidades de tribos e pontuava como elas criam “fãs verdadeiros, defensores e criadores de novas conexões”. O termo “tribos” não aparece à toa. Em Sapiens, Yuval Harari conta como somos seres comunitários há centenas de milhares de anos e diz que “Uma realidade imaginada é algo em que todo mundo acredita e, enquanto essa crença partilhada persiste, a realidade imaginada exerce influência no mundo”.

*Emídia Felipe é Community Manager na Neurotech e co-host do Capítulo Recife da CMX

Fonte: Compliance Comunicação – Assessoria de Imprensa

Share and Enjoy !

0Shares
0 0

CEO da Caoa Chery projeta oportunidades para empresários da RMVale

Caoa Chery projeta fabricação de 35 mil veículos em 2020

Número representa crescimento de 40% na produção em relação ao ano passado; dados foram revelados pelo CEO de empresa durante reunião do Desenvolve Vale

A primeira reunião de trabalho do Desenvolve Vale em 2020, no final de janeiro, contou com a presença do CEO da Caoa Chery, Marcio Alfonso, que ofereceu um panorama sobre os rumos da unidade fabril em Jacareí.

Marcio Alfonso e Kiko Sawaya

Realizada no espaço de reuniões do Amicci, casa de vinhos de São José dos Campos, o evento também recebeu o deputado federal Eduardo Cury (PSDB) e o prefeito de Jacareí, Izaias Santana (PSDB).

Alfonso afirmou que a empresa projeta a fabricação de 35 mil carros em 2020. O número é 40% maior do que a produção de 2019, que foi de 25 mil veículos. A capacidade de produção da unidade fabril de Jacareí é de 50 mil carros.

“Vamos lançar dois novos produtos neste primeiro semestre. São mais opções de compras, mais valor, mais conteúdo, mas sem um preço exorbitante. Esta tem sido nossa meta: oferecer tecnologia e valor agregado, mas por um preço que não saia da realidade”, disse.

Com o crescimento, a tendência é adicionar novos fornecedores à lista atual da montadora. A decisão faz parte de um programa de nacionalização da empresa, que pretende produzir cada vez mais em solo nacional.

“As parcerias com fornecedores nacionais são vitais, não podemos depender da importação muito intensa. Até porque o frete nos afeta diretamente no custo do produto final. Além disso, ainda temos que procurar exportar, o que é outra coisa importante para o equilíbrio financeiro da empresa”, afirmou Alfonso.

Esse contexto, de acordo com o CEO, favorece empresas da Região Metropolitana do Vale do Paraíba e Litoral Norte, a RMVale, principalmente pela vocação da região na área de tecnologia e inovação. A Caoa Chery já conta com os serviços de cinco startups do Parque Tecnológico de São José dos Campos.

“Trata-se de uma região privilegiada, com jovens e empreendedores muito qualificados. Temos uma aproximação com um grupo de startups muito boas. A intenção é sempre continuar inovando, buscando parceria com esses jovens”, diz.

Negócios

Logo no início do evento, o deputado Eduardo Cury anunciou a criação de uma câmara de comércio Brasil-China no Vale do Paraíba. De acordo com ele, as conversas estão adiantadas. “É uma via para fomentar a exportação das empresas do Vale para este enorme mercado”, afirmou.

Os negócios com a China ainda foram ressaltados por Alfonso. Durante sua apresentação, ele se colocou à disposição dos empresários presentes para facilitar a criação de uma comitiva em visita para o país asiático.

“Ainda podemos alavancar uma parceria de tranding com a China. A empresa também realiza essas operações. Dessa forma, ajudamos a comprar produtos produzidos aqui, auxiliando na geração de emprego e renda”, disse o CEO.

Para o coordenador do Desenvolve Vale, Kiko Sawaya, atualmente não dá para crescer sem considerar o mercado chinês. Ele afirma que se animou com os números e as oportunidades que a Chery representa ao empresariado da região.

“Fiquei muito impressionado com os números apresentados e acredito que precisamos mesmo pensar em uma comitiva para visitar a China em busca de novas oportunidades.”

Fonte: CABANA | João Pedro Teles

Share and Enjoy !

0Shares
0 0

Boo-box/ftpi apresenta nova CEO

Marina Cunha assume

Marina Cunha deixa a Record TV em Brasília para comandar a operação da empresa de mídia digital em São Paulo. Guga Mafra passa a compor conselho do grupo

A boo-box/ftpi anuncia Marina Cunha como nova CEO. Ela atuava na operação comercial da Record TV em Brasília e se mudará para São Paulo para chefiar o braço digital do grupo FTPI, representante de veículos como Spotify, DynAdmic, Taboola e Jovem Nerd, além da sua própria ad network, a BBN. O movimento acontece pouco mais de um ano depois da compra da boo-box pela FTPI Digital, que resultou na criação da boo-box/ftpi.

Marina Cunha foi gerente Comercial no escritório da FTPI em Brasília, entre 2008 e 2014. “A FTPI foi a empresa onde me desenvolvi como gestora e comecei a trabalhar com mídia digital, que é minha área de especialização. Então é um desafio irrecusável cuidar dessa operação. É como voltar pra casa”, declarou a publicitária, com pós-graduação em Comunicação em Mídias Digitais. “Já estamos trabalhando para apresentar ao mercado novos formatos e otimizar processos de compra e produção de branded content, visando trazer receitas realmente significativas para os publishers da nossa rede”, planeja a executiva.

Guga Mafra, até então CEO da boo-box/ftpi, se mantém sócio da empresa e estará dedicado exclusivamente à expansão internacional do grupo. “Temos um escritório nos Estados Unidos desde o ano passado e atuamos fortemente na formação de parcerias para trazer plataformas internacionais para o Brasil e também para comercializar os veículos brasileiros no resto do mundo. A passagem de bastão para Marina dá à boo-box/ftpi as condições ideais para acelerar o crescimento no exterior”, explica o co-fundador da empresa. “Já queríamos contratar alguém para a função desde a aquisição da boo-box. Porém, era preciso encontrar a pessoa certa, com entendimento da nossa cultura voltada às vendas e ao desenvolvimento do meio digital. A Marina tem seis anos de casa, se formou aqui e tem o espírito empreendedor necessário para trabalhar em um meio que se transforma toda hora. Com essa configuração no comando, a boo-box/ftpi está preparada e fortalecida para 2017. Tem muita coisa legal para acontecer nos próximos meses”, complementa.

Fonte: Lucia Faria Comunicação Corporativa – Camilla Demario

Share and Enjoy !

0Shares
0 0

Foras de Série na APP

Desta vez o evento traz Paulo Queiroz

APP FORAS DE SÉRIE é um encontro com os principais nomes da propaganda no Brasil.

Nesta edição:

PAULO QUEIROZ – Presidente da DM9DDB
Paulo QueirozPublicitário com mais de 30 anos de experiência, Paulo Queiroz construiu uma carreira focada no fortalecimento da indústria da propaganda no Brasil. São mais de 30 anos de experiência, a maior parte deles dedicados à DM9DDB e aos acionistas da agência, o Grupo ABC de Comunicação e a Rede DDB WorldWide, integrante do Grupo Omnicom.

Formado em Publicidade e Propaganda pela Escola Superior de Propaganda e Marketing (ESPM-SP), o executivo iniciou carreira na área de mídia na McCann Erickson, passando em seguida pela Salles D’Arcy.

unnamed-3

Em 1991, ingressou no time da DM9 como gerente de Mídia, sendo promovido a diretor em 1994 e a vice-presidente executivo em 2000. Nesse período, foi fundamental no trabalho que levou a equipe a conquistar os 4 títulos de Agency of the Year, os 2 Grand Prix e os 127 Leões conquistados até então – sendo um deles, o primeiro Leão de Mídia da agência – no Festival Internacional de Cannes.
Presidente da DM9DDB desde janeiro de 2013, Paulo lidera um time de mais de 300 pessoas, garantindo que a cultura e o DNA da agência sejam preservados, que os clientes alcancem seus resultados e que a proposta de valor da agência Data-Driven – criatividade baseada em dados – se perpetue.

O executivo já foi reconhecido pelo seu trabalho nacional e internacionalmente: Foi eleito o melhor Profissional de Mídia pelo Prêmio Caboré e também pelo Prêmio Veículos de Comunicação. Em 2010, foi apontado como Personalidade de Mídia do Ano pelo Prêmio de Mídia Estadão. Participou como jurado no Festival de Publicidade de Cannes em 2000 e em 2013, quando compôs o júri da histórica edição de 60 anos do Festival. O executivo é membro da diretoria do IVC (Instituto Verificador de Circulação), membro do Conselho de Ética do CENP (Conselho Executivo das Normas-Padrão) e conselheiro do Grupo de Mídia de São Paulo. Também faz parte do Brazilian Marketing Hall of Fame, que homenageia profissionais que ofereceram significativa contribuição pelo marketing moderno e de qualidade país.

 

Share and Enjoy !

0Shares
0 0

Brasileiro vai comandar Cannes

Lions Festivals nomeia brasileiro José Papa Neto como CEO

Brasileiro será responsável pelo Cannes Lions, todos os demais eventos relacionados.
Philip Thomas, que ocupava o cargo, será CEO da Ascential Events

unnamed

O Estadão, representante oficial do Cannes Lions Festival Internacional de Criatividade no Brasil, informa que o brasileiro José Papa Neto será o novo CEO do Lions Festivals, responsável pelo Cannes Lions, Lions Health, Lions Innovation, Lios Entertainment, bem como os eventos regionais Eurobest, Dubai Lynx, Spikes Asia e Tangrams.

Papa Neto atualmente é CEO da WGSN, empresa de previsão de tendências de moda global da Ascential Events, holding que, entre outras atividades, é dona dos eventos que Papa Neto será responsável. Antes dessa função, foi diretor regional da Ascential para a América Latina. Tem passagem pelo Estadão, onde ocupou a Diretoria de Estratégias Digitais, T4F, ESPN Brasil e Vex.

“Obviamente, esse cargo sempre atraiu muito interesse do mercado. Estou muito contente que José concordou em coordenar o Lions Festivals. Como liderou a WGSN a um sucesso sem precedentes e por ter profundo conhecimento da nossa marca e enorme experiência internacional, era o candidato de destaque para a função”, disse Philip Thomas, que ocupava o cargo e passa a ser o CEO da Ascential Events.

“O Lions Festival é o destino mundial definitivo da criatividade e inspiração. Um legado construído por reunir as mentes mais brilhantes do mundo, bem como por premiar trabalhos inovadores. É um privilégio poder levar adiante esse legado e ainda liderar uma nova fase de sucesso continuado”, comentou Papa Neto sobre a nomeação.

No início de maio, Philip Thomas, ex-CEO do Lions Festivals, foi anunciado como CEO da Ascential Events, gerenciando as áreas de exibições e festivais (leia aqui). José Papa Neto assumirá o a partir de 1º de setembro e se mudará de Nova York para os escritórios da holding em Londres.

Fonte: Lucia Faria Comunicação Corporativa – Marco Barone

Share and Enjoy !

0Shares
0 0